Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 69 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Cine Especial: SERGIO LEONE - ERA UMA VEZ O SPAGHETTI WESTERN: Parte 2


Nos dias 15 e 16 de agosto, estarei participando do curso SERGIO LEONE - ERA UMA VEZ O SPAGHETTI WESTERN, criado pelo CENA UM e ministrado pelo professor Rodrigo Carreiro. E enquanto os dois dias não vêm, por aqui, estarei escrevendo um pouco sobre o que eu sei desse  cineasta, que deu novo status para o gênero do Western e que se sente isso até hoje.    

POR UM PUNHADO DE DÓLARES


Sinopse: Um lacônico e estranho pistoleiro sem nome enfrenta perigos e revela um invulgar talento em lidar com armas de fogo.

Divertido e violento filme do diretor Sergio Leone que criou o melhor do gênero faroeste espaguete. Sua bem sucedida trilogia com Eastwood (até então coadjuvante nos EUA) prosseguiu com Por Uns Dólares a Mais(65) e Três Homens e um Conflito(66). Salto a vista (principalmente para o cinéfilo de carteirinha), o filme é uma refilmagem do clássico O Guarda Costas de akira kurosawa, o que acabou gerando problemas para Leone, pois ele fez essa adaptação com Kurosawa não sabendo disso.
Com esse papel de protagonista, Eastwood se consagraria como ator, e se tornando uma das grandes lendas do gênero do faroeste, tanto, que seu personagem seria inúmeras vezes homenageado, seja em filmes como De Volta para o Futuro 2 e 3 e recentemente Rango. O filme também marcaria o primeiro sucesso da carreira do Italiano Gian Maria Volonté, onde tanto neste como em Por um Uns Dólares Amais, faria vilões fascinantes.   

POR UNS DÓLARES A MAIS

Sinopse: Dois caçadores de recompensa procuram, um deles por motivo pessoal, chefe de bando sanguinário obcecado por uma paixão perdida.

Segundo filme (e meu preferido) da trilogia de Leone e Eastwood, com todos os elementos narrativos, temáticos e visuais que o principal diretor do faroeste espaguete consolidou posteriormente em Era Uma Vez no Oeste. Guarda ainda o antigo charme das antigas matines de antigamente. Embora possa parecer que Clint Eastwood seja o protagonista, ele acaba por se tornar coadjuvante, perante a presença magnética de  Lee Van Cleef, que faz um veterano caçador de recompensa em busca de vingança.  
Mas quem da um verdadeiro show de interpretação, é mesmo   Gian Maria Volonté com seu personagem  El Indio, um bandido completamente enlouquecido e cheio de carisma. As cenas em que ele desafia seus oponentes, embalado pelo relógio musical de bolso (cortesia do mestre Ennio Morricone) estão entre as melhores partes do filme.  
  
Três Homens e Um Conflito

Sinopse: Três bandoleiros "ajudam-se" e enganam-se mutuamente, tentando se apossar de uma fortuna em dólares durante a Guerra Civil americana. 

Ultima parte da trilogia de Leone com Eastwood. Um verdadeiro espetáculo, divertido, ruidoso, movimentado, bonito e com um final antológico. Curiosamente, foi apartir desse que os americanos conheceram essa trilogia dos dólares de Leone, o que fez com que os outros filmes anteriores viessem em território americano e fizessem um grande sucesso. Por retratar o período da Guerra Civil Americana, se percebe que é o filme que mais se gastou no orçamento, e que acabou gerando inúmeras cenas antológicas, embalado com uma excelente fotografia em tons pastel.
O inicio do filme é antológico, onde se apresenta gradualmente o trio central da trama, que por um momento, o espectador se sente enganado e surpreso, pelo fato de Leone jogar personagens na tela, onde aparentemente eles serão os protagonistas, para então serem descartados e finalmente ser apresentados os (anti)heróis da trama. Dos três,  Eli Wallach é que da o verdadeiro show em cena, ao criar o seu personagem (o feio) um ser ambicioso, mas que não há como não rir das situações que ele se mete, principalmente quando acaba se tornando um bobo da corte, perante a esperteza do personagem (o bom) de Eastwood. Lee Van Cleef (o mal) retorna para o universo de Leone, com um personagem que visualmente, não é muito diferente do que foi visto no filme anterior, mas suas motivações acabam ganhando um grande contraste, principalmente em sua genial primeira cena.
Como eu disse acima, o final reserva um duelo espetacular, fechando a trilogia com chave de ouro, e fazendo Leone adquirir  novos projetos que ele faria no decorrer dos anos, como a sua trilogia pessoal sobre a America que se iniciou em Era uma vez no Oeste.    


Me  Sigam no Facebook e Twitter

3 comentários:

Hugo disse...

Grande trilogia de Sergio Leone. Na minha opinião a qualidade aumenta a cada filme, finalizando com o sensacional "Três Homens em Conflito".

A trilogia sobre a América também é fantástica, neste caso meu preferido é "Era Uma Vez no Oeste".

Abraço

Bússola do Terror disse...

Oi! Obrigado por linkar o meu blog aqui!
Linkei o seu blog lá no meu também.

Marcelo C,M disse...

Valeu Bússola e novamente seja bem vindo.