Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 69 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Cine Dica: Sala P. F. Gastal recebe festival Diálogo de Cinema

SALA P. F. GASTAL RECEBE O FESTIVAL DIÁLOGO DE CINEMA

A partir de terça-feira, 14 de outubro, a Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro recebe a segunda edição do Diálogo de Cinema, festival competitivo de curtas-metragens, com exibições de filmes brasileiros e internacionais e dois longas inéditos na cidade. A entrada é franca.

Com a intenção aproximar ainda mais o circuito cinematográfico gaúcho do restante do país, a segunda edição do Festival Diálogo de Cinema traz ao público uma seleção de 40 curtas e 2 longas-metragens produzidos no Brasil no último ano, além de uma mostra de curtas internacionais. Produzido pela  Avante Filmes e Sofá Verde Filmes, o festival acontecerá entre os dias 14 e 19 de Outubro. O evento será sediado na Sala P. F. Gastal, no terceiro andar da Usina do Gasômetro, e terá entrada gratuita ao longo de toda sua programação.

O Diálogo de Cinema conta com duas mostras competitivas: a Mostra Diálogo, com 2 curtas-metragens de nove estados do Brasil e a Mostra Cercanias, com nove produções do Rio Grande do Sul. Ao final de cada sessão será realizado um debate ao redor dos filmes assistidos com a presença de diretores de diversas partes do Brasil. A proposta é ampliar o diálogo entre as produções nacionais e dar espaço a filmes que não chegam as grandes salas.

O Festival Diálogo de Cinema 2014 irá exibir dois longas-metragens inéditos em Porto Alegre. Castanha, do diretor Davi Pretto, será o filme de abertura. A produção gaúcha passou por diversos festivais internacionais e teve sua estreia na mostra Forum do Festival de Berlim. Para fechar a programação, no dia 19 (domingo), o filme convidado é Ela volta na quinta, do diretor André Novais, que teve estreia internacional na mostra competitiva do festival francês FID Marseille. Além das mostras competitivas, irá acontecer a Mostra Diálogo Internacional, com curtas convidados pela curadoria e a estreia da Sessão Carta Branca, que este ano terá uma programação especial com filmes da Estônia. Também haverá a Sessão Sala de Estar, com curtas locais fora de competição. O Diálogo de Cinema conta com o apoio da Prime Box Brasil, Famecos, Faculdadede Comunicação Social da PUCRS, Estúdio Lume, Francisco Simões Pires Assessoria Jurídica, A margem, Masplam. Apoio cultural Tabaré.

Assessoria de Imprensa: Carolina Marquis (51) 9898­9394 
Liege Ferreira ­ (51) 9458 9397

  
PROGRAMAÇÃO

14 de Outubro, Terça­-feira

19:30 – CERIMÔNIA DE ABERTURA + LONGA DE ABERTURA:
Castanha (Dir. Davi Pretto), seguido de debate (mediador: Marcio Reolon)
Sinopse: João Carlos Castanha é um ator de 52 anos que vive com sua mãe Celina, de 72 anos. Ele divide-se trabalhando à noite como transformista em bares GLS e fazendo pequenas participações em peças de teatro infantis, filmes e programas de televisão. Atormentado e perseguido por fantasmas de seu passado, dia após dia, João passa a confundir cada vez mais a realidade que vive com a ficção que interpreta.

15 de Outubro, Quarta-­feira

18:00 – SESSÃO CARTA BRANCA #ESTÔNIA

Olga (Dir. Kaur Kokk) - Olga, uma solitária vigia de estacionamento, varre a neve que não para de cair, e espera por sua filha, que guarda o carro lá. Pouco a pouco, as paredes de neve crescem além de sua cabeça. Quando uma virada de destino a impede de ver sua filha novamente, tudo o que lhe resta é encontrar esperança onde ela nunca percebeu antes.

Awesome (Äge) (Dir. Rein Zobel) - Murat, de onze anos de idade, fica surdo após um acidente. Depois de perder a audição, o otimista e aventureiro garoto descobre um novo mundo sem som. Fica fascinado pelo mundo das vibrações, após perceber que o hospital onde é tratado é envolto por uma estranha vibração. Murat usa seu novo senso de mundo para descobrir a origem da vibração.

Three (Kolm) (Dir. Eva Kübar) - Kristiina tem vinte e tantos anos e não sabe o que quer de sua vida. De repente, ela é fotografada pelo jovem e audacioso Mattias, levando-a a escolhas difíceis. Quem fará a decisão final - Kristiina ou seu destino?

Paradise (Paradiis) (Dir. Nora Särak) - O documentário “Paradise” é a apresentação poética de Johannes Valk, antigo dono de uma plantação de rosas.

Fly mill(Karbeste veski) (Dir. Anu-Laura Tuttelberg) - O homem que vive em um velho moinho assa pão diariamente e cria patos que deseja um dia libertar. Mas no campo ao lado de sua casa, caçadores atiram em aves.

White square (Belõi kvadrat) (Dir. Ivan Pavljutskov ) - O menino Zakhar desesperadamente tenta participar de uma brincadeira de esconde-esconde com outros garotos do campo. A situação muda depois de Zakhar encontrar a misteriosa Sasha...


20:00 – MOSTRA DIÁLOGO #1

Dia branco (Dir. Thiago Ricarte) - A neblina nas rochas. A fita no arvoredo. Um celular registra a lembrança de estar lá.

O arquipélago (Dir. Gustavo Beck) - Um retrato de uma família que vive na solidão de um mundo inóspito. Uma crônica íntima dos ritmos da vida cotidiana que muda e abre uma janela para uma beleza inesperada.

Carranca (Dir. Wallace Nogueira, Marcelo Matos de Oliveira) - Uma menina, uma carranca, o rio e o medo.

Verona (Dir. Marcelo Caetano) - Dez anos após o rompimento do duo de dance music Verona, Elias volta ao Brasil para reencontrar seu antigo parceiro, Walter, que está prestes a se casar com Filipe. Walter mora em uma casa isolada no meio do mato, túmulo das ambições da juventude e território de outros sonhos incertos.

Se essa lua fosse minha (Dir. Larissa Lewandoski) - Fazendo um paralelo com os participantes do programa espacial, que ficaram conhecidos como "afronautas", na Zâmbia de 1964, o documentário aborda viventes do trecho de uma determinada rua de Porto Alegre.

22:00 ­ Debate (mediador: Fabiano de Souza)

16 de Outubro, Quinta-­feira

18:00 – MOSTRA DIÁLOGO INTERNACIONAL #1

Solecito (Dir. Oscar Ruiz Navia) - Foi durante uma sessão de casting na escola que os dois personagens do filme encontraram o diretor. Cada um contou sua versão de como eles tinham se separado. E se a ficção os ajudasse a voltar?

Symphony No42 (Dir. Réka Bucsi) - Dois ursos polares sentam em cadeiras na margem do rio e pescam, um tiro é disparado. Uma mulher veste uma raposa em volta do pescoço. Ela fuma e assopra a fumaça, tudo fica vermelho. Duas senhoras esperam numa faixa de pedestres onde o tráfico é comandado pelas sinaleiras. Uma delas segura um cão latindo na coleira. A outra pega uma tesoura e corta a coleira. O cão foge. Fim da história, próximo tiro. Uma mulher corta a grama usando um maiô vermelho, deitado na grama em sua frente está um golfinho, respirando o ar.

As Long as Shotguns Remain (Dir. Caroline Poggi, Jonathan Vinel) - Está muito quente. As ruas estão estranhamente vazias. Palmeiras estão secando e as armas chorando. Joshua quer morrer mas não quer deixar seu irmão Maël sozinho. Durante isso tudo, ele se encontra com a gangue: os Icebergues.

Maria (Dir. Mónica Lairana) - Todo o peso da carne de outra pessoa esmaga o corpo inerte de María.


20:00 – MOSTRA DIÁLOGO #2

Castillo y el armado (Dir. Pedro Harres) - Numa noite de ventania, Castillo encontra sua própria brutalidade na linha do anzol.

Bashar (Dir. Diogo Faggiano) - Um tiro de canhão na gloriosa cidade de Aleppo.
O porto (Dir. Clarissa Campolina, Julia De Simone, Luiz Pretti, Ricardo Pretti) - Cais do Vallongo - Cais da Imperatriz - Porto do Rio - Porto Maravilha: camadas de uma cidade assombrada pelo progresso.

Malha (Dir. Paulo Roberto) - E as crenças singulares traduzem essa aproximação violenta de tendências distintas... ... saem das missas consagradas para os ágapes selvagens... Euclides da Cunha (Os Sertões). A violenta materialização de um festejo popular, a malhação do Judas, no interior da Paraíba, onde os credos religiosos de um povo servem de pano de fundo para a entrega visceral ao escárnio profano.

Nua por dentro do couro (Dir. Lucas Sá) - Ela protege sua carne, mas o couro começa a cair.

22:00 ­ Debate (mediador: Marcus Mello)

17 de Outubro, Sexta-­feira

18:00 – MOSTRA DIÁLOGO INTERNACIONAL #2

Rafa (Dir. João Salaviza) - Às seis da manhã Rafa descobre que a mãe está detida pela Polícia.
Na moto de um amigo, cruza a ponte e vai a uma delegacia no centro de Lisboa para visitá-la e esperar pela sua libertação. As horas passam. E Rafa não quer voltar para casa sozinho.

La Reina (Dir. Manuel Abramovich) - Seu vestido é branco e marrom e usa um capacete de quatro quilos. Tiveram que tirá-lo porque não suportava o peso. Sua cabeça caía. Agora já não quer mais que o tirem porque se sente linda.

Uma História para os Modlins (Dir. Sergio Oksman) - Depois de aparecer no filme “O Bebê de Rosemary”, de Roman Polansky, Elmer Modling fugiu com sua família para uma terra distante, onde isolaram-se em um escuro apartamento durante trinta anos.

Washingtonia (Dir. Konstantina Kotzamani) - Washingtonia se inicia quando o coração de uma girafa não mais pode ser ouvido. Washingtonia é um nome alternativo para Atenas, um lugar onde pessoas, bem como animais, são absorvidas pela tristeza do verão devido ao calor. Washingtonia é a única palmeira cujo coração não é devorado pelo besouro vermelho. Pois seu coração é pequeno e seco, e ninguém gosta de um coração pequeno e seco.

20:00 – MOSTRA DIÁLOGO #3

A cor do fogo e a cor da cinza (Dir. André Felix) - Wagner vive na favela e desde os 7 anos de idade é proprietário da Rede Metror, um canal de televisão feito de papel e lápis de cor. Após 11 anos e mais de 70 novelas transmitidas, Wagner dirige pela primeira vez atrizes reais.

Onde não posso ir (Dir. Lygia Santos) - Quanta luz.

Os irmãos Mai (Dir. Thais Fujinaga) - Dois irmãos de origem chinesa saem pelo centro da cidade em busca de um presente para a sua avó. Quanto mais eles caminham, mais longe parecem estar de seu objetivo.

O bom comportamento (Dir. Eva Randolph) - A neblina nas rochas. A fita no arvoredo. Um celular registra a lembrança de estar lá.

Sandra espera (Dir. Leonardo Amaral) - Sandra espera ser convocada para o jogo de sábado, espera o jantar com o pai, espera o encontro marcado.

22:00 ­ Debate (mediador: Vitor Necchi)

18 de Outubro, Sábado

15:00 – MOSTRA CERCANIAS #1

Por onde passeiam tempos mortos (Dir. Felipe Diniz) - Uma pequena equipe de cinema atravessa o Rio Grande do Sul a procura de personagens e histórias .  Uma investigação acerca de um tempo revelado no interior dos espaços invisíveis que contornam as estradas.

Castillo y el armado (Dir. Pedro Harres) - Numa noite de ventania, Castillo encontra sua própria brutalidade na linha do anzol.

O que ficou para trás (Dir. Pedro Guindani) - Anos depois de deixar a casa da família no interior, Daniel recebe uma inesperada visita de seu irmão mais novo, André. Os dois, junto a Paula, namorada de Daniel, embarcarão em uma viagem na qual segredos e lembranças enterrados há muito tempo virão à tona.

Nua por dentro do couro (Dir. Lucas Sá) - Ela protege sua carne, mas o couro começa a cair.

16:30 ­ Debate (mediador: André Araújo)

17:30 – MOSTRA CERCANIAS #2

Caçador (Dir. Rafael Duarte, Taísa Ennes Marques) - Sozinho pela primeira vez, o jovem caçador enfrenta a si mesmo enquanto defende as fronteiras do seu território.

Lola (Dir. Eder Ramos) - A busca para amenizar a solidão tendo o outro como propriedade.

Domingo de Marta (Dir. Gabriela Bervian) - Marta tem 95 anos e espera a família para um almoço de Domingo; mas antes do domingo chegar há o sábado, a sexta, a quinta, a quarta, a terça, a segunda, o silêncio, a chuva, os grilos e as gotas na pia, que reverberam uma a uma, como um relógio sem fim.

Água (Dir. Giulia Góes) - Lucas passa os dias em seu apartamento, tentando lidar com o luto.
Se essa lua fosse minha (Dir. Larissa Lewandoski) - Fazendo um paralelo com os participantes do programa espacial, que ficaram conhecidos como "afronautas", na Zâmbia de 1964, o documentário aborda viventes do trecho de uma determinada rua de Porto Alegre.

19:00 ­ Debate (mediador: Pedro Henrique Gomes)

20:00 – MOSTRA DIÁLOGO #4

Parque Soviético (Dir. Karen Black) - Amor é guerra fria.
Te extraño (Dir. Nathália Tereza) - Acreditar é uma coisa íntima e que não se explica, apenas se sente.

A era de ouro (Dir. Leonardo Mouramateus, Miguel Antunes Ramos) - "Ontem, tarde da noite, fui ao jardim, ver se nosso teatro ainda estava de pé. E ele está lá até hoje."

Ouça o ciclone (Dir. Lucas Camargo de Barros) - Dois-espíritos em São Paulo.

Sem coração (Dir. Nara Normande, Tião) - Léo vai passar férias na casa de seu primo, em uma vila pesqueira. Lá, ele conhece uma menina apelidada de "Sem Coração"

22:00 ­ Debate (mediador: Milton do Prado)

19 de Outubro, Domingo

15:30 – SESSÃO SALA DE ESTAR

Quarto vazio (Dir. Filipe Matzembacher) - A irmã de Pedro vai se mudar, e os quartos estão ficando maiores.

O relâmpago e a febre (Dir. Gilson Vargas) - 50 anos do golpe militar. Uma noite de tormenta. Um homem. Um cão. Uma arma. Um fim. Um recomeço.

Na hora dos morcegos (Dir. Richard Tavares) - Três jovens se reecontram durante o carnaval, só a memória de um passado recente os une e nenhum deles sabe o que quer da vida.

Bagagem (Dir. Davi Pretto) - Ao longo de uma madrugada, um jovem circula com um carro pelas ruas da cidade e tenta se livrar de um peso enorme em sua vida.

Sempre partir (Dir. Leonardo Remor) - Rose vê na vida dos outros a possibilidade de uma nova vida.

O sol lá fora (Dir. Daiane Marcon) - Depois de Vicente ir embora da cidade sem dizer quando volta, Carol tem que lidar com a falta de certezas e a distância.

18:00 – LONGA DE ENCERRAMENTO
Ela volta na quinta (Dir. André Novais), seguido de debate (mediador: Leonardo Bomfim)
Sinopse: Alguém partiu, alguém ficou.

20:30 – Cerimônia de Premiação
 
Sala P. F. Gastal
Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia
Av. Pres. João Goulart, 551 - 3º andar - Usina do Gasômetro
Fone 3289 8133 / 8135 / 8137

Nenhum comentário: