Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 69 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Cine Especial: XINGU, MEIRELLES E O CINEMA BRASILEIRO ATUAL E SUAS DIFICULDADES



Virou noticia recentemente, o descontentamento do cineasta Fernando Meirelles com relação ao desempenho de sua produção Xingu, principalmente no RS. Semana atrás, foi publicada uma matéria sobre o que ele tem a dizer, confiram:

Além de algumas salas em São Paulo e no Rio, Xingu está indo bem no Amazonas e no Pará, também vai bem no Espírito Santo, sabe-se lá por que. No Rio Grande do Sul, porém, o filme fez uma carreira desastrosa um pouco melhor no Iguatemi, mas mesmo assim muito fraco. RS foi o estado que menos se interessou pela história dos Irmãos Villas Boas, seguido por Santa Catarina e Minas Gerais. Isso na verdade não surpreende. Sabemos que quem nasce no Rio Grande do Sul nunca diz que é brasileiro, diz antes que é Gaúcho, vindo de um estado que faz divisa com o Brasil ao norte.Alguns filmes que fazem sucesso por aí nem são percebidos no resto do país e o oposto também é verdade. O fato de vocês serem bastante independentes do país em termos culturais é algo positivo, mas nós, os produtores de cinema, deveríamos ficar mais atentos a isso e, ao lançar nossos filmes, preparar sempre uma campanha de lançamento para o Brasil e uma especial para o Rio Grande do Sul. Sem piada. Tenho certeza que funcionaria melhor se fosse feito assim, diz Fernando Meirelles.”

Bom, até eu posso entender a decepção dele, pois afinal de contas, ele foi um produtor que investiu dinheiro de seu bolso em uma superprodução, e que queria a cima de tudo, passar uma mensagem sobre a preservação indígena. Mas eu sinceramente não gostei nenhum pouco dessa declaração, sendo meio que preconceituosa, dizendo que nos não aceitaríamos bem uma historia lá do outro lado do país?  Isso não tem nada haver!

Se fosse esse o caso, todo o filme, cuja historia se passa numa favela do Rio, ou do cotidiano da cidade de São Paulo, seria um fracasso por aqui, o que não é o que acontece, pois esse tipo de filme tem o seu publico, desde que os filmes estejam sendo distribuídos nos lugares certos. Quando eu fui assistir Xingu, tive a leve sensação de estar vendo um peixe fora d’água, pois eu assisti num cinema “Cinemack”, que é mais voltado para o publico em geral, principalmente o publico jovem, interessado mais no cinema de entretenimento. Se no principio, o filme tivesse sido exibido em cinemas, onde é voltado mais para um publico que se interessa realmente em assistir um filme, para se fazer uma reflexão, garanto que o desempenho da produção seria bem diferente.
Neste ultimo mês, Xingu segue sendo exibido na Casa de Cultura Mario Quintana, obtendo ótimos elogios e até mesmo lotando algumas sessões, com direito as pessoas se levantarem e aplaudirem. Ai que está os cinemas de Porto Alegre é bem diversificado, tendo tanto salas para o publico em geral, que deseja ir ao cinema com intuito de somente se divertir, como há cinemas para as pessoas que buscam reflexão e com o desejo de sair do cinema com o filme ainda cabeça. Salas como, as duas da Casa de Cultura, Cinebancários, P.F Gastal e Cine Santander, são salas que de uns anos para cá, ganharam prestigio, por apresentar uma programação alternativa e que atrai um publico que anda cansado do cinema convencional. Atualmente, Luz das Trevas (continuação do clássico O Bandido da Luz Vermelha), faz grande sucesso de publico em uma dessas salas, embora tenha tido pouca divulgação com relação há esse filme.

E é ai que chegamos num ponto, que merece ser discutido. O que também desfavoreceu o desempenho de Xingu nas salas de cinema, foi à má divulgação da produção, pois até aonde eu me lembro, eu só lia sobre o filme em sites, ou então nos jornais. Outros meio de comunicação como radio ou TV, não vi nem sombra, o que isso representa um verdadeiro mal que assola, quando o assunto é divulgação de filmes, principalmente os brasileiros. O que eu acho que deveria ser feito, é ter mais propaganda, ou até mesmo programas específicos para anunciarem os filmes, não importa se eles forem bons ou ruins, ou se estão ou não bem na bilheteria. Ficava pasmado, quando o Jornal Nacional, ficava anunciando a todo o momento o desempenho de Tropa de Elite 2, mas só porque estava adquirindo um enorme sucesso. Parecia até que era o único filme brasileiro naquele momento, o que em parte, é injusto com relação a outros filmes.
Além da má divulgação dos filmes nacionais, voltamos à má distribuição dos filmes  nas salas, que se por um lado, o filme é distribuído numa sala errada (para um publico errado), tem ainda que se contentar com duas miseras duas salas na cidade. Nunca me esqueço da minha decepção com relação ao filme Heleno, que foi exibido somente em duas salas da capital e muito distante da onde eu estava. Infelizmente as distribuidoras têm uma política um tanto que exagerada, em dar mais destaque ao filme do momento, dando então um numero gigantesco de salas de cinema somente para aquele filme X, como no caso recentemente de Vingadores, que praticamente abocanhou todas as salas do país, enquanto outros filmes ficaram na geladeira na espera, ou até mesmo, tendo fatídico destino de irem direto ao DVD.


SOMOS UMA BOA VIZINHA?

Neste intenso debate, levantou-se a hipótese também, que somos bons vizinhos com a Argentina, por exemplo, em que seus filmes fazem um bom sucesso por  aqui, muito mais que uma produção nacional. Exemplos como Os Segredos dos Seus Olhos e Um conto Chinês, foram os mais citados, por terem se tornado filmes de grande sucesso de bilheteria e por terem ficado inúmeras semanas em nossas salas da capital. Mas não é pelo fato de produções  de nossos Hermanos fazerem sucesso por aqui, que somos então uma boa vizinhança, não é bem assim. Se um filme fica várias semanas em cartaz, é porque realmente tem qualidade ali no meio, não importando a sua nacionalidade. O caso que vivemos em um período, em que o cinema Argentino, está vivendo uma ótima fase, em que muitos consideram como a “nova onda” do cinema Argentino. E quando essas produções chegam para cá, os gaúchos então percebem rapidamente a qualidade da produção, que logo vai recebendo um numero cada vez maior de cinéfilos nas salas, e com isso, tão cedo o filme não sai de cartaz, fazendo mais sucesso aqui, do que em outros estados em que o filme é exibido. Será que nos temos um olho mais apurado? Deixemos esse ponto para outra ocasião!
Mas o cinema argentino não vive somente com esse prestigio por aqui, sendo  que outros títulos de outros países, acabam sendo adotados pelos cinéfilos a tal ponto, que chegam a quase ficar um ano em cartaz, como foi no caso do filme francês Copia Fiel, que na minha opinião, foi para mim um dos melhores filmes do ano passado e ficou durante vários meses em cartaz, em uma das salas da Casa de Cultura.
Mas se é assim, faltam bons títulos brasileiros para serem exibidos por aqui e ficarem por muito tempo em cartaz? Sinceramente, o cinema brasileiro não anda tendo uma grande fatia de bons títulos para realmente valerem à pena serem vistos na tela grande. O grande problema, quando se pensa em cinema brasileiro atualmente, é que eles estão sendo voltados muito mais em comedias, ou até mesmo super produções como 2 Coelhos, mas então para por ai. O cinema em si possui inúmeros gêneros a serem explorados, e esta mais do que na hora, do Globo Filmes e outros estúdios do nosso país, acordar para o fato, que o Brasil não pode ficar preso a tão poucos gêneros. Recentemente assisti alguns filmes de terror brasileiros no Fantaspoa, daí eu me fico me perguntando, porque não vemos mais gêneros  como esse feitos aqui, ou até mesmo ficção cientifica, não custa arriscar.
Mas enfim, é um assunto que leva a inúmeros pontos e que com certeza continuará gerando bastantes debates, principalmente no próximo curso do CENA UM, que será focado sobre o cinema brasileiro, de ontem e hoje. Portanto aguardem, pois no próximo mês, o meu blog de cinema será muito mais verde e amarelo.


Leia também: XINGU

Me Sigam no Facebook e Twitter:  

Nenhum comentário: