Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 69 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Cine Especial:HORROR NO CINEMA BRASILEIRO:Parte8


Sim, o gênero de horror existe no Brasil e ele será tema do próximo curso de cinema, criado pelo Cine Um e ministrado pelo Jornalista, crítico, historiador e pesquisador dedicado a tudo que se refere ao cinema de horror mundial Carlos Primati. O curso ocorre nos dias 29 e 30 de Agosto no Cine Capitólio.  Enquanto os dias da atividade não chegam, irei postar por aqui sobre os filmes de horror que eu tive o privilegio de assistir, seja em DVD ou no cinema.
 

NINA(2004)



Sinopse: Nina (Guta Stresser) é uma jovem de sensibilidade agudíssima e mente fragilizada, que procura meios de sobrevivência numa metrópole desumana. A proprietária do apartamento onde mora, Dona Eulália (Myriam Muniz), uma velha mesquinha e exploradora, parece ter prazer em esmagar a vontade da sua inquilina exaurida. Em meio aos desenhos que faz em toda a parte e vivendo a agitada cena eletrônica de São Paulo, Nina mergulha nos fantasmas de seu inconsciente até acabar envolvida em um crime.


Filme de estreia do diretor Heitor Dhalia, que logo em seguida faria outra obra prima, Cheiro do Ralo. Aqui, ele readapta a clássica história de Crime e Castigo, para a cidade Paulistana e não faz feio. O filme é um verdadeiro delírio visual gótico, em meio aos personagens perdidos em suas vidas, liderados pela personagem Nina (Guta Stresser, ótima) que sofre todos os tipos de maus tratos psicológicos nas mãos de Dona Eulália (Myriam Muniz, espetacular).
O cinéfilo mais atento irá lembrar rapidamente de outros filmes como Repulsa dos Sexos e O Inquilino (ambos de Roman Polanski), mas o filme fala por si. Além de acrescentar momentos fortes em que são retratados de forma original, em animação manga. Destaque para as participações especiais de Selton Mello, Lázaro Ramos, Matheus Nachtergaele, Renata Sorrah e Vagner Moura.

Curiosidades: Todo o material usado na construção dos cenários foi adquirido em demolições. Com isso obteve-se a sensação de gastura, de passagem do tempo, de um clima decadente próprio da velha usurária Eulália. O escritor e autor de quadrinhos Lourenço Mutarelli é o responsável pelos desenhos feitos por Nina no filme.


Um Lobisomem na Amazônia (2005)

Sinopse: Cinco jovens resolvem fazer uma expedição à procura do “chazinho esperto” no Santo Daime na Amazônia. Seu guia nessa aventura será Jean Pierre. Um dos jovens, Natascha, sempre tem um pesadelo que um lobisomem a persegue na floresta. Ao mesmo tempo o local para onde eles estão indo, tem sido o palco de crimes horríveis, em que os corpos das vítimas são dilacerados por algum tipo de animal. O delegado Barretão e o Dr. Corman, especialista em fauna, são enviados pelo prefeito para descobrirem o que está assassinando as pessoas. Para completar essa loucura, o enlouquecido Dr. Moreau, dado como morto, tinha conseguido escapar da ilha em que realizava suas abomináveis experiências e atualmente reside na Amazônia.


Imaginem fazer um filme de terror com um lobisomem, guerreiras amazonas, um deus inca e o célebre personagem Dr. Moreau, tudo isso com a Amazônia como cenário. Bem, com essa mistura toda, só poderia ser uma produção trash. E tendo o famigerado diretor Ivan Cardoso no comando, terrir é a melhor definição para essa pérola do cinema nacional. O filme é tão horrível que provoca risos nos que curtem o jargão “quanto pior, melhor”. Um Lobisomem na Amazônia (2005) é o retorno de Ivan na direção de longas. Seu último trabalho no formato foi “O Escorpião Escarlate” de 1986. A trama de seu novo projeto é ainda mais absurda do que seus outros filmes.
Imagens da Amazônia só aéreas. É evidente que os atores filmaram nas florestas cariocas. As interpretações são um desastre. Mas num filme de Ivan Cardoso isso importa? Lógico que não. A intenção é esculhambar com tudo, através de diálogos humorísticos e recheados de palavrão. Tem momentos memoráveis como “ainda pego esse lobisomem filho da pu...” ou “espada atrás de mim eu não gosto”. São tão rápidos que é necessário atenção. Para viver Moreau, Ivan conseguiu a participação do fantástico Paul Naschy. Ator internacional e ícone de filmes de terror europeus. Ele embarca na onda e nota-se que ele está se divertindo também. E esse é o espírito também do resto do elenco, que conta com uma porção de globais.


Inscrições para o curso cliquem aqui 

 Me sigam no Facebook, twitter e Google+

Nenhum comentário: