Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 69 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Cine Dicas: "Cativas - Presas pelo Coração" e "Beira-Mar" no CineBancários

O CineBancários estreia duas grandes novidades do cinema brasileiro, que estão percorrendo o mundo em diversos festivais, no dia 5 de novembro.
Os filmes que serão exibidos na nossa sala de cinema são o documentário “Cativas - Presas pelo Coração”, de Joana Nin, que recebeu menção honrosa no Festival de Cinema do Rio 2013 além de pariticpar da seleção oficial do Festival de Estocolmo de 2014, e “Beira-Mar”, de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon, que foi exibido no Festival Internacional de Cinema de Berlim deste ano, no Festival de Cine en Guadalajara, Toronto LGBT IFF e muitos outros.
Os longa-metragens dividem os horários da programação: “Cativas - Presos pelo Coração” será exibido nas sessões das 15h e 19h enquanto “Beira-Mar” fica com a sessão das 17h. Os ingressos podem ser adquiridos no local a R$8,00. Estudantes, deficientes físicos, idosos, bancários e jornalistas sindicalizados pagam R$4,00.

CATIVAS - PRESAS PELO CORAÇÃO

   Os limites impostos pelas grades de uma prisão não representam barreira capaz de deter as “Cativas – Presas pelo Coração”. O amor delas supera todos os obstáculos, o que importa são as três horas por semana ao lado do marido preso e as cartas de amor cheias de mimos e desenhos coloridos que alimentam a paixão até a próxima visita. O filme retrata a vida de sete mulheres com histórias bem diferentes, mas que trazem em comum a perseverança, a dedicação e muita esperança de um dia constituir uma família do lado de fora do presídio.
O documentário longa-metragem de Joana Nin traz a persistência de uma pesquisa que durou 12 anos e teve em uma primeira etapa um curta-metragem de sucesso, Visita Íntima, que venceu o É Tudo Verdade 2006, ganhou outros 20 prêmios e rodou o mundo por mais de 40 festivais em 12 países. “Cativas – Presas pelo Coração” esteve na seleção oficial do Festival de Estocolmo 2014 e na seleção especial da Première Brasil Berlim 2014, além de ter recebido menção honrosa do júri oficial do Festival do Rio 2013. O filme participou ainda de mercados internacionais de destaque, como o Ventana Sur, na Argentina, DocMontevideo, no Uruguai e IDFA, na Holanda, maior e mais importante festival de documentários do mundo. 
As “Cativas – Presas pelo Coração” são pessoas sensíveis, íntegras e dedicadas aos relacionamentos. Andrea escolhe seu vestido de noiva. Kamila luta por cinco meses até conseguir os documentos e ser autorizada a visitar o namorado na cadeia. Simone sofre com o companheiro viciado em crack, mas não desiste. Eliane trabalhava no conselho tutelar quando se apaixonou por um menino de 14 anos de idade, 22 anos mais novo que ela. Largou marido e filhos para fugir com ele. Malu reencontrou o pai de sua filha dez anos depois e finalmente casou-se com o amor de sua vida, mas agora não pode viver ao lado do marido. Camila não pôde vivenciar sua gravidez ao lado do pai do bebê. Cida sofreu uma séria desilusão com o homem por quem era apaixonada. São diferentes fases de romances, mas todos tem em comum um tom de ‘faca nos dentes’ do cárcere, um frisson com misto de ansiedade, excitação e tensão amorosa. 
O filme não só tem predominância feminina em suas imagens, mas também em toda sua produção. Boa parte de sua equipe é composta por mulheres – entre elas a diretora, roteirista e produtora Joana Nin e Jordana Berg, montadora dos filmes de Eduardo Coutinho desde “O Santo Forte” (1999) até o derradeiro “Últimas Conversas” (2014), terminado após a sua morte, e também de “Visita Íntima” e “Cativas – Presas pelo Coração”.
As cartas carinhosamente decoradas formam o fio condutor do longa. Notavelmente, as dos homens são mais caprichadas em matéria de desenhos e cores, há uma cena gravada em uma cela do presídio mostrando como são feitas. Uma ideia de romantismo popular emana dessa correspondência, assim como das músicas que as preferências das próprias personagens sugeriram para a trilha sonora – um mix com composições do curitibano Cesar Mattos e a balada romântica mais consagrada de Márcio Greyck, “Impossível Acreditar que Perdi Você”, em sua gravação original.
“Cativas – Presas Pelo Coração” lança um olhar afetuoso para onde menos se espera. Joana Nin acredita que como a população carcerária brasileira é composta por 95% de reincidentes, talvez seja esta uma forma de repensar o sistema. Porque uma pessoa que cometeu um crime e fica isolada do mundo sem qualquer afeto por até 30 anos, não terá muitas alternativas quando sair da cadeia. Se não tiver uma família, não terá para onde ir e nem por quem sonhar com outra vida. Sem trabalho, certamente voltará a praticar crimes, aqueles que já sabia antes da condenação e os que aprendeu nos anos de condenação.
A penitenciária onde se passa o filme fica no maior complexo prisional do Paraná que abriga cerca de 7 mil presos em seis unidades. A PCE – Penitenciária Central do Estado, onde foram feitas todas as cenas, é a mais antiga delas conta com 1600 presos. O acesso da diretora ao interior da cadeia, aos presos e visitas foi bastante privilegiado. Até mesmo uma visita íntima no motel da penitenciária foi documentada pela equipe. A revista feminina, em vias de ser extinta por seu caráter vexatório, também está registrada da forma como ainda hoje é feita na maior parte dos presídios brasileiros. A cena da visita aos presos foi realizada em uma dia exclusivo, apenas com os casais que concordaram em participar. As mulheres entraram com microfones sobre as roupas para gravar o som das conversas íntimas – tudo com o consentimento de todos os personagens.
O filme é uma produção da Sambaqui Cultural em coprodução com o Canal GNT e foi viabilizado pela Lei do Audiovisual com patrocínio da Sanepar por meio do Conta Cultura, um programa de seleção de projetos promovido pela Secretaria de Cultura do Paraná. A distribuição é da Moro Filmes.

BEIRA-MAR

“Beira-Mar”, o primeiro longa-metragem dos diretores Filipe Matzembacher e Marcio Reolon, aborda temas presentes no universo da juventude, como a amizade e a sexualidade.

Protagonizado pelos atores Mateus Almada e Maurício José Barcellos, o longa já foi exibido no Festival Internacional de Cinema de Berlim deste ano e Festival de Cine en Guadalajara, Frameline, Uppsala ISFF, Festival de Cinema Luso Brasileiro de Santa Maria da Feira, Toronto LGBT IFF, Mostra de Tiradentes, Short Shorts, Mecal, dentre outros, e agora terá sua primeira exibição no Brasil na Première Brasil – Novos Rumos do Festival do Rio que ocorrerá em outubro.
 Sinpose: Durante o inverno dois jovens viajam ao litoral gaúcho. Martin precisa visitar parentes distantes, em busca de um documento para seu pai. Tomaz aceita acompanhá-lo nessa jornada, aproveitando a chance para se reaproximar do amigo. 
Os dois passam os dias imersos em um universo próprio, expostos à família que rejeita Martin e à estranha distância que surgiu entre ele e Tomaz. Alternando entre distrações corriqueiras, reflexões sobre suas vidas e sua amizade, os garotos se abrigam em uma casa de vidro, à beira de um mar frio e revolto. 
Sobre os diretores: Filipe Matzembacher e Marcio Reolon são gaúchos e sempre trabalharam em parceria. Os curtas metragens realizados pela dupla já viajaram por festivais pelo mundo, como Festival de Cine en Guadalajara, Frameline, Uppsala ISFF, Festival de Cinema Luso Brasileiro de Santa Maria da Feira, Toronto LGBT IFF, Mostra de Tiradentes, Short Shorts, Mecal, dentre outros. Entre eles estão “Quarto Vazio” (2013), “Um Dialogo de Ballet” (2012), “Nico” (2011), “Garoto Neon” e “O Último dia Antes de Zanzibar”.




FICHA TÉCNICA:

CATIVAS – PRESAS PELA CORAÇÃO

Gênero: documentário

Duração: 77 minutos (longa-metragem)

Produção: Joana Nin e Ade Muri

Direção e Produção Executiva: Joana Nin

Direção de Fotografia: Luciano Coelho

Roteiro: Joana Nin e Sandra Nodari

Pesquisa e assistência de direção: Sandra Nodari

Som Direto: Robertinho Oliveira

Montagem: Jordana Berg, edt.

Produtor de Finalização: Ade Muri

Direção de Produção: Sônia Procópio

Preparação de filmagens com presos: Sheylli Caleffi

Fotografia Still: Lauro Borges

Assistente de Produção e pesquisa: Raquel Zanotelli

Assistente de Câmera: Eduardo Azevedo

Desenho de som e mixagem: Alessandro Laroca, Eduardo Virmond Lima Armando Torres Jr.

Design gráfico: Marcellus Schnell

Videografismo créditos: Liana Lessa

Trilha Original: Cesinha Mattos



BEIRA-MAR

Gênero: drama

País: Brasil

Ano: 2015

Duração: 83 minutos

Roteiro e Direção: Filipe Matzembacher e Marcio Reolon

Elenco principal: Mateus Almada, Maurício José Barcelos

Elenco secundário: Elisa Brites, Francisco Gick, Fernando Hart, Danuta Zagueto, Maitê Felistofa e Irene Brietzki

Produção: Marcio Reolon

Direção de Arte: Manuela Falcão

Direção de Fotografia: João Gabriel de Queiroz

Montagem: Bruno Carboni e Germano de Oliveira

Trilha Sonora Original: Felipe Puperi

Trilha Sonora: Daniel Johnston, Kurt Vile, No Porn.

Fotos: Miguel Soll e João Gabriel de Queiroz

Distribuição Brasil: Vitrine Filmes

World Sales: Figa/BR

Financiamento: Secretaria da Cultura de Porto Alegre (edital Fumproarte) e Secretaria da Cultura do Estado do Rio Grande do Sul (Fundo de Apoio à Cultura)

Empresa Produtora: Avante Filmes



GRADE DE HORÁRIOS:

3 de novembro (terça-feira)

15h – Numa Escola de Havana, de Ernesto Daranas

17h - Numa Escola de Havana, de Ernesto Daranas

19h - Numa Escola de Havana, de Ernesto Daranas


4 de novembro (quarta-feira)

15h – Numa Escola de Havana, de Ernesto Daranas

17h - Numa Escola de Havana, de Ernesto Daranas

19h - Numa Escola de Havana, de Ernesto Daranas


5 de novembro (quinta-feira)

15h – Cativas - Presas pelo Coração, de Joana Nin

17h – Beira-Mar, de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon

19h - Cativas - Presas pelo Coração, de Joana Nin


6 de novembro (sexta-feira)

15h – Cativas - Presas pelo Coração, de Joana Nin

17h – Beira-Mar, de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon

19h - Cativas - Presas pelo Coração, de Joana Nin


7 de novembro (sábado)

15h – Cativas - Presas pelo Coração, de Joana Nin

17h – Beira-Mar, de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon

19h - Cativas - Presas pelo Coração, de Joana Nin


8 de novembro (domingo)

15h – Cativas - Presas pelo Coração, de Joana Nin

17h – Beira-Mar, de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon

19h - Cativas - Presas pelo Coração, de Joana Nin

Nenhum comentário: