Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 69 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Cine Especial: Neorrealismo Italiano: Parte 6



Nos dias 24 e 25 de novembro, estarei participando do curso Neorrealismo Italiano, criado pelo Cena Um e ministrado  pelo jornalista Franthiesco Ballerini. Enquanto os dois dias não chegam, estarei por aqui escrevendo sobre os principais filmes, desse movimento que é considerado um dos mais importantes da historia do cinema mundial.
  
A Estrada da Vida

Sinopse: Gelsomina é vendida por sua mãe para Zampanò. Ambos não têm nada em comum: o jeito ingênuo e humilde da jovem é o oposto da rudeza de Zampanò, um artista mambembe. A chegada de um equilibrista que admira especialmente Gelsomina trará acontecimentos inesperados.
  
Pode não ser a obra prima máxima de Fellini, mas é um dos meus filmes preferidos do cineasta. Embora não tenha uma beleza deslumbrante como outras atrizes da época, a atuação de Giulietta Masina (que era casada com o diretor na vida real) que interpreta Gelsomina, uma jovem que é vendida por sua mãe para trabalhar junto a Zampano (Anthony Quinn, brilhante), homem forte e insensível, em um circo itinerante, é realmente espetacular e rende momentos tocantes.
Quinn por sua vez cria um desempenho digno de nota e que se destaca até mesmo ao lado de seus outros personagens memoráveis como Zorba: O Grego. Quando o seu personagem Zampano encontra um velho rival, o artista Louco (Richard Basehart), sua fúria chega ao ponto máximo.
Embora "A estrada da vida", ainda ecoe o cinema neorrealista, Fellini deixa um pouco para trás essas indicações familiares, para uma fábula singela sobre o amor e a crueldade que vem de dentro de todos nos, criando assim desempenhos inesquecíveis. Com esse filme, o diretor conquistou o coração do público e dos críticos em todo o mundo. Foi vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1956.


 Me Sigam no Facebook e Twitter:

Nenhum comentário: