Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 69 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Cine Especial:MARIO BAVA:Maestro do Macabro:Parte 4

Nos dias 10 e 11 de Outubro,  eu estarei no Cine Capitólio,  participando do curso Mario Bava: Maestro do Macabro, criado pelo Cine Um e ministrado pelo doutor em Literatura Inglesa pela Universidade de São Paulo, com especialização em romance gótico, Fernando Brito. Enquanto atividade não chega, irei falar dos principais filmes desse diretor que foi fonte de influência para inúmeros outros diretores como Francis Ford Coppola e Tim Burton. 


O CICLO DO PAVOR (1966)



Sinopse: No século XIX, médico é chamado a um pequeno vilarejo para fazer autópsia em mulher que morreu sob estranhas circunstâncias. Instigado pelo mistério da morte e pela suspeita de ter sido provocada por um ritual, começa a investigar o caso por conta própria e se depara com uma inimaginável maldição.


O roteiro simples é uma marca registrada de Bava, mas não se enganem, pois o simples é muito diferente de ruim, a simplicidade do roteiro é a tela em branco que permite a Bava criar sua narrativa pictórica para contar a história. Quando a tensão do filme aumenta o espectador é induzido ao medo, cores fortes, o claro, o escuro são usados sem nenhuma preocupação com a realidade, estão ali apenas para a sensação visual do medo, a sensação de assistir O ciclo do pavor é a de estar dentro de um pesadelo, onde o inexplicável é aceito de forma natural.  Neste pequeno fragmento do filme é possível conferir um pouco do lirismo e a atmosfera onírica criada pelo maestro do macabro.



 Hércules no Centro da Terra (1960)



Sinopse: Hércules precisa lutar contra um monstro de pedra, recuperar uma maçã dourada da árvore de Hespérides e enfrentar horrores de Hades para salvar sua amada das garras do perverso Lyco (Christopher Lee).


Hercules no Centro da Terra é o segundo filme de Mario Bava, mas já demonstra que A Máscara do Demônio não foi um acidente de percurso. Já com estrada no gênero (havia fotografado os dois primeiros filmes do ciclo, Hercules [1957] e Hercules Unchained [1958], e foi o responsável pelos efeitos especiais em inúmeros outros dirigidos por amigos), o diretor demonstra maturidade e força transformando o que podia vir a ser um conto da Carochinha numa assustadora viagem ao Inferno, com todos os tipos de belzebus possíveis e imagináveis. Aqui, Hércules é interpretado por Reg Park que, foi três vezes (1951, 1958 e 1965) Mr. Universo (e que alguns anos depois entregaria o cetro para um certo Arnold Schwarzenegger). Carismático no papel, o suficiente para, por exemplo, não ser engolido por atores mais talentosos e experientes em cena, como Christopher Lee. Esse ultimo, aliás, nos brinda com uma performance sincera e emocionada como Lyco, o rei que faz um pacto com o Inferno, oferecendo o sangue de Dejanira, mulher de Hércules, em troca de vida eterna Seria fácil partir para a caricatura e transformar um personagem destes em um vilão de desenho animado, com caras e bocas, mas Lee, o eterno conde Drácula, consegue entregar um personagem mais complexo e variado do que o próprio roteiro pedia.


Me sigam no Facebook, twitter e Google+

Nenhum comentário: