Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 69 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Cine Dica: Em Cartaz: 9º Festival de Verão 2013: Eu Não Faço a Menor Ideia do Que Eu Tô Fazendo Com a Minha Vida


Sinopse: Clara (Clarice Falcão) está indecisa em relação às suas escolhas. A jovem está cursando a faculdade de Medicina por pressão familiar e não por vocação. Sem contar para ninguém o que está sentindo, ela passa a matar aulas no período da manhã. Durante essas aventuras matutinas, Clara conhece um rapaz que a ajuda a encontrar um norte para sua vida.
  
Adolescentes sempre se sentem perdidos com inúmeras perguntas, que por vezes são sem respostas e que os deixam confusos com relação ao que irá vir no futuro, especialmente sobre o que irá ser na vida. Esse é o assunto principal  de Eu Não Tenho A Menor Ideia Do que Eu Tô Fazendo Com A Minha Vida, onde a protagonista Clara (Clarrisse Falcão) não foge desses questionamentos. Estudante de medicina que pertence a uma família composta por médicos, ela começa a matar aulas ao perceber que não quer ser médica como o resto da família.
Em um dos dias em que ela não vai a faculdade, acaba conhecendo Guilherme (Rodrigo Pandolfo) rapaz que trabalha no boliche do pai e que de alguma forma lhe ajuda a criar inúmeras opções consigo mesma para então voltar aos trilhos na vida. Ele sugere que ela faça experiências para ver qual o caminho a trilhar, qual carreira ela poderia seguir, em momentos como no café da manhã, em que ela toma com os seus tios, onde cada um é profissional em uma área, mas que foram distanciados pelo pai de Clara.
Os tios na verdade é que dão um verdadeiro show no filme. Formado por incríveis talentos, como Daniel Filho, Kiko Mascarenhas, Leandro Hassum e Alexandre Nero. O tio interpretado por Leandro Hassum é que rouba a cena de todos, como um pediatra que tem uma relação pra lá de problemática com a mãe.     
O filme é pra lá de simplório, sendo filmado com pouquíssimos recursos, mas com um roteiro redondinho e com uma fotografia, onde as cores quentes sobressaem e uma trilha sonora escolhida a dedo. A trama é voltada mais para o publico jovem, especialmente essa geração viciada nas redes sociais e fará que inúmeras pessoas se identifiquem rapidamente. Identificação é palavra chave do filme, pois não tem como não se identificar com a protagonista interpretada por Falcão, que de tão cheia de duvidas, que quando manda um vídeo para poder entrar no BBB, ela sugere que seja uma competidora sem personalidade nenhuma.         
O personagem de Rodrigo Pandolfo se torna, não apenas um guia para o protagonista, como também uma espécie de ancora para ela não cair na mais pura depressão sobre não saber o que quer. Ela está sem rumo, seus pais não possuem noção com relação ao que acontece na vida de sua filha e tão poucos sabem que ela esta passando por uma crise.
O diretor Matheus Souza tem apenas 24 anos, mas já havia chamado a atenção do cinéfilo mais antenado e da critica especializada a partir do filme Apenas O Fim. Ambas as obras possuem uma linguagem jovem, mas que nada lembra as comedias americanas com adolescentes, que por vezes são vazias e descartáveis.  
Embora possa ser lançado em poucas salas de cinema, não me admira que o filme venha a ser cultuado, assim como ocorreu na primeira obra do diretor.


Me sigam no facebook e witter. 

Nenhum comentário: