Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 69 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Cine Dica: Em Blu-Ray, DVD, Netflix e locação via TV a Cabo:The Walking Dead: Resumo da 5ª e 6ª temporada



Sinopse: Após inúmeros contratempos, Rick e seus amigos encontram refugio e tranquilidade na cidade Alexandria. Porém, a insegurança com relação ao que acontece no resto do mundo faz com que as aparências daquela pacata cidade caiam por terra.


Como eu assisto muitos filmes e séries de Tv fica muito difícil às vezes eu acompanhar tudo e no decorrer do tempo, infelizmente, algumas séries ficam pelo caminho sem eu poder assistir. The Walking Dead foi uma dessas vítimas. A última vez que eu havia acompanhado Rick (Andrew Lincoln) e sua turma em sua cruzada em meio ao apocalipse zumbi foi quando eles chegaram à cidade Alexandria, onde há pessoas que estavam vivendo lá já algum tempo e sem enfrentarem muito o inferno que ocorre no mundo a fora.
Retornando a série agora, vejo que não demorou muito para que o grupo decida por em prática uma forma de controlar a cidade, para assim se sentirem mais seguros. Os últimos episódios da 5ª temporada revelam que o lado pacato daquele lugar vive apenas nas aparências e tentar convencer Rick e sua turma de que aquele mundo nunca será tomado por zumbis é pedir demais. A penúltima temporada marca o retorno do personagem Morgan Jones (Lennie James), que havia roubado a cena no início da 1ª temporada e agora se torna personagem fixo.
Já a 6ª temporada é recheada de altos e baixos, algumas reviravoltas, como a “não morte” de um dos personagens principais e a morte de alguns que provaram serem dispensáveis para a trama. O maior problema da série, a meu ver, foi sempre contornar entre episódios monótonos e com uns sufocantes e contagiantes, como a invasão dos zumbis na Alexandria por exemplo. Essa fórmula já está meio que cansando e fico me perguntando até onde produtores e roteiristas irão usá-la.
Quando se achava que a 6ª temporada iria terminar de uma forma bem morna, eis que surge o pior vilão de toda a saga de The Walking Dead: Negan, brilhantemente interpretado por Jeffrey Dean Morgan (Watchmen) e que carrega consigo o seu taco de beisebol mortal Lucile. Nós últimos 12 minutos do último episódio da 6ª temporada, o ator simplesmente se torna o verdadeiro protagonista e tecendo uma verdadeira aula de como se criar uma cena de puro terror psicológico. Todos os personagens ficam a mercê a nova lei mundial criada pelo personagem e o resultado é chocante, imprevisível, mas nem tudo respondido.
Para o desespero dos fãs, a última temporada não deixa muito claro ás reais consequências e o destino de um dos personagens. Quem acompanha as HQ sabe terrivelmente o que acontece quando Negan entra pela primeira vez em cena, mas aqui fica a pergunta no ar: será que eles serão fieis com relação ao que realmente aconteceu nas HQ?
Se for o caso do programa seguir fielmente o que aconteceu no papel é bom os fãs da série prepararem os lenços, mas quando se trata de The Walking Dead tudo é possível. Aguardemos outubro ansiosamente.   

   
Me sigam no Facebook, twitter e Google+

Nenhum comentário: