Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 70 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

segunda-feira, 7 de março de 2016

Cine Especial: O 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos

12º) PIXOTE (1980)

Sinopse: Pixote (Fernando Ramos da Silva) foi abandonado por seus pais e rouba para viver nas ruas. Ele já esteve internado em reformatórios e isto só ajudou na sua "educação", pois conviveu com todo o tipo de criminoso e jovens delinqüentes que seguem o mesmo caminho. Ele sobrevive se tornando um pequeno traficante de drogas, cafetão e assassino, mesmo tendo apenas onze anos.

Retrato triste e cru da vida de menores abandonados em grandes cidades brasileiras, que para alguns críticos se parece com Os Esquecidos, de Luis Buñuel. Marília Pêra tem aqui um dos seus melhores desempenhos de sua carreira, tanto, que foi eleita melhor atriz do ano pela Associação dos Críticos de Nova York. Bem recebido nos EUA, abriu caminho para Erico Babenco no mercado americano.   


13º) Ilha das Flores (1989)

Sinopse:Ilha das Flores está localizada à margem esquerda do Rio Guaíba, a poucos quilômetros de Porto Alegre. Para lá é levada grande parte do lixo produzido na capital. Este lixo é depositado num terreno de propriedade de criadores de porcos. Logo que o lixo é descarregado dos caminhões os empregados separam parte dele para o consumo dos porcos. Durante este processo começam a se formar filas de crianças e mulheres do lado de fora da cerca, a espera da sobra do lixo, que utilizam para alimentação. Como as filas são muito grandes, os empregados organizam grupos de dez pessoas que, num tempo estipulado de cinco minutos, podem pegar o que conseguirem do lixo. Acabado o tempo, este grupo é retirado do local, dando lugar ao próximo grupo.

Uma observação relevante, porém, é que em Ilha das Flores é posto em pauta a discussão a respeito da pobreza, da fome e da exclusão social. Observando a data em que o curta-metragem foi produzido, fica explicitamente claro que o contexto brasileiro atual e o do final da década de 1980 não mudou significativamente, demonstrando que apesar dos avanços nas mais diversas áreas, a situação social continua apresentando disparidades enormes, abismos que interferem drasticamente no processo de formação de cidadãos e, concomitantemente, de uma sociedade menos contraditória.


 Me sigam no Facebook, twitter e Google+ 

Nenhum comentário: