Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 69 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Cine Dica: HOMENAGEM A VÉRA CLOUZOT NA SALA P.F. GASTAL


Esposa e musa de Henri-Georges Clouzot, um dos grandes nomes do cinema clássico francês, a brasileira Véra Clouzot completaria cem anos em 2013. Entre os dias 3 e 12 de dezembro, a Sala P.F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar), em parceria com a Embaixada da França, a Cinemateca da Embaixada da França no Brasil e o Institut Français, homenageia a atriz e exibe O Salário do Medo e As Diabólicas, além de A Verdade, filme que conta com sua contribuição no roteiro. O ciclo ainda apresenta uma cópia em 35mm de Ciúme – O Inferno do Amor Possessivo, de Claude Chabrol, adaptação do roteiro de Inferno, célebre filme inacabado de Clouzot de 1964.
Vera Gibson Amado, filha de Gilberto Amado com Alice do Rego Barros Gibson, nasceu em 1913 no Rio de Janeiro. Em 1941 conheceu o ator francês Léo Lapara, membro da companhia de teatro de Louis Jouvet que excursionava no país durante a Segunda Guerra. Vera casou-se com o ator, participando da turnê da companhia na América do Sul que durou quase quatro anos. Após a Segunda Guerra Mundial, Vera se estabeleceu em Paris. Louis Jouvet assumiu a direção do Teatro Athenée, enquanto ela continuou a fazer pequenos papéis. Em 1947, quando Lapara desempenhava um papel no filme Crime em Paris, Vera conheceu o cineasta Henri-Georges Clouzot. No ano seguinte, os dois já estavam casados, iniciando uma parceria amorosa e profissional que rendeu alguns clássicos do cinema francês.       
Em maio de 1950, Clouzot e Vera vieram ao Brasil. O cineasta francês pretendia fazer um filme em um ano, mas acabou realizando uma reportagem para a Paris Match sobre o candomblé, As possuídas da Bahia, publicada em maio de 1951 como uma parte exclusiva de um livro que Clouzot lançaria posteriormente. Vera Clouzot atuou nos filmes O Salário do Medo (1953), com Yves Montand e As Diabólicas (1955), com Simone Signoret, e o raro Os Espiões (1957). Morreu aos 46 anos, em 1960, vítima de um ataque cardíaco. Ainda colaborou no roteiro de A Verdade (1960), filme de Clouzot protagonizado por Brigitte Bardot.


Mais informações e horários das sessões, vocês conferem na pagina da sala clicando aqui.

  
Me sigam no facebook e twitter.

Nenhum comentário: