Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 68 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 31 de março de 2016

Cine Dicas: Estreias do final de semana (31/03/16)



A Juventude


Sinopse: Fred (Michael Caine) e Mick (Harvey Keitel), dois velhos amigos com quase 80 anos de idade cada, estão passando as férias em um luxuoso hotel. Fred é um compositor e maestro aposentado e Mick é um cineasta em atividade. Juntos, os dois passam a se recordar de suas paixões da infância e juventude. Enquanto Mick luta para finalizar o roteiro daquele que ele acha que será seu último grande filme, Fred não tem a mínima vontade de voltar à música. Entretanto, muita coisa pode mudar. 

 

Casamento Grego 2


Sinopse: Toula Portokalos (Nia Vardalos) e Ian Miller (John Corbett) continuam felizes para sempre depois do excêntrico e tumultuado casamento de anos atrás. Desde então, o casal leva com bom humor a rotina em meio as tradições da família dela.Desta vez, a filha adolescente de Toula e Ian é quem passa vergonha por causa dos familiares e a avó da jovem descobre que seu casamento não foi oficializado. É o que basta para a preparação de uma grande festa para celebrar a união.
  
Norm e os Invencíveis


Sinopse: O urso polar Norm vive no Ártico, mas o gelo ao seu redor começa a derreter. É quando ele, na companhia de seus três amiguinhos lemingues, partem rumo a Nova York, onde eles vivem grandes aventuras e Norm vira um mascote de sucesso.
  
O Cavalo de Turim


Sinopse: Turim, 1889. Um camponês e sua filha moram juntos e levam uma rotina de poucos acontecimentos. Eles têm um cavalo, que está muito doente e que ficou muito debilitado após ser sido espancado por seu dono.

 
Para Minha Amada Morta


Sinopse: O fotógrafo Fernando (Fernando Alves Pinto) não é mais o mesmo desde a morte da esposa. Ele se isolou do mundo, mas ao encontrar uma fita VHS ele se surpreende ao descobrir que a mulher tinha um amante. A partir daí, Fernando começa a perseguir esse homem.

 

Picasso e o Roubo da Monalisa


Sinopse: Em Paris, no ano de 1911, o pintor Pablo Picasso (Ignaceo Mateos) e o escritor Guillaume Apollinaire (Pierre Bénézit) são detidos e questionados sobre o roubo da Mona Lisa, famoso quadro pintado por Leonardo Da Vinci. Serão eles parte de uma gangue internacional de ladrões de arte, ou será tudo um grande mal entendido?

 
Visões do Passado


Sinopse: O psicólogo Peter Bower (Adrien Brody) está tendo pesadelos e visões aterrorizantes. Ao descobrir que seus pacientes são fantasmas de pessoas que morreram há vinte anos, Peter fica com medo de ficar louco e decide voltar para sua cidade natal. No local, ele desvenda um mistério do passado que só ele pode solucionar.

 

Voando Alto



Sinopse: O jovem Eddie Edwards (Taron Egerton) nunca foi bom em esportes, mas mesmo assim tem o sonho de fazer nome nas Olimpíadas de Inverno, em 1988, que serpa realizada em Calgary, no Canadá. Com a ajuda do treinador Bronson Peary (Hugh Jackman), ele se torna o primeiro saltador de esqui do Reino Unido. Na competição, Michael se torna um atleta querido, mesmo terminando a prova em último.

 

Zoom


Sinopse: Misturando animação com live-action, a trama acompanha três artistas: um diretor de cinema, um criador de história em quadrinhos e um escritor. A vida de cada um deles se passa em realidades paralelas e suas histórias são contadas uns pelos outros.


  Me sigam no Facebook, twitter e Google+

quarta-feira, 30 de março de 2016

Cine Dica: Em Cartaz: Nuevos Cines – Cinema Argentino Contemporâneo: DOIS DISPAROS




Sinopse: Mariano (Rafael Federman), um adolescente de 16 anos, encontra uma arma de fogo no meio das ferramentas de seu pai, e decide atirar contra si mesmo, duas vezes. Porém, para a surpresa de todos, o rapaz sobrevive, com a bala presa em seu corpo. Porém, o ato ainda trará conseqüências para a sua vida e a daqueles que o rodeiam.
 
O novo cinema Argentino tem proporcionado ótimos filmes, dos quais se tem um analise aprofundada, não somente da sociedade contemporânea daquele país, como também ela pode ser vista de uma forma até mesmo universal. Filmes como Medianeira e Um Conto Chinês, por exemplo, sintetizam o glamour das grandes cidades, mas ao mesmo tempo escancara a corrida desenfreada do dia a dia, ao ponto das pessoas perderem gradualmente a melhor forma de se comunicar umas com as outras. Com um humor negro irresistível, o cineasta Martin Rejtman (La Libertad) cria em Dois Disparos um mosaico sobre a falta de comunicação de uma família, mesmo numa situação delicada e que era necessário uma conversa.
No momento em que o jovem Mariano (Rafael Federman) dá dois disparos com um revolver contra si mesmo, tanto o seu irmão como a sua mãe (Susana Pampin) tomam medidas extremas para cuidá-lo, principalmente pelo fato que uma bala ainda se encontrar dentro dele. Mas se por um lado eles tomam medidas necessárias para que o garoto não faça isso de novo (como esconder facas, por exemplo), não se vê em nenhum momento deles pararem para conversar com ele sobre o que fez. Ao invés disso, existe um ar de sarcasmo que paira entre eles, principalmente vindo do jovem suicida, que leva a situação como se nada tivesse acontecido e fica praticando musica com a sua flauta ao lado do seu grupo de músicos.
A todo o momento o sarcasmo vindo de cada personagem proporciona piadas certeiras, das quais dificilmente alguém deixará de rir, mesmo com a seriedade que cada um deles transmite a todo o momento. É como se eles tivessem jogado a toalha e desistido de tentarem compreender sobre a vida alienada da qual eles vivem e se entregando a realidade crua através de palavras cruas, porém verdadeiras. Não há máscara que resista por muito tempo para cada pessoa desse mundo, sendo talvez essa a proposta que o cineasta queira passar para nós desse lado.
A falta de comunicação tem as suas origens, mas é cada um que tira suas próprias conclusões quando se assiste ao filme. Percebemos, por exemplo, que não há pai nessa família e não se explica o do porque de sua ausência. Percebe-se também que há alguns personagens que não tem noção do que acontece em volta, como no caso do irmão de Mariano, que se interessa por uma atendente de uma lanchonete, mas não a reconhece em outra ocasião quando ela está sem o uniforme.
Essa falta de comunicação e atenção, por mais errônea que seja, proporciona momentos engraçados e curiosos. Bom exemplo disso é quando entra em cena a personagem Lucia (Manuela Martelli), que entra no grupo de música de Mariano acreditando que a situação é uma coisa, quando na realidade não é bem assim do que ela imaginava. Contudo, é curioso que a personagem leve a situação na esportiva e se tornando uma das personagens mais interessantes da trama, mesmo aparecendo somente da metade para o final do filme.
Aliás, é curioso observar que a todo o momento há personagens que entram e sai sem maior cerimônia, o que poderia até mesmo desagradar o cinéfilo que assiste. O passo em falso do roteiro poderia ser no terceiro ato final, onde a mãe decide viajar para praia com um grupo de personagens novos e proporcionando uma nova sub-trama dentro da trama principal. Porém isso é contornado, graças ao fato do humor negro continuar predominando nesses personagens e fazendo a gente não se desinteressar sobre o que acontece em seguida.
Com minutos finais que sintetizam a obra como um todo, Dois Disparos é um retrato alienado e com altas doses de humor negro sobre a nossa sociedade contemporânea atual, cada vez mais se esquecendo de como realmente se comunicar com o próximo e deixando tudo no piloto automático.   
Nota: O filme será novamente exibido no dia 10 de abril na Usina do Gasômetro. Veja a programação completa de Nuevos Cines – Cinema Argentino Contemporâneo clicando aqui.

 Me sigam no Facebook, twitter e Google+

Cine Dica: Sala Multimídia da Cinemateca Capitólio recebe Virada Sustentável

VIRADA SUSTENTÁVEL NA CINEMATECA CAPITÓLIO

Com o objetivo de discutir as questões climáticas do planeta, e mobilizar a população, a Virada Sustentável traz um conjunto de conferências, shows e atividades descentralizadas a Porto Alegre. Na Sala Multimídia da Cinemateca Capitólio acontece entre os dias 1 e 3 de abril a exibição de cinco documentários contemporâneos que colocam em debate temas importantes sobre o clima universal. Entrada franca.
A Virada Sustentável em Porto Alegre tem parceria entre a Embaixada da França, a Aliança Francesa, a Prefeitura de Porto Alegre e o movimento Virada Sustentável. Porto Alegre foi escolhida pela Embaixada da França como a principal cidade referência no Brasil para sediar iniciativas ligadas a COP porque tornou-se internacionalmente conhecida por realizar edições do Fórum Social Mundial, no início do século XXI, além da capital do Rio Grande do Sul ser o segundo estado do País em superfície aquática, fenômeno representado principalmente pela grandiosidade da Lagoa dos Patos.
O projeto de restauração e de ocupação da Cinemateca Capitólio foi patrocinado pela Petrobras, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES e Ministério da Cultura. O projeto também contou com recursos da Prefeitura de Porto Alegre, proprietária do prédio, e realização da Fundação CinemaRS – FUNDACINE.

GRADE DE HORÁRIOS – SALA MULTIMÍDIA

01 de abril (sexta-feira)  
19h30 – Era uma vez uma floresta (78 minutos, doc)

02  de abril - (sábado)
17h – Planeta Gelado: Alpes (50 minutos, doc)
19h – Planeta Gelado: Andes (50 minutos - doc)

03 de abril (domingo)
17h – Planeta Gelado: Groenlândia (50 minutos doc)
19h – Planeta Gelado Himalaia (50 mn doc)

FILMES

Planeta Gelado: Alpes
Planète glace: Alpes (França 2014).
De Pierre-François Gaudry, Thierry BerrodVincent AmourouxYanick Rose. Documentário em cores/50’. Classificação etária Livre.
Situado próximo ao Monte Branco, as geleiras dos Alpes estão entre as mais sensíveis do planeta. Vamos testemunhar a agonia de suas primeiras vítimas, geleiras abaixo de 3500 metros. Os impactos econômicos e geológicos de seu desaparecimento serão enormes nos próximos anos.

Planeta Gelado: Andes
Planète glace: Andes (França 2014).
De Thierry Berrod. Documentário em cores/50’. Classificação etária Livre.
No imaginário comum, as áreas tropicais são sinônimos de águas azul-turquesa e praias de areia branca. Portanto, não há de fato geleiras nessas latitudes. Mas na cordilheira dos Andes, situado a mais de 5000 metros de altitude, elas são reverenciadas como deuses pelos povos locais há milhares de anos. Mas hoje em dia, deuses estão desaparecendo.

Planeta Gelado: Groelândia
Planète glace: Groenland (França 2014).
De Pierre-François GaudryThierry BerrodVincent AmourouxYanick Rose. Documentário em cores/50’. Classificação etária Livre.
A Groelândia, a "terra verde" dos vikings, tem um nome enganoso. Seja inverno ou verão, a maior parte da região que é quatro vezes maior que a França, é coberta com uma camada muito espessa de gelo. Mas o que devia ser gelo inerte, é na verdade gelo que se move.

Planeta Gelado: Himalaia
Planète glace: Himalaya (França 2014).
De Thierry BerrodVincent Amouroux. Documentário em cores/50’. Classificação etária Livre.
O Himalaia, para muitos, é a montanha lar dos picos mais altos do mundo, o que é sinônimo de neve eterna. Para cientistas que tentam desvendar os segredos de suas enormes geleiras, o Himalaia permanece sendo um mistério. Mas tudo está prestes a ser descoberto - e é urgente.

Era uma vez uma Floresta.
Il était une forêt (França 2013).

De Luc Jacquet. Documentário em cores/78’.
Era uma vez uma floresta, convida-nos a uma descoberta sem precedentes de florestas tropicais primárias. Pela primeira vez, uma floresta tropical vai nascer diante dos nossos olhos. Este filme sintetiza uma enorme quantidade de conhecimento adquirido ao longo dos séculos. Desde o primeiro plantio na floresta até o desenvolvimento das relações entre plantas e animais, não são menos do que sete séculos que decorreram diante de nossos olhos. Era uma vez uma floresta oferece uma viagem única pela floresta, uma viagem através da própria vida. Há anos, o vencedor de um Oscar, Luc Jacquet, vem filmando a natureza e o mundo animal para comover e surpreender os espectadores através de histórias únicas e emocionantes. Seu encontro com o botânico Francis Hallé deu à luz a este patrimônio cinematográfico sobre as florestas tropicais primárias.