Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 68 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Cine Dica: Em Cartaz: Snowden - Herói ou Traidor



Sinopse: Cinebiografia conta a história do ex-agente da CIA Edward Snowden (Joseph Gordon-Levitt). Em 2013 ele divulgou informações confidenciais e de espionagem da NSA, a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos. O material exposto revelou que o país coleta informações da internet e registros telefônicos da população americana e também de políticos de todo o mundo, como a presidente do Brasil Dilma Rousseff.
Oliver Stone acredita em seu país, mas não significa que tenha que concordar com todo o teatro que a Casa Branca lançou ao longo de sua história. Quando ele lançou JFK, filme do qual lançou uma nova luz com relação aos mistérios em torno do assassinato de Kennedy, imediatamente ele acabou sofrendo um contra ataque do próprio governo. Porém, isso não foi suficiente para que Stone parasse, sendo que, Snowden - Herói ou Traidor é mais um exemplo de sua filmografia, do qual ele prova que não se intimida em lançar uma luz sobre quem nos comanda e observa.
A trama conta a história real do agente da CIA Edward Snowden (Joseph Gordon-Levitt), cujo seu trabalho era encontrar pela internet possíveis ameaças contra os EUA. Gradualmente, Edward ganhar prestígio, ao ponto de criar novas tecnologias para investigar qualquer um dentro do país e no globo. Não demorou muito para perceber que seu talento estava sendo usado para ir contra os seus princípios.
Indo e voltando na história, o roteiro de Stone nos brinda com um verdadeiro quebra cabeça, mas nada que nos deixe confuso, mas sim faça com que a gente compreenda o que levou esse enigmático personagem a ir contra a principal potência do mundo. Aos poucos, percebemos que o vazamento de dados dos quais foi noticiado em 2013, gerou consequências que prosseguem até hoje. Pode-se dizer que até mesmo os principais eventos que aconteceram em nosso país (Lava Jato, mídia parcial, saída da Presidente Dilma) se encontram na realidade em uma verdadeira teia de eventos, dos quais até mesmo a eleição americana que deu a vitória para Donald Trump venha a fazer parte de tudo isso.
Mais do que um filme denúncia, a obra de Stone é um retrato do mundo de hoje totalmente conectado, como se vivêssemos numa espécie de 1984 e que o grande olho se encontra em Washington. Se fizermos, por exemplo, um determinado comentário nas redes sociais, podemos então estar prontos a nos tornarmos uma fonte de informação. Isso não significa que podemos nos tornar suspeitos, mas sim uma segunda ou terceira pessoa que pode estar direta ou indiretamente ligados a nós nas redes sociais como facebook ou twitter simplesmente.
Assim como a Rede Social de David Fincher, Stone nos brinda com todas essas informações com facilidade, pois é graças a sua montagem de cenas com um ritmo dinâmico, mais uma trilha sonora que se casa muito bem com ela, é então que tudo flui com naturalidade. Quando chegamos ao ponto de compreendemos a proposta passada pelo cineasta, não achamos absurdo, mas sim ficamos com certo temor, pois acaba fazendo todo o sentido: a cena em que vemos o protagonista fazendo amor com a sua esposa (Shailene Woodley, ótima), mas com receio de que a webcam do computador dela esteja monitorando eles, sintetiza muito bem essa dúvida. 
Joseph Gordon-Levitt (A Travessia) se sai muito bem na pele Edward Snowden, mas não por ser somente parecido com ele, mas sim por conseguir passar um olhar cheio de conflito, principalmente nos momentos dos quais se exija e que nos faça sentir toda a carga emocional da qual o personagem está passando. Porém, o seu desempenho em cena se completa quando ele contracena com outros como, por exemplo, Rhys Ifans, que interpreta aqui o mentor do protagonista, mas também sendo um dos engravatados da Casa Branca e que defende que um big brother global é o melhor meio para proteger os americanos. Ambos em cena são dois lados da mesma moeda, pois simbolizam o conflito do mundo contemporâneo, cada vez mais dividido entre pessoas que buscam pela verdade e de poderosos que buscam o poder através de uma mídia manipulável e que alimenta um povo cada vez mais alienado.
Com participações ilustres de elissa Leo, Zachary Quinto, Tom Wilkinson e Nicolas Cage, Snowden - Herói ou Traidor não é um filme que apenas retrata os fatos que ocorreram em 2013, mas que também serve de alerta, já que as suas consequências ainda estão em curso e que podem, infelizmente, terminar com um dedo famigerado num botão vermelho. 



Me sigam no Facebook, twitter e Google+

Nenhum comentário: