Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 69 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 1 de abril de 2014

Cine Dica: Sessão comentada do filme EM BUSCA DE IARA

Estreia, dia 27 de março, o documentário EM BUSCA DE IARA no CineBancários

   - Terça-feira, 1º de abril, às 19h30: Sessão especial com a presença do diretor, Flavio Frederico e o Professor Oneide Bobsin, membro da Comissão Estadual da Verdade
Mediação: Milton Ribeiro (Sul 21)
ENTRADA FRANCA

  - Em cartaz de 27 de março a 9 de abril - Com cobrança de ingresso: inteira: R$ 6,00 (público geral); meias: R$ 3,00 (para idosos, estudantes, bancários sindicalizados e jornalistas sindicalizados)


Estreia no CineBancários, dia 27 de março, Em Busca de Iara, documentário de Flavio Frederico que resgata a vida de Iara Iavelberg. Jovem estudante de família judia, Iara deixou para trás uma confortável vida familiar para engajar-se na resistência armada à ditadura militar. Vivendo na clandestinidade, conhece o ex-capitão Carlos Lamarca, com quem vive uma intensa paixão até o assassinato de ambos, em 1971. Com cuidadosa pesquisa de documentos, imagens de arquivo e entrevistas, o filme reconstrói, a partir de uma investigação pessoal da sobrinha de Iara, Mariana Pamplona, a vida da guerrilheira e desmonta a versão oficial do regime, que atribui sua morte a um suicídio.
No dia 1º de abril, data que marca os 50 anos do golpe militar de 1964, o CineBancários, em parceria com a Comissão Estadual da Verdade e a Kinoscópio, convidam para a sessão especial de EM BUSCA DE IARA. Estarão presentes o diretor do filme, Flávio Frederico, e o Professor Oneide Bobsin, membro da Comissão Estadual da Verdade, para um bate-papo com o público após a exibição. Milton Ribeiro, jornalista e editor do Sul 21, fará a mediação. A entrada é franca.
2003. Após uma longa e cansativa disputa judicial, a família de Iara Iavelberg consegue o direito de exumar o corpo da guerrilheira para provar que sua morte, ocorrida em 20 de agosto de 1971, não decorreu de um suicídio conforme forjado pela ditadura militar, mas sim de um assassinato cometido pelos orgãos de repressão.
Iara nasceu em São Paulo em 1944 numa família judia. Ingressou no curso de Psicologia da USP em 1963, quando este ainda estava incorporado à Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras na rua Maria Antônia, centro de agitação política. Cativou os amigos e companheiros de militância com sua inteligência, formação política, carisma e simpatia. “O sorriso dela não era de charminho nem convencional ou de estereótipo. Ela sorria inteira, alma e corpo. Havia uma alegria nela da qual o sorriso era a expressão”, lembra o filósofo João Quartim de Moraes.
Teve atuação destacada no movimento estudantil, presidindo a AUEPE (Associação Universitária dos Estudantes de Psicologia), o centrinho, atual Centro Acadêmico Iara Iavelberg da USP. Militou inicialmente na POLOP (Organização Revolucionária Marxista – Política Operária), migrando posteriormente para a VPR (Vanguarda Popular Revolucionária) e MR-8 (Movimento Revolucionário 8 de Outubro). É quando conhece Carlos Lamarca, o capitão que desertou do Exército para ingressar na resistência armada à ditadura. Surge uma intensa paixão que duraria até o assassinato brutal de ambos, mas permaneceria na memória por meio dos diários de Lamarca.
Tomando como ponto de partida a investigação de Mariana Pamplona para recuperar o passado da tia, o documentário Em Busca de Iara reconstrói a vida da guerrilheira em todas as suas facetas. Apoiando-se numa cuidadosa e extensa pesquisa de documentos e imagens, além de entrevistas com os protagonistas da vida de Iara e do Brasil na virada da década de 60, o filme desmonta a versão oficial do suicídio e dá sua contribuição para que revisitemos nosso passado, desmascarando as atrocidades cometidas no período da ditadura militar (1964-1985).
EM BUSCA DE IARA, de Flavio Frederico. Argumento e Roteiro de Mariana Pamplona. Brasil, documentário, 91 minutos. Produtora: Kinoscópio Cinematográfica.

GRADE DE HORÁRIOS

27 de março (quinta-feira)
15h - Em busca de Iara
17h - Em busca de Iara
19h - Em busca de Iara

28 de março (sexta-feira)
15h - Em busca de Iara
17h - Em busca de Iara
19h - Em busca de Iara

29 de março (sábado)
15h - Em busca de Iara
17h - Em busca de Iara
19h - Em busca de Iara

30 de março (domingo)
15h - Em busca de Iara
17h - Em busca de Iara
19h - Em busca de Iara

1 de abril (terça-feira)
15h - Em busca de Iara
17h - Em busca de Iara
19h30 - Sessão comentada de
Em busca de Iara, com o diretor,
Flavio Frederico, e o membro da
Comissão Estadual da Verdade,
Oneide Bobsin. ENTRAFA FRANCA.
Retirada de senhas: 19h

2 de abril (quarta-feira)
15h - Em busca de Iara
17h - Em busca de Iara
19h - Em busca de Iara

3 de março (quinta-feira)
15h - Em busca de Iara
17h - Em busca de Iara
19h - Em busca de Iara

4 de março (sexta-feira)
15h - Em busca de Iara
17h - Em busca de Iara
19h - Em busca de Iara

5 de março (sábado)
15h - Em busca de Iara
17h - Em busca de Iara
19h - Em busca de Iara

6 de março (domingo)
15h - Em busca de Iara
17h - Em busca de Iara
19h - Em busca de Iara

8 de março (terça-feira)
15h - Em busca de Iara
17h - Mostra Ói Nóis Aqui Traveiz
19h - Mostra Ói Nóis Aqui Traveiz

9 de março (quarta-feira)
15h - Em busca de Iara
17h - Mostra Ói Nóis Aqui Traveiz
19h - Mostra Ói Nóis Aqui Traveiz

Nenhum comentário: