Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 66 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

sexta-feira, 30 de março de 2012

Cine Dicas: Estreias no final de semana (30 03 12)



Enfim, chegamos a um final de semana e esse mês de março, no qual aproveitei bastante, graças ao curso sobre Tarantino e aos eventos cinematográficos como os 15 anos de Curtas nas Telas. Nesse finalzinho de mês, Rodrigo Santoro ataca no elogiado Heleno, que promete ser um grande sucesso de publico. O Lorax é a bola da vez em termos de qualidade de filmes de animação e com certeza será um grande sucesso por aqui, assim como foi nos EUA. Destaco a tão esperada estréia de Um Método Perigoso, que já deveria ter estreado por aqui, mas sabem como é a distribuidora só deu mancada, mas antes tarde do que nunca. Por fim, a filmes que eu dispenso por completo e Fúria de Titãs 2 é um deles, mas se alguém quiser arriscar, se sirvam, pois eu dispenso.
Lembrando (se der tudo certo), que semana que vem, começarei os meus especiais por aqui, sobre o cinema japonês, que é com relação ao próximo curso do CENA UM que irei participar, portanto fiquem de olho sobre o que eu escreverei por aqui sobre os filmes do oriente. Confiram as estreias: 

   UM MÉTODO PERIGOSO
Leia minha critica sobre o filme, dentro do especial sobre David Cronenberg clicando aqui

Heleno
Sinopse: Heleno de Freitas era o príncipe da era de ouro do Rio de Janeiro os anos 40 quando a cidade era um cenário de sonho cheio de glamour e promessas. Bonito charmoso e refinado nos salões elegantes era um gênio explosivo e apaixonado nos campos de futebol. Heleno tinha certeza de que seria o maior jogador brasileiro de todos os tempos. Mas a guerra a sífilis e as desventuras de sua vida desviaram seu destino numa jornada de glória e tragédia.


O Lorax-Em Busca da Trúffula Perdida
Sinopse: O menino Ted descobriu que o sonho de sua paixão a bela Audrey é ver uma árvore de verdade algo em extinção. Disposto a realizar este desejo ele embarca numa aventura por uma terra desconhecida cheia de cor natureza e árvores. É lá que conhece também o simpático e ao mesmo tempo rabugento Lorax uma criatura curiosa preocupada com o futuro de seu próprio mundo.


A Dançarina e o Ladrão
Sinopse: No longa A Dançarina e o Dragão, Ricardo Darín (de Um Conto Chinês e O Segredo dos Seus Olhos) é o veterano Vergara Grey, um famoso ladrão de caixa-forte. Assim como o jovem Ángel Santiago (Abel Ayala), Vergara é um beneficiado da anistia geral decretada pelo presidente do Chile após a chegada da democracia ao país. De volta à liberdade, os dois têm planos bem diferentes. Enquanto Grey que reencontrar a família, Santiago quer dar um grande golpe para se vingar. No entanto, os caminhos da dupla se cruzam com o da jovem Victória (Miranda Bodenhöfer), que vai transformar a vida deles.



Meu Primeiro Casamento
Sinopse: filme argentino de maior bilheteria em 2011 Meu Primeiro Casamento traz as confusões das bodas de Adrian (Daniel Hendler) e Leonora (Natalia Oreiro).Muito nervoso com a data tão especial, Adrian acaba cometendo um pequeno erro no dia do seu casamento, mas, na tentativa de amenizar a situação, oculta o fato de sua noiva.Porém, isso pode não dar muito certo e, tanto a festa, quanto a união do casal, correm o risco de terminar mal.


Habemus Papam
Sinopse:O novo papa eleito (Michel Piccoli) sofre um ataque de pânico no momento em que deveria aparecer na varanda da Praça de São Pedro para saudar os fiéis que esperaram pacientemente o veredito do conclave. Seus conselheiros incapazes de convencê-lo de que é o homem certo para ocargo procuram a ajuda de um conhecido psicanalista ateísta (Nanni Moretti). Mas o medo da responsabilidade que a confiança que lhe foi depositada representa é algo que só ele mesmo poderá enfrentar.


Fúria de Titãs 2

Sinopse: Uma década após ter derrotado heroicamente o monstro Kraken Perseu o semideus filho de Zeus tenta levar uma vida mais tranquila como pescador e pai de Helio um menino de 10 anos. brEnquanto isso uma luta pela supremacia surge entre os deuses e os Titãs. Perigosamenteenfraquecidos pela falta de devoção dos humanos os deuses estão perdendo o controle sobre os Titãs encarcerados e sobre seu feroz líder Cronos pai dos irmãos Zeus Hades e Posseidon há muito no poder. O triunvirato havia derrubado seu poderoso pai há muito tempo deixando-o apodrecer no sombrio abismo do Tártaro um calabouço que fica nas profundezas do cavernoso submundo. brPerseu não pode ignorar sua verdadeira vocação quando Hades juntamente com o filho divino de Zeus Ares quebra sua lealdade e faz um acordo com Cronos para capturar Zeus. A força dos Titãs aumenta ainda mais quando os poderes divinos restantes de Zeus são desviados e o inferno é desencadeado na Terra. brCom a ajuda da rainha guerreira Andrômeda do filho semideus de Posseidon Ageno e do deus caído Hefesto Perseu embarca bravamente em uma perigosa busca no submundo para derrotar os Titãs e salvar Zeus e a humanidade.




Me Sigam no Facebook e Twitter:

Cine Dicas: Casa de Cultura Mario Quintana exibe grandes vencedores do Oscar 2012

Além das estreias dessa semana, a Casa de Cultura Mario Quintana, começa a exibir hoje em suas salas, A Invenção de Hugo Cabret e A Separação. O primeiro, Martin Scorsese presta uma homenagem aos primórdios do cinema, com tecnologia de ponta. Já o filme do Irã, A Separação, bate de frente com o governo e os costumes atuais de lá, e ganhou (merecido) o Oscar de filme estrangeiro. Confiram as minhas criticas já publicada em cada filme: 

Sala Eduardo Hirtz: A Invenção de Hugo Cabret
Leia minha critica já publicada clicando aqui.   

    Sala Paulo Aumorim: A Separação 
 Leia minha critica já publicada clicando aqui   

Mais informações sobre as sessões, vocês conferem no site da Casa de Cultura clicando aqui. 


Me Sigam no Facebook e Twitter:

quinta-feira, 29 de março de 2012

Cine Especial: AS INSPIRAÇÕES PARA UM JOGO VORAZ

Jogos Vorazes está ai em cartaz, fazendo um merecido sucesso de bilheteria, mas existem dois erros quando se fala neste filme. Primeiro é quando ficam fazendo comparações a outras franquias como Harry Potter e a famigerada saga Crepúsculo, já que essa aventura futurística, de nada tem haver com essas duas tramas citadas, apenas são todos de origem literária. E a segunda é o enredo, que embora ótimo, não é assim tão original como muita gente acha, pois já vimos certos elementos característicos desse filme em outras produções. Quem é cinéfilo antenado, vai logo se lembrar de inúmeros filmes, e no meu caso, cito esses abaixo, que são claros exemplos, e que com certeza, serviram de inspiração, tanto para a obra literária, como para sua versão cinematográfica. Confiram:

Fahrenheit 451
Sinopse: Guy Montag (Oskar Werner) é um bombeiro que vive numa solitária e isolada sociedade, em que os livros são proibidos pelo Governo. É seu dever queimar todo livro que tenha sido visto pelas autoridades ou denunciados pelos informantes. Montag acaba se envolvendo com Clarisse (Julie Christie), uma apaixonada pela literatura, o que o leva a ler livros de forma clandestina. É através deste relacionamento que Montag passa a questionar os motivos que justificam a determinação do governo de queimar toda e qualquer obra literária.
Embora lançado em 1966, o filme continua mais atual do que nunca. Baseado na obra de mesmo nome do escritor norte-americano Ray Bradbury. O filme é considerado por muito cinéfilos o melhor do gênero da ficção científica de todos os tempos. O filme toca em um assunto espinhoso que é a censura contra a cultura, mais precisamente contra os livros, onde em um futuro, todos eles são pegos e queimados.
A trama é uma critica forte contra os meios de comunicação como a televisão, que emburrece  cada vez mais e mais a civilização. Na trama, acompanhamos personagens que vivem meio que zumbis, numa sociedade controlada a cada 24 horas, mas que pouco se importam com isso. François Truffaut disse numa determinada época, que não ficou muito satisfeito no resultado final desse filme, sendo que esse foi o primeiro e ultimo filme dele em língua inglesa. Segundo as suas próprias palavras, ele gostava bem mais na versão dublada em francês, o que não deixa de ter uma certa lógica, já que o diretor fez praticamente todos os seus filmes na frança, e a linguagem exercida na trama, soaria bem melhor mesmo em seu país de origem.
Criticas a parte, não importa qual língua o filme esteja, sendo que à mensagem que passa funciona até hoje, principalmente com seu final cheio de esperança, que prova que não importa qual poder existe ou existira que queira nos dominar, ele jamais irá nos tirar o nosso conhecimento, enquanto nos estivermos firmes com os nossos desejos pelo saber!  

1984
Sinopse: O filme trata de um país fictício chamado Oceania que está em constante guerra e para manter a máquina de guerra funcionando, o povo é oprimido e controlado de forma absoluta. Com televisores em todos os lugares (inclusive nos quartos dos cidadãos) para controlar cada passo, evitando assim que uma revolta ecloda, ao mesmo tempo que permite o controle absoluto através do Big Brother, um ser “superior” que cada cidadão de Oceania dedica sua vida.
Escrito em 1948, e adaptado para o cinema em 84, o filme sendo visto hoje em 2012, acaba sendo meio injusto com ele, pois de lá para cá, milhares de filmes, sobre um futuro onde a sociedade é oprimida e privada de emoção e que vive sob um regime autoritário e alienista, já está mais do que batida, sendo que recentemente isso foi visto em V De Vingança. Contudo, os produtores foram espertos em lançar o filme justamente em abril de 1984, criando então, um verdadeiro contraste dos fatos fictícios contados na tela, se comparado com a realidade daquele ano. Outro fator interessante é a concepção de Big Brother, que no filme é algo temerário. Hoje em dia é um programa de TV onde as pessoas se divertem assistindo aos outros, nada de chocante. Em termos reais, muitas cidades do mundo estão repletas de câmeras com o intuito de segurança. Será que estamos entrando no esquema que o filme e o livro tanto nos intimidam?
De qualquer forma, só por estar com a idéia envelhecida, não significa que o filme é desatualizado. O conceito de estar sempre em guerra, para que com isso, justificar as constantes necessidades que a população sofre. Sem contar o controle através da raiva comum e do medo constante de ser dedurado por algum vizinho ou colega de trabalho. As atuações são boas, com destaque para a atuação de Richard Burton, em seu último filme. John Hurt também está bem como o amargurado e o questionador Wiston. O interessante no filme, é que acima de tudo seja realista, no que diz respeito ao ser humano. Não há aqueles heróis imbatíveis, já que Wiston questiona o sistema, mas tem medo de ser descoberto e torturado por suas “idéias revolucionárias”.


O SOBREVIVENTE (1987)
Sinopse: No futuro, prisioneiro é obrigado a participar de jogo de TV violento em que enfrenta gladiadores high-tech em terreno cercado.
Disparado um dos piores filmes da carreira de Arnold Schwarzenegger, mas que antecipava alguns temas que viria há surgir anos depois, como o famigerado reality show. A produção ganhou certo reconhecimento por ser baseado numa obra de Steven King, mas o filme envelheceu muito mal ao longo dos anos. Se muitas pessoas criticam a estética dos anos 80, é porque ainda não viram esse, que é com certeza o pior exemplo daquele tempo. O visual futurístico acabou se tornando muito datado, e por incrível que pareça, o culpado é justamente Blade Runner, pois a obra prima de Ridley Scott se tornou exemplo de como poderia ser um futuro apocalíptico, só que, nem todos os filmes esse visual funcionaria, e com o Sobrevivente funcionou tudo errado, com  direito a um pijama laranja que o protagonista usa.   
O filme só não prejudicou a carreira do ator, porque ele foi lançado em meio a outros sucessos do astro na época, como O Predador e Vingador do Futuro! 



Me Sigam no Facebook e Twitter:  

quarta-feira, 28 de março de 2012

NOTA: EM BREVE NO MEU BLOG....


Cine Dica: Em DVD: Esses Amores

Sinopse: Ilva Lemoine (Audrey Dana) é uma mulher fácil de se apaixonar. Em plena França dominada pelos alemães, durante a 2ª Guerra Mundial, ela se apaixona por um nazista, o que indiretamente leva à morte de seu pai. Posteriormente, já com a França libertada, ele precisa responder sobre sua ligação com o regime nazista e é salva por dois soldados americanos, um branco e um negro. Ilva se apaixona por ambos, simultaneamente. Sua incapacidade de escolher apenas um faz com que os até então amigos iniciem uma disputa particular.
Antes mesmo da Invenção de Hugo Cabret e O Artista serem lançados, Esses Amores (de 2010), dirigido pelo francês Claude Lelouch, homenageia a sétima arte de uma forma bem romântica, em meio a historias de amores impossíveis e os conflitos da segunda guerra mundial. O filme em si, é uma homenagem a todos os loucos pela sétima arte, mas também uma declaração de amor aos sete filhos do diretor, ou seja, um filme bem pessoal. Mantendo um requinte de super produção, assim como o seu filme Retratos da Vida (1981), o publico acompanha as idas e vindas da protagonista Ila (Audrey Dana), uma lanterninha de cinema e seus amores: De um universitário, á um oficial alemão, de uma dupla de amigos soldados, para então, um advogado francês, que acaba sendo sua única salvação para se salvar de um crime que (talvez) não cometeu.
Em meio a conflitos amorosos, amores correspondidos (ou não) e o estouro da segunda guerra, o cinema serve de pano de fundo, ou até mesmo como desculpa, para o encontro de determinados personagens se conhecerem na trama. Os melhores momentos são quando a sétima arte se torna o astro da tela. Exemplos como os fatos históricos sendo colocada na trama, como a transição do cinema mudo para o falado, ou quando grandes clássicos do cinema surgem na tela de um cinema francês (como no caso E o vento Levou). O filme como um todo, nada mais é do que uma declaração de amor que Lelouch faz ao cinema e de sua própria filmografia que criou ao longo desses anos, e se alguma pessoa tem duvida sobre isso, espere para ver o ato final. Simples, mas emocionante!    


Me Sigam no Facebook e Twitter:  

terça-feira, 27 de março de 2012

Cine Especial: CANTANDO NA CHUVA: 60 ANOS DEPOIS


A MAIS DE MEIO SÉCULO, ESTREAVA O FILME QUE MELHOR DRADUZIA SOBRE A TRANSIÇÃO DO CINEMA MUDO PARA O FALADO!

Sinopse: Don Lockwood (Gene Kelly) e Lina Lamont (Jean Hagen) são dois dos astros mais famosos da época do cinema mudo em Hollywood. Seus filmes são um verdadeiro sucesso de público e as revistas inclusive apostam num relacionamento mais íntimo entre os dois, o que não existe na realidade. Mas uma novidade no mundo do cinema chega para mudar totalmente a situação de ambos no mundo da fama: o cinema falado, que logo se torna a nova moda entre os espectadores. Decidido a produzir um filme falado com o casal mais famoso do momento, Don e Lina precisam entretanto superar as dificuldades do novo método de se fazer cinema, para conseguir manter a fama conquistada.
Um dos melhores filmes de todos os tempos. Apresenta, sempre com grande perfeição, coreografias inigualáveis, canções românticas, cômicas, inesquecíveis e desempenhos extraordinários de todo o elenco. Entre uma piada antológica e outra, Reynold e Hagen brilham: O Connor "dança" com um boneco (e apanha dele), em uma seqüência, que até hoje muitos ficam se perguntando se o ator não se machucou ao fazê-la. Kelly chapinha na água da chuva, numa das melhores cenas da historia do cinema. Essa cena, é um daqueles momentos antológicos que ficam no imaginário de cada cinéfilo que assiste, sendo que esse momento se tornou tão clássico, que mesmo a pessoa que nunca assistiu o filme, só vendo ela, já sabe de qual filme pertence.   
 Charisse exibe toda a sua beleza (com a mais belas pernas da historia do cinema) e sensualidade no balé final. A mais gostosa aula de como se faz um musical, sendo que no cinema atual, é uma pena que a maioria não saiba mais como realmente se faz!    

Curiosidade: A chuva que aparece no filme enquanto Gene Kelly canta "Singin'in the rain" na verdade não apenas água, mas sim uma mistura de água com leite;
Gene Kelly estava com febre durante as filmagens da famosa cena em que canta "Singin'in the rain";


Me Sigam no Facebook e twitter:

Cine Curiosidade: Parabéns Quentin Tarantino


Nem faz um mês que eu participei do curso sobre esse homem e me vem a noticia que ele está completando 49 anos hoje. Bom, feliz aniversário Quentin, muitos anos de vida e abaixo, coloco um replay com tudo que eu escrevi antes do curso! 


Me sigam no Facebook e Twitter:


Cine Dica: Em DVD: Uma Vida Melhor


Sinopse: Um jardineiro latino do leste de Los Angeles luta para manter o equilíbrio entre trabalhar com paisagismo para os ricos da cidade e manter seu filho longe das gangues e agentes de imigração.
Para  um diretor que saiu da famigerada saga Crepúsculo (ele fez Lua Nova), Chris Weitz até que se deu bem ao dirigir esse filme. Embora todas ás qualidades da produção estivesse nas costas do ator Demián Bichir (indicado ao Oscar), onde ele passa todos os sentimentos que sente através do seu olhar, onde nos sentimos a trajetória que ele percorreu até aquele momento. O filme também vale pelo ótimo desempenho do jovem ator José Julian, que fez o filho do protagonista, sendo que durante a trama, vive num grande dilema, em seguir o seu pai e no que ele pede, aja o que houver, ou cair na tentação de entrar na gangue do seu amigo.
Ambos em cena possuem uma química perfeita, onde nos identificamos com a relação de pai e filho e compreendemos quando eles encaram a realidade nua e crua deles naquele mundo, que se diz "a terra das oportunidades", quando na verdade, cada vez mais e mais estrangeiros se acumulam as escondidas, sem ter a oportunidade de trabalhar ou ter o direito de ser um cidadão americano. Embora o final se aproxime á soluções fáceis, o final deixa em aberto para inúmeras interpretações sobre os destinos dos protagonistas, criando assim um verdadeiro reflexo, sobre o futuro indefinido de qualquer latino que deseja mudar de vida em território americano!  

Me sigam no Facebook e Twitter:

segunda-feira, 26 de março de 2012

Cine Dicas: Em Cartaz (26/03/12)

Jogos Vorazes já está em cartaz (aguarde por minha critica), mas se quiserem ir contra maré, boas opções é o que não falta na capital gaucha. Seja para aqueles que querem ver uma obra prima, ou um filme politicamente incorreto e completamente louco. Confiram:    

Pina 3D
A ARTE E A TECNOLOGIA, UNIDAS COM UM ÚNICO PROPOSITO!


Sinopse: Pina é um filme para Pina Bausch coreógrafa alemã que morreu em 2009. Primeiro filme de arte em 3D convida o espectador para uma incrível viagem visual da descoberta de uma nova dimensão no palco da legendária companhia de dança Tanztheater Wuppertal Pina Bausch que vai além do próprio teatro: para as ruas e paisagens industriais de Wuppertal -- o lugar que foi o centro de inspiração do trabalho de Pina Bausch por mais de 35 anos.
Wim Wenders pode ter poucos titulos (Asas do Desejo e Paris Texas são um deles), mas são o suficientes para ganhar o respeito do cinefilo, e que acabara sempre ganhando mais, após todos assistirem a esse filme visualmente magnifico. Desde que o diretor conheceu a obra de Pina Bausch, ele procurou desde então, uma forma de criar um filme e passar o maximo possivel, esse universo magico da dança misturada com musica erudita, que por vezes, se confunde com um quadro em movimento. Infelismente, Pina Bausch partiu cedo em 2009 devido a um cançer fulminante, mas em vez de fazer abandonar o projeto, Wenders seguiu adiante, criando uma especie de peça filmada, juntando num unico filme, os melhores momentos da companhia de dança Tanztheater.
Mesmo se o filme fosse mostrar somente as peças que Pina havia criado, o filme já seria imperdivel, mas o diretor ousou em filmar em 3D, e o resultado final é de se impressionar, seja quando as dançarinas se molham, se sujam, se movimentam ao limite, as cenas se tornam tão organicas com essa ferramenta, que por um momento, ficamos dentro do palco com eles. É dificil dizer qual é o melhor sequencia de cada ato, pois são varias, onde exige tamanho desejo pela arte, mas ao mesmo tempo, uma força de vontade descomunal em cada dançarino e dançarina da peça, onde até mesmo, podemos sentir o cançasso, mas jamais a vontade de parar. Meu momento favorito, é quando a três personagens numa sala ampla com algumas cadeiras. Dois são um casal, sendo que o outro o separa e faz eles ficarem na forma que ele deseja, mas o casal volta a ficar da maneira em que estavam. A cena vai se repetindo e se repetindo a tal ponto, que quanto mais e mais eles fazem, mais eles tem o desejo de fazer mais rapido e mais rapido, chegando um ponto como se fosse algo parecido com um ato sexual.
O filme também se divide nas cenas dos palcos com certos ambientes do mundo de fora, seja em uma casa de vidro, ou embaixo de uns trilhos onde o trem passa. O resultado é sempre o mesmo, não menos espetacular, colorido e cheio de vida. Uma declação de amor, a uma mulher que uniu a dança, historia, arte e musica erudita de uma forma que permanecesse no imaginario do publico por muito tempo!


Projeto X - Uma Festa Fora de Controle
Aqui, o politicamente correto não entra!


Sinopse: O filme é uma comédia fora de controle que segue um grupo de amigos que decidem organizar a festa de aniversário mais épica da história filmada pela perspectiva das câmeras digitais de cada um.
Nem faz um mês, que uma colega minha cinéfila e eu, assistimos A Poder Sem Limites, filme que explora as origens de um herói e vilão, que além de ser uma boa historia, o filme é todo apresentado em primeira pessoa (ou documentário falso). Muitos críticos e boa parte do publico, vê essa forma de apresentar uma trama, como uma forma de revitalizar certos gêneros. Se isso começou em filmes de terror como A Bruxa de Blair e se estendeu ao gênero de super heróis, a bola da vez são as comedias adultas, mais precisamente com adolescentes, e Projeto X é a bola da vez.
A trama em si não tem nada de mais, unicamente mostra três adolescentes (com hormônios em ebulição), com o objetivo de criar uma festa de aniversario de um deles, enquanto os pais estão para fora. A novidade, é que eles filmam todos os preparativos e a festa em si, com uma câmera caseira. Até ai tudo bem, mas as coisas começam a fugir do controle, e a festa começa a atingir momentos de loucura jamais vistos. De uma simples festinha, o lugar começa a ter tanta gente, que vira um mar de pessoas, onde todos só têm um único objetivo, azaração total. De tudo acontece, danças ousadas, mergulho nu na piscina, sexo, drogas, bebidas, jovens se machucando, anão sendo assado no forno e um cachorro sendo amarrado e forçado a voar em balões. Tudo isso, filmado com a câmera na mão, onde em certos momentos, parece que estamos vendo um filme de ação com tanta coisa acontecendo, fazendo a câmera se movimentar de um lado para o outro, passando a sensação do agito e a perdição do bom senso no local.
O filme tem todas as pombas e circunstancias de ser o mais politicamente incorreto do cinema atual, mas convenhamos, a trama mostra algo que os jovens americanos, pelo menos uma vez na vida, desejariam fazer, embora seja impossível certas coisas ali acontecerem, pois em menos de uma hora todo mundo estaria preso, mas como aqui é tudo ficção, o certo é aceitar os absurdos que acontecem na tela e curtir a loucura total que impera. Todd Phillips definitivamente se tornou o produtor que revitalizou a comedia adulta americana. Depois de Se beber não Case, era questão de tempo para ele novamente aprontar. E mesmo com um diretor e elenco desconhecido, Projeto X se tornou o filme mais ensandecido da temporada, mesmo que a trama não fuja de certos clichês que ocorrem no final!


Me Sigam no Facebook e Twitter:

sexta-feira, 23 de março de 2012

LUTO: CHICO ANYSIO (1931 – 2012)

Que no além da vida, o senhor continue voando alto como sempre voou, assim como o simpatico velhinho de UP que o senhor magistralmente dublou! 
 Leia mais sobre UP: Altas Aventuras clicando aqui



Me Sigam no Facebook e Twitter:

Cine Dicas: Estréias no final de semana (23/03/12)

To amarrado em serviço por aqui meus amigos cinéfilos, portanto sem mais delongas, solto abaixo as principais estréias desse final de semana!



Jogos Vorazes
Sinopse: A história se passa em um futuro apocalíptico onde dois adolescentes precisam competir em um reality show de sobrevivência. Katniss é uma adolescente de 16 anos que vai para o reality show no lugar de sua irmã sorteada em um maldoso jogo.


Pina 3D
Sinopse: Pina é um filme para Pina Bausch coreógrafa alemã que morreu em 2009. Primeiro filme de arte em 3D convida o espectador para uma incrível viagem visual da descoberta de uma nova dimensão no palco da legendária companhia de dança Tanztheater Wuppertal Pina Bausch que vai além do próprio teatro: para as ruas e paisagens industriais de Wuppertal -- o lugar que foi o centro de inspiração do trabalho de Pina Bausch por mais de 35 anos.


O GUARDA
Sinopse: Comédia sobre assassinato, chantagem, tráfico de drogas e corrupção numa delegacia de polícia do interior da Irlanda. Dois tiras bem diferentes são obrigados a se unir para enfrentar quadrilha de tráfico internacional de drogas. São eles o sargento Gerry Boyle (Brendan Gleeson), um rude e excêntrico policial do interior, e Wendell Everett (Don Cheadle), sério e compenetrado agente do FBI. Quando um colega de farda de Boyle desaparece misteriosamente e a cidade passa a ser alvo de uma grande investigação dos federais americanos, ele é forçado a, pelo menos, fingir um pouco de interesse no assunto. Como sempre fez o que quis durante muitos anos e despreza regras, não fica nem um pouco impressionado quando o FBI chega à cidade.


Slovenian Girl
Sinopse: Alexandra é uma jovem de Krsko, uma pequena cidade na Eslovênia, que estuda letras na universidade de Ljubljana, capital da Eslovênia. Ela planeja ganhar o mundo. Trabalhando como prostituta, sua vida segue do jeito que queria, mas uma morte acidental a colocará em risco e a pensar no que vem fazendo para conquistar sua independência e sustento.


Me Sigam no Facebook e Twitter:

Cine Curiosidade: UM ANO SEM ELA

Reveja o meu especial sobre Elizabeth Taylor clicando aqui


Me Sigam no Facebook e Twitter:

quinta-feira, 22 de março de 2012

Cine Curiosidade: DAVID CRONENBERG VAI TIRAR LEITE DE PEDRA?

Pelo primeiro trailer de Cosmopolis, já podemos ter uma idéia do que esperar, e que Robert Pattinson deve ter sofrido o diabo nas mãos do diretor. Quer ser otimo ator e convencer a critica? Tem que dar o sangue meu amigo, e no caso do CronenbergPattinson deve ter dado a barriga. Quem conhece a filmografia do diretor, sabe do que eu estou falando!

Cine Dica: Em DVD: Toda a forma de amor

Sinopse: Oliver conhece a irreverente e imprevisível Anna (Mélanie Laurent, de Bastardos Inglórios), alguns meses após seu pai Hal Campos (Christopher Plummer) ter falecido. Este novo amor preenche a memória de Oliver com recordações de seu pai, que saiu do armário aos 75 anos, após a morte de sua esposa de 45 anos, para viver uma vida completa e enérgica como gay - que incluía um namorado mais jovem, Andy (Goran Visnjic de ER – Plantão Médico). Estes acontecimentos aproximaram pai e filho, e fizeram com que Oliver agora se dedique a amar Anna com a coragem, o humor e a esperança que seu pai o ensinou.
Saindo por aqui direto em DVD, a principio, esse filme ficara sendo bastante lembrado, por ter sido a produção que deu o primeiro Oscar para o veterano Christopher Plummer. Tardio não é mesmo, principalmente para alguém que atuou em clássicos que são maiores do que a vida, como a Noviça Rebelde e A Queda do Império Romano, mas como já diz o ditado, antes tarde do que nunca. Plummer se entrega a um papel sincero, de um homem que aproveita de todas as formas seus últimos anos de vida, se declarando assumidamente como gay, mesmo tendo por anos ter sido casado com uma mulher. A trama começa com o seu personagem jaz morto, e em meio a isso, acompanhamos as lembranças de seu filho (Ewan Mcgregor), na tentativa de melhor compressão para tentar entender quem era o seu pai, e acompanhando ele, temos o simpático cão Arthur, que por vezes, rouba a cena do filme. Em meio a isso, o protagonista se apaixona por uma imprevisível garota (Mélanie Laurent, ótima), e o filme cria um contraste dessa relação, com a relação e vida que o personagem de Plummer tinha.
O diretor Mike Mills (Impulsividade) brinca com o passado e presente, com uma ligeira montagem, onde cenas de pessoas famosas ou eventos de determinadas épocas, vão saltando na tela, indicando o período em que o personagem de Plummer viveu e fazendo uma comparação com os eventos atuais que o seu filho vive. O filme passa a mensagem, que por mais que as outras épocas fossem diferentes, as pessoas e seus problemas do cotidiano eram os mesmos, só talvez se amassem de uma forma diferente, mas não por isso, que determinados sentimentos, eram mais fáceis de serem administrados. Pode ser sempre lembrado como o filme que deu o premio máximo da indústria cinematográfica ao veterano ator, mas pelo menos, tem muito a dizer!


Me Sigam no Facebook e Twitter:

Cine Dica: 15º ANIVERSÁRIO DE CURTAS NAS TELAS

LANÇAMENTO DE DVD DUPLO COM 30 TÍTULOS COMEMORA 15 ANOS DO PROJETO CURTA NAS TELAS 
Quer curtir um coquetel, ganhar um DVD e assistir a curtas metragens criativos na telona? Então participe comigo e com os outros cinéfilos, no 15º aniversário de CURTA NAS TELAS. O evento acontece na sala P.F Gastal da Usina do Gasômetro. Mais informações, você confira na pagina da  sala clicando aqui.   

Me Sigam no Facebook e Twitter: