Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 68 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Cine Dica: Sala P. F. Gastal exibe documentários políticos

TIO BERNARD – UMA ANTILIÇÃO DE ECONOMIA E PRECISAMOS FALAR DO ASSÉDIO EM CARTAZ NA SALA P. F. GASTAL
                                                                                                              PRECISAMOS FALAR DO ASSÉDIO

A partir de quinta-feira, 10 de novembro, a Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar) exibe os documentários Tio Bernard – Uma Antilição de Economia, de Richard Brouillette, e Precisamos Falar do Assédio, de Paula Sacchetta. Exibição digital em alta definição. O valor do ingresso é R$ 8,00.  

FILMES

PRECISAMOS FALAR DO ASSÉDIO
(Brasil, 2015, 80 minutos)
Direção: Paula Sacchetta
Produção: Mira Filmes

Na semana da mulher, uma van-estúdio parou em nove locais em são paulo e no rio de janeiro. o objetivo era coletar depoimentos de mulheres vítimas de qualquer tipo de assédio. ao todo, 140 decidiram falar. são relatos de mulheres de 14 a 85 anos, de zonas nobres ou periferias das duas cidades, com diferenças e semelhanças na violência que acontece todos os dias e pode se dar dentro de casa, em um beco escuro ou no meio da rua, à luz do dia. no filme, temos uma amostra significativa, 26 deles. nos depoimentos puros, sem qualquer tipo de interlocução ou entrevista, acompanhamos um desabafo, um momento íntimo ou a oportunidade de falarem daquilo pela primeira vez.

TIO BERNARD – UMA ANTILIÇÃO DE ECONOMIA
(França, 2015, 80 minutos)
Direção: Richard Brouillette

Um filme em torno do pensamento do economista francês Bernard Maris, também conhecido como Tio Bernard, morto em janeiro de 2015 nos atentados ao jornal hebdomadário Charlie Hebdo, em Paris. Além de editor do semanário, Bernard era economista, professor universitário e autor de diversos livros na área de economia. Mas, para além das qualificações que podem ser elencadas a partir de seu extenso currículo, o que este documentário do diretor canadense Richard Brouillette deixa transparecer é o quanto Maris era, acima de tudo, um humanista. Pensador não ortodoxo ele pregava, de maneira muito racional, a desconstrução do discurso econômico hegemônico (ou do ‘terrorismo da palavra’, segundo seus próprios termos), denunciando sua incongruência, e se posicionando ferrenhamente em favor de valores coletivos e de bem-estar social: “Se tem duas noções que o capitalismo desconhece”, afirma Maris, “é a noção de bem e mal: o que importa aí é ganhar dinheiro”. A partir daí o que ele faz é esmiuçar, tentar destruir a “aura intocável” do discurso econômico que serve a propósitos opacos e que é difundido todos os dias nos jornais e na televisão em som uníssono.
 TIO BERNARD – UMA ANTILIÇÃO DE ECONOMIA

GRADE DE HORÁRIOS
10 a 16 de novembro de 2016

10 de novembro (quinta-feira)

17h – Precisamos Falar do Assédio
19h – Tio Bernard – Uma Antilição de Economia

11 de novembro (sexta-feira)

17h – Tio Bernard – Uma Antilição de Economia
19h – Precisamos Falar do Assédio

12 de novembro (sábado)

17h – Precisamos Falar do Assédio
19h – Tio Bernard – Uma Antilição de Economia

13 de novembro (domingo)

17h – Tio Bernard – Uma Antilição de Economia
19h – Precisamos Falar do Assédio

15 de novembro (terça)

17h – Precisamos Falar do Assédio
19h – Tio Bernard – Uma Antilição de Economia

16 de novembro (quarta)

17h – Tio Bernard – Uma Antilição de Economia
19h – Precisamos Falar do Assédio
  
Sala P. F. Gastal
Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia
Av. Pres. João Goulart, 551 - 3º andar - Usina do Gasômetro
Fone 3289 8133

Nenhum comentário: