Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 69 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Cine Dica: CineBancários reabre suas portas com o filme Quando eu era vivo, dirigido por Marco Dutra

Adaptação do romance de Lourenço Mutarelli, A arte de produzir efeito sem causa, conta com a atuação de Antonio Fagundes, Marat Descartes e Sandy.

Em cartaz de 4 a 16 de fevereiro

Entra em cartaz no CineBancários dia 4 de fevereiro, com três sessões diárias, o filme Quando eu era vivo, adaptação do romance de Lourenço Mutarelli, A arte de produzir efeito sem causa. O filme permanece em cartaz até 16 de fevereiro, com ingressos a R$ 6,00 para o público geral e R$ 3,00 para bancários e jornalistas sindicalizados, estudantes e idosos.
Dirigido por Marco Dutra, produzido pela RT Features e com distribuição da Vitrine Filmes, Quando eu era vivo é um longa que fala sobre complexas relações familiares e a impossibilidade de recuperar o passado, sob um inusitado viés de suspense.
O filme é baseado no livro A arte de produzir efeito sem causa, de Lourenço Mutarelli, um dos mais sólidos escritores brasileiros contemporâneos, e carrega o tom sombrio e opressivo de toda a obra do autor, remetendo a influências como Kafka e Dostoiévski, amparado em imagens misteriosas que Mutarelli acrescenta ao romance.

A história do livro e do filme gira em torno de Júnior, que, após um divórcio traumático, busca abrigo na casa do pai, Sênior, com quem mantinha uma relação distante. Lá, nada lembra o lar em que viveu quando jovem. 
O pai se tornou um homem estranho, rejuvenescido à base de exercícios físicos e bronzeamento artificial. Os objetos e fotos da mãe, morta há alguns anos, foram encaixotados e trancados no quartinho dos fundos. No quarto que dividia com o irmão, Pedro, agora vive a inquilina Bruna, jovem estudante de música que veio do interior para fazer faculdade. Após encontrar objetos que remetem ao passado e à sua mãe, Júnior desenvolve uma obsessão pela história de sua família e tenta recuperar algo que aconteceu em sua infância e que, até hoje, o assombra.


Mais informações e horários das sessões, vocês conferem na pagina da sala clicando aqui. 


Me sigam no facebook e witter.

Nenhum comentário: