Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 69 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Cine Dica: Projeto Raros exibe Dark Waters

HORROR FILMADO NA REGIÃO DE CHERNOBYL É ATRAÇÃO DO PROJETO RAROS


Nesta sexta-feira, 21 de julho, às 20h30, acontece mais uma edição do Projeto Raros na Cinemateca Capitólio Petrobras, com o filme Dark Waters (Temnye vody), dirigido pelo italiano Mariano Baino. A sessão será apresentada pelo crítico e pesquisador Carlos Thomaz Albornoz. Entrada franca.  

DARK WATERS

(Temnye vody)
94 min., Rússia/Itália/Reino Unido, 1993
Direção: Mariano Baino



Dirigido pelo italiano Mariano Baino, um obscuro mestre do terror, Dark Waters começou como uma adaptação do conto 'A Sombra sobre Innsmouth', de HP Lovecraft, e acabou 'evoluindo' para algo diferente graças às dificuldades de produção. Aborda a visita de uma estudante americana para a misteriosa ilha onde nasceu, habitada por freiras, que esconde um misterioso culto. É o primeiro filme ocidental rodado na Ucrânia ao redor da região de Chernobyl, pouco tempo depois do acidente nuclear de 1986. Exibição em HD com legendas em português. 
PROJETO RAROS



“Filmes que você sempre quis ver ou nem imaginava que existiam”. O slogan do projeto Raros é a sua melhor definição. Iniciado em maio de 2003, o projeto foi concebido com a intenção de apresentar ao público local títulos nunca lançados no circuito exibidor brasileiro ou há muito tempo fora de circulação nos cinemas, procurando reproduzir o espírito das “midnight movies” realizadas em Nova York a partir do final dos anos 1960. Cada filme é apresentado uma única vez, nas noites de sexta-feira, e as sessões são comentadas. Imediatamente acolhido pelos cinéfilos porto-alegrenses, o Raros foi um sucesso instantâneo e logo inspiraria outras iniciativas similares, a mais conhecida delas sendo as Sessões do Comodoro, organizadas pelo saudoso diretor Carlos Reichenbach no Cinesesc de São Paulo. Em 2017, em função da reforma da Usina do Gasômetro, a Cinemateca Capitólio Petrobras passa a receber provisoriamente o projeto Raros.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Cine Dicas: Estreias do final de semana (20/07/17)

Transformers: O Último Cavaleiro


Sinopse: O gigante Optimus Prime embarcou em uma das missões mais difíceis de sua vida: encontrar, no espaço sideral, os Quintessons, seres que possivelmente são os responsáveis pela criação da raça Transformers. O problema é que, enquanto isso, seus amigos estão precisando de muita ajuda na Terra, já que uma nova ameaça alienígena resolveu destruir toda a humanidade.



De Canção em canção

Sinopse: Em Austin, no Texas, dois casais - os compositores Faye (Rooney Mara) e BV (Ryan Gosling), e o magnata da música (Michael Fassbender) com uma garçonete que ele ilude (Natalie Portman) - perseguem o sucesso através de uma paisagem de rock 'n' roll, sedução e traição.



Gatos

Sinopse: Um perfil da antiga cidade de Istambul e de seus habitantes, vistos pelos olhos dos animais mais misteriosos e amados que os humanos já conheceram: os gatos.




Tal Mãe, Tal Filha

Sinopse: Mado (Juliette Binoche) é uma mulher de espírito livre e que se recusa a amadurecer. Já sua filha, Avril, é casada, muito sistemática e obrigada a sustentar Mado, que se divorciou. Os conflitos são inevitáveis e tudo só piora quando descobrem que estão grávidas.
 

Me sigam no Facebook, twitter, Google+ e instagram

Cine Dicas: Divinas Divas permanece em cartaz e Fale comigo chega ao Cinebancários

PROGRAMAÇÃO CINEBANCÁRIOS: 
DIVINAS DIVAS [Documentário / Brasil / 2016 / 110 min] Direção: Leandra Leal

As Divinas Divas são ícones da primeira geração de artistas travestis no Brasil dos anos 1960. Um dos primeiros palcos a abrigar estas artistas foi o Teatro Rival, dirigido por Américo Leal, avô da diretora. O filme traz para a cena a intimidade, o talento e as histórias de uma geração que revolucionou o comportamento sexual e desafiou a moral de uma época.

GALERIA F [Documentário / 2017 / Brasil / 86 min] Direção: Emília Silveira

Theodomiro Romeiro dos Santos começou a combater a ditadura brasileira, aos 14 anos. Aos 18, é capturado por agentes militares. Reage à prisão e mata um deles que tentava atirar em um de seus companheiros. Após sobreviver às torturas e cumprir 9 anos de prisão, volta a ser ameaçado de morte e decide fugir. “Galeria F” refaz com Theo o caminho dessa fuga, 40 anos depois. Quem o acompanha na aventura é o filho Guga que, pela primeira vez, entra em contato com a verdadeira história do pai.

FALA COMIGO [Drama / Brasil / 2016 / 90 min] Direção: Felipe Sholl

Diogo, adolescente de 17 anos, gosta de ligar para as pacientes da sua mãe psicanalista e assim conhece Ângela, de 40 anos, que acabou de ser abandonada pelo marido. Apaixonados, eles precisam encontrar uma maneira de permanecerem juntos, mas os obstáculos são inúmeros: a diferença de idade, a mãe de Diogo e, acima de tudo, seu próprio caminho em direção à idade adulta.

Ingressos: R$10,00. Estudantes, idosos, pessoas com deficiência, bancários sindicalizados e jornalistas sindicalizados pagam R$5,00. Aceitamos os cartões Banricompras, Visa e Mastercard. A bilheteria abre 30 minutos antes do início de cada sessão.
GRADE DE HORÁRIOS
*Não abrimos nas segundas-feiras*
Até 19 de julho
15h – Galeria F
17h – Galeria F
19h – Divinas Divas
20 de julho (quinta-feira)
15h – Fala Comigo
17h – Divinas Divas
19h – Fala Comigo
21 de julho (sexta-feira)
15h – Fala Comigo
17h – Divinas Divas
19h – Fala Comigo
22 de julho (sábado)
15h – Fala Comigo
17h – Divinas Divas
19h – Fala Comigo
23 de julho (domingo)
15h – Fala Comigo
17h – Divinas Divas
19h – Fala Comigo
25 de julho (terça-feira)
15h – Fala Comigo
17h – Divinas Divas
19h – Fala Comigo
26 de julho (quarta-feira)
15h – Fala Comigo
17h – Divinas Divas
19h – Fala Comigo
27 de julho (quinta-feira)
15h – Fala Comigo
17h – Divinas Divas
19h – Fala Comigo
28 de julho (sexta-feira)
15h – Fala Comigo
17h – Divinas Divas
19h – Fala Comigo
29 de julho (sábado)
15h – Fala Comigo
17h – Divinas Divas
19h – Fala Comigo
30 de julho (domingo)
15h – Fala Comigo
17h – Divinas Divas
19h – Fala Comigo
01 de agosto (terça-feira)
15h – Fala Comigo
17h – Divinas Divas
19h – Fala Comigo
02 de agosto (quarta-feira)
15h – Fala Comigo
17h – Divinas Divas
19h – Fala Comigo

C i n e B a n c á r i o s
Rua General Câmara, 424, Centro
Porto Alegre | RS | CEP 90010-230
cinebancarios.blogspot.com.br
www.sindbancarios.org.br
Fone: (51) 34331204

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Cine Dicas: Em Blu-Ray - DVD – VOD (19/07/17)



Fragmentado
 Leia a minha crítica já publicada clicando aqui.


 A Longa Caminhada de Billy Lynn



Sinopse: O jovem Billy Lynn (Joe Alwyn) tem apenas 19 anos e parte para a Guerra do Iraque, onde integra um esquadrão que se safa de um conflito que dura poucos minutos. A ação é toda registrada pelos noticiários e nos Estados Unidos eles são considerados heróis. De quebra o grupo ganha uma homenagem no badalado intervalo de um jogo no estádio do time de futebol americano Dallas Cowboys.
Ang Lee disse uma vez o que mais lhe chamou atenção no livro de Ben Fountain, do qual deu origem a esse filme, foram dois elementos: De um lado a Guerra do Iraque e do outro o contraste com a celebração pródiga do “Made in America”, organizada para os soldados. “De um lado, é a realidade, a guerra, e do outro, é a celebração, que tão pouco tem a ver com o conflito real”, afirmou o diretor.
Embora o filme retrate a Guerra do Iraque, Lee falou que “nada tem a dizer a respeito” do conflito que causou tanta controvérsia. “Todos nós concordamos que a guerra é ruim, não tem como discordar disso”. Para Lee o que interessa é “a história humana”, que existe por trás desse conflito.
A Longa Jornada de Billy Lynn é o primeiro filme rodado originalmente em 120 quadros por segundo, em 3D, com resolução digital 4K, uma nova tecnologia que Lee se atreveu a explorar, porque queria tornar o filme uma “experiência mais real”.“É uma nova forma de arte, uma nova linguagem, que torna o filme mais atraente”, falou, para depois concluir que ficou “muito feliz com o resultado alcançado”.



  Kong: A Ilha da Caveira
Leia a minha crítica já publicada clicando aqui.