Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 69 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Cine Especial: OS MELHORES VILÕES DAS HQ PARA O CINEMA

O que seriam de nossos heróis sem os seus vilões, que por vezes roubam a cena em determinadas HQ. No cinema não é muito diferente e os produtores e diretores sempre procuram um bom ator para passar algo de desafiador na tela, que por vezes nos encanta. Pensando nisso, solto abaixo os dez melhores vilões das HQ transportados para o cinema em minha opinião.   
CORINGA (Heath Ledger)

Não tem pra ninguém e durante muito tempo será assim. Ledger não só nos brindou com a melhor encarnação do Coringa no cinema, como também é um dos melhores vilões da historia do cinema recente. Se inspirando nas melhores HQ do personagem (Piada Mortal e asilo arkham) e outros vilões do cinema (como Alex de Laranja Mecânica), Ledger cria um Coringa que lembra muito sua contra parte da HQ, mas que ao mesmo tempo possui uma originalidade fresca e que nos impressiona a cada momento que ele surge em cena em Cavaleiro das Trevas.


MAGNETO (Ian McKellen e Michael Fassbender)

Erik Lehnsherr / Magneto é um personagem tão complexo do universo X, que foi preciso não de um, mas dois grandes interpretes para dar uma vida digna no cinema. Na trilogia iniciada em 2000, Eric ganha corpo e elegância através de Ian McKellen, que soube passar a determinação e persistência do personagem em querer salvar a sua raça mutante, nem que para isso tenha que exterminar os humanos. Já no passado (X-Men: Primeira Classe) conhecemos mais a fundo a tragédia grega que o personagem passou durante a segunda guerra e seu desejo de vingança ganha proporções arrasadoras na pele do versátil Michael Fassbender (Chame).


LOKI  (Tom Hiddleston)

Muitos consideram o primeiro filme de Thor como o pior da primeira leva de filmes da Marvel comandada pela própria editora. Se for realmente o caso, não deixa de ser irônico então sair daquele filme, um dos vilões mais imprevisíveis, carismáticos, traiçoeiros e carentes dos últimos tempos. Na primeira aventura solo do herói, Tom Hiddleston roubava a cena toda vez que surgia, mas foi em Vingadores que o astro ficou mais a vontade e explorando cada vez mais e mais as camadas que o personagem guardava dentro de si.
No ultimo filme (Mundo Sombrio) Tom Hiddleston é realmente o grande astro da produção, tanto que o final se encerra com ele e deixando mais perguntas do que respostas sobre qual será a próxima artimanha do personagem.


Dr David Banner (Nick Nolte)

Nas HQ, Bruce Banner havia sido espancando quando criança pelo seu próprio pai, fazendo com que isso trouxesse conseqüências no futuro e gerando então duas personalidades do personagem quando está transformado (Hulk verde e cinza). Essa historia se fortaleceu mais nos anos 90 nas mãos do roteirista Peter David e isso serviu de inspiração para o filme de 2003, em que o maior inimigo do herói era o seu próprio pai. Não porque espancava o herói  quando ele era pequeno, mas porque ele mesmo o criou para ser o gigante esmeralda.
Nick Nolte soube dosar os momentos de loucura e culpa que o personagem sente, passando então um lado muito complexo e difícil de se analisar numa primeira olhada. O seu desabafo durante a conversa com Betty Ross (Jennifer Connelly), que ao mesmo tempo surgem cenas do trauma de infância do pequeno Bruce Banner, está entre os melhores momentos de todo o filme.


Duas Caras (Aaron Eckhart)

Duas caras sempre foi um dos vilões mais trágicos da imensa galeria de vilões do homem morcego e levá-lo para o cinema precisava de um tratamento especial. Em Cavaleiro das Trevas, o vemos ainda como promotor público, interpretado por Aaron Eckhart (O Amor Acontece), mas que gradualmente assistimos a sua queda em meio ao caos que a cidade sofre nas mãos do Coringa.  Aaron Eckhart pode até ter ficado meio que eclipsado devido à estupenda interpretação de Heath Ledger, mas o seu desempenho foi digno de nota e trouxe de volta a dignidade que o personagem havia perdido no horrível Batman Eternamente quando foi interpretado por um surtado Tommy Lee Jones.  



Roark Junior (Nick Stahl)

“Asqueroso” é o melhor termo para definir o que é esse personagem saído da cabeça de Frank Miller. Vilão do arco Assassino Amarelo de Sin City, Roark Junior captura, estupra, espanca e assassina meninas inocentes e sai ileso por ser filho de um político corrupto. Para o cinema, a caracterização do personagem é idêntica e ganhou vida na interpretação de Nick Stahl (Entre Quatro Paredes).    


Sebastian Shaw (Kevin Bacon)

Shaw nunca foi um grande vilão do universo X, mesmo tendo participado de uma das sagas mais importantes das HQ que foi Fenix. Mas em X-Men: Primeira Classe ele ganha uma nova roupagem e uma importância maior, pois acaba se tornando uma espécie de criador de Magneto durante a segunda guerra. Kevin Bacon já havia demonstrado seus dotes de um ser perverso em O Homem Sem Sombra, mas aqui ele se sai muito melhor e criando uma personalidade superior do personagem se comparado com a sua contra parte da HQ.


Doutor Octopus (Alfred Molina)

De um vilão megalomaníaco, Doutor Octopus foi ganhando mais complexidade nas HQ, ao ponto de conhecermos até mesmo suas frustrações e amores perdidos. Para o cinema, muito disso foi levado e muito bem aproveitado na pele de Alfred Molina (Magnólia), que surge como um cientista e espécie de modelo para Peter Parker seguir. A sua queda e a cena de horror que comete contra os médicos em um hospital é digna de nota. Assim como o seu confronto contra o herói em cima de um trem, que entrou para á historia entre as melhores cenas de ação do cinema. 


Pingüim (Danny DeVito)

Por enquanto, a melhor versão do Pingüim para o cinema ainda continua pertencente à visão pessoal que Tim Burton havia criado para o personagem em 1992. Embora com uma origem bizarra (abandonado pelos pais e criado por Pingüins!) o personagem ganha uma versão que lembra o vilão do clássico do filme expressionista O Gabinete do Dr. Galigari e uma personalidade sarcástica criada pelo próprio Danny DeVito, em sua melhor interpretação na carreira.


General Zod (Michael Shannon)


Embora ainda goste muito de Terence Stamp interpretando o personagem nos filmes estrelados por Christopher Reeve, foi no recente O Homem de aço que ele ganha uma personalidade melhor construída. Aqui ele não quer somente conquistar, mas também tentar manter vivo Krypton custe o que custa, mesmo que para isso destrua a terra, pois foi destinado a fazer. Michael Shannon (O Abrigo) se sai muito bem ao passar toda a obstinação e fúria que o personagem passa e explodem na tela. Principalmente no ato final onde acontece uma das maiores super brigas do cinema recente.  



Me sigam no facebook e witter.

5 comentários:

LEO disse...

Ótimo post... daria uma bela série de matérias até devido à grande quantidade de bons vilões nos filmes de gibis!!!

e concordo qto ao Sebastian Shaw: a versão do Kevin Bacon ficou bem superior à do gibi!!!

Abs!

LEO disse...

Particularmente tbm gosto dos vilões dos 2 primeiros filmes do "Homem de Ferro": Jeff Bridges, Mickey Rourke, e Sam Rockwell (todos perfeitos - e engraçados - como vilões fracassados e com intelecto inferior à sombra do Stark)!!!

Abs!

Marcelo Castro Moraes disse...

Valeu muito a sua opinião leo

Bússola do Terror disse...

Interessante que, na religião viking praticada pelos antigos, Loki é o deus do mal.
No filme, parece que tentaram humanizar mais ele, né?

Marcelo Castro Moraes disse...

ai que esta o segredo do sucesso, deixa-lo mais humano e falho em suas acoes