Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 68 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Cine Dicas: Estréias no final de semana (29 04 11)

Tamos ai gente. Final de semana chegou e por fim THOR está na área para provar a sua honra. Na verdade THOR será uma verdadeira prova de fogo para a Marvel continuar com o seu tão sonhado projeto de criar um universo ligado no cinema. Se Thor e Capitão America fizerem grande sucesso, o projeto Vingadores estará tranqüilo para ser feito.
Mas como nem todos vivem de heróis e Deuses há outras estréias para serem conferidas como no caso do premiadíssimo Em Um Mundo Melhor, filme que terá sessão especial amanhã as 10horas seguida de debate no cine Unibanco Mulplex 2 em Porto Alegre comandado pelo Cineclube Zero Hora que sempre mensalmente exibe um filme especial para ser debatido. Como eu ganhei duas entradas francas, irei participar amanha dessa sessão e debate e, portanto aguardem minha critica sobre esse filme. Confiram as outras estréias:

THOR
Sinopse: A aventura épica se inicia no planeta Terra nos dias de hoje até reino de Asgard. O Poderoso Thor é um arrogante guerreiro cujas ações intempestivas despertam uma guerra antiga. Como castigo Thor é enviado à Terra e forçado a viver entre os mortais. Uma vez aqui ele aprende o que significa ser um verdadeiro herói depois que o vilão mais poderoso de seu mundo envia as forças negras de Asgard para invadir o planeta.


Em Um Mundo Melhor
Sinopse: O médico Anton trabalha na África e enfrenta sérias dificuldades com um tirano local. Já sua mulher Marianne que permaneceu na Dinamarca alimenta preocupações com o filho mais velho do casal. Elias tem sofrido violento bullying na escola sob o comando de do garoto Sofus. Quando um aluno novo Christian entra na escola Elias forma com ele uma forte aliança e os dois se tornam muito amigos. No entanto Christian que sofre com a perda da mãe torna-se cada vez mais agressivo e a amizade dos dois meninos ganha contornos perigosos.


Poesia
Sinopse: Mija tem mais de 60 anos e vive com o neto adolescente numa pequena cidade do interior. Ela trabalha acompanhando um senhor deficiente e gosta de se vestir com roupas elegantes e coloridos chapéus. Sua atração por coisas simples e belas a leva a se inscrever em um curso de poesia onde se torna uma estudante aplicada. Sua sensibilidade parece estar afiada como nunca e sua visão do mundo não poderia ser mais positiva. Mas quando o neto se envolve no suicídio de uma colega a leveza com que Mija encara a vida entra seriamente em crise. Melhor Roteiro no Festival de Cannes 2010.


Água Para Elefantes
Sinopse: Em uma casa de repouso Jacob Jankowski de 90 anos recorda o que viveu em sua juventude. Durante a Depressão ele trabalhou em um circo onde viu a brutalidade com a qual as pessoas e os animais eram tratados e se apaixonou pela esposa de um bruto treinador.


Bollywood Dream - O Sonho Bollywoodiano
Sinopse: Três atrizes brasileiras decidem tentar a sorte em Bollywood, indústria cinematográfica da Índia, mas uma vez inseridas no coração da cultura e mitologia indiana, seus sonhos se modificam no contraste entre o oriente e o ocidente, o ancestral e o novo, entre os valores individuais e coletivos.


Como Você Sabe
Sinopse: Se uma amizade com alguém muito legal começa a dar mais certo do que se imagina como você sabe que está amando? Escrito e dirigido por James Brooks (Melhor é Impossível) Como Você Sabe é uma comédia romântica com um elenco de estrelas do cinema mundial Reese Witherspoon (Legalmente Loira) Owen Wilson (Penetras Bons de Bico) Paul Rudd (Ligeiramente Grávidos) e Jack Nicholson (Melhor é Impossível).


Marcha da Vida
Sinopse: Marcha da VidaReconta uma jornada percorrida anualmente por milhares de jovens de todo omundo a campos de concentração nazistas na Polônia. O objetivo é refazero percurso que os prisioneiros fizeram momentos antes de morrer a chamadaMarcha para a Morte. O filme reúne a ultima geração de sobreviventes doHolocausto e jovens de várias partes do mundo como Brasil EUA IsraelPolônia e Alemanha numa viagem emocionante aos campos de concentração deAuschwitz e Birkenau. As filmagens terminam em Israel junto ao Muro dasLamentações.


quinta-feira, 28 de abril de 2011

Cine Especial: Não se vive apenas de Maskaras

Com a chegada de THOR no cinema fica em jogo o grande dilema. Será que as adaptações de historias em quadrinhos vão ter fôlego esse ano? Ou já é algo que já esta se desgastando? Isso só o tempo ira dizer, principalmente com as outras estréias como Lanterna Verde, Capitão America e X-men: Primeira classe que chegaram ao longo dos meses.
O que talvez o público em geral não saiba é que historias em quadrinhos não se vive somente de super heróis e sim possui outras historias cujas tramas vão desde a drama ao mais puro trailer policial.
Abaixo solto cinco boas adaptações de HQ que fogem um pouco do mundo dos super heróis:


Sin City: A Cidade do Pecado
Sinopse: Sin City é uma cidade que seduz as pessoas. Nela vivem policiais trapaceiros, mulheres sedutoras e vigilantes desesperados, com alguns estando em busca de vingança e outros em busca de redenção. Um deles é Marv (Mickey Rourke), um lutador de rua durão que sempre levou sua vida a seu modo. Após levar para casa a bela Goldie (Jaime King), ela aparece morta em sua cama. Isto faz com que Marv decida percorrer a cidade em uma jornada pessoal, em busca de vingança. Além dele há Dwight (Clive Owen), um detetive particular que tenta a todo custo deixar seus problemas para trás. Após o assassinato de um policial, Dwight se apresenta para proteger suas amigas, as damas da noite. Há também John Hartigan (Bruce Willis), o último policial honesto da cidade, que restando apenas uma hora para se aposentar se envolve na tentativa de salvar uma jovem de 11 anos das mãos do filho de um senador.
O filme nem se quer é uma adaptação e sim uma reprodução quadro a quadro da obra máxima do roteirista Frank Miller. Convencido pelo diretor Robert Rodriguez (A Balada Do Pistoleiro) de que a trama poderia sim ser adaptada para o cinema, Frank Miller então cedeu ao diretor e foi convidado como co-diretor na produção. O resultado é um filme cartunesco violento bem ao estilo filme noir de antigamente com mulheres fatais, policia corrupta, foras da lei de bom coração e muita violência e sexo. Com um elenco estelar de encher os olhos, o filme ainda nos brinda com o grande retorno de Mickey Rourke a um papel digno de nota ao interpretar um personagem brutamontes mas de puro coração que vai em busca de vingança.

O Anti Herói Americano
Sinopse: O balconista de hospital Harvey Pekar (Paul Giamatti) deixa cair no chão alguns arquivos de óbito e encontra a ficha de um homem que trabalhou a vida inteira como balconista em Cleveland ¬ um emprego burocrático, exatamente como o dele. Esse episódio, combinado com o fato de ter visto o seu amigo Robert Crumb (James Urbaniak) se tornar uma pequena celebridade em São Francisco como cartunista, o inspiram a criar a sua própria revista em quadrinhos, chamada American Splendor. A revista, publicada em 1976 com grande sucesso, retratava com realismo o cotidiano do próprio Harvey, um amante compulsivo de jazz e livros.
Paul Giamatti era o típico bom ator que aparecia em vários filmes bons mas sempre como um personagem secundário na trama, mas isso passou com a criação desse filme que acabou consagrando. Com a idéia de que a melhor historia é aquela nossa do dia a dia, o filme é baseado na vida de Harvey Pekar que teve a idéia mirabolante de adaptar seu dia a dia em historias em quadrinhos que se tornaram um grande sucesso entre o publico e a critica. Com toques de humor negro situações realistas do cotidiano, O Anti Herói Americano foi a prova definitiva que HQ não se vivia apenas de super heróis.


Marcas da Violência
Sinopse:Tom Stall (Viggo Mortensen) leva uma vida tranquila e feliz na pequena cidade de Millbrook, no estado de Indiana, onde mora com sua esposa Edie (Maria Bello) e seus dois filhos. Um dia esta rotina de calmaria é interrompida quando Tom consegue impedir um assalto em seu restaurante. Percebendo o perigo, Tom se antecipa e consegue salvar seus clientes e amigos e, em legítima defesa, mata dois criminosos. Considerado um herói, Tom tem sua vida inteiramente transformada a partir de então. A mídia passa a segui-lo, o que o obriga a falar com ela regularmente e faz com que ele deseje que sua vida retorne à calmaria anterior. Surge então em sua vida Carl Fogarty (Ed Harris), um misterioso homem que acredita que Tom lhe fez mal no passado.
Dirigido por David Cronenberg (A Mosca) o filme carrega todas as marcas que o diretor produzia em seus filmes anteriores, desde a violência explicita e sexo. O filme carrega a mensagem de que às vezes guardamos segredos tão profundos de nos mesmos que acabamos nos esquecendo do que realmente somos. Só assim para explicar o enigmático personagem Stall (Viggo Mortensen) cuja sua vida normal pacata com a sua família vira do avesso após ter salvo um grupo de pessoas de uma dupla sádica de assaltantes. Apartir daí começa a cair cada osso do esqueleto de Stall saindo do armário ao ponto de não haver mais saída e Stall terá que encarar seu passado violento. Atenção para as inesperados desempenhos de Ad Harris e William Hurt (indicado ao Oscar) em papeis diferentes de tudo que já fizeram na carreira.


Estrada para Perdição
Sinopse: Durante a Depressão, mais exatamente no inverno de 1931, Michael Sullivan (Tom Hanks) é um zeloso pai de família, que ama muito sua esposa, Annie Sullivan (Jennifer Jason Leigh), e seus filhos, Michael Sullivan Jr. (Tyler Hoechlin) e Peter Sullivan (Liam Aiken). Porém, ele vive moralmente em conflito, pois trabalha como assassino profissional para um irlandês, John Rooney (Paul Newman), um idoso chefe de quadrilha que criou Sullivan como se fosse seu filho. Michael Jr., o filho mais velho, fica curioso sobre a profissão misteriosa do seu pai, então se esconde no automóvel dele e acaba testemunhando a execução de Finn McGovern (Ciarán Hinds), que foi morto por Connor Rooney (Daniel Craig), o filho biológico de John. Michael vê seu pai e outros capangas ajudarem a terminar o "serviço", ficando tão apavorado que tenta fugir. Rapidamente seu pai entende que o filho viu tudo, mas Sullivan tentou acalmar Connor, dizendo que seu filho não diria nada. Aparentemente ele teve sucesso, mas Connor é na verdade bem paranóico e instável. Connor acredita que só terá segurança quando Sullivan e toda a sua família estiver morta, logo ele mesmo mata a mulher de Sullivan e Peter, o caçula. Porém Sullivan, que seria morto em outro local, consegue escapar e rapidamente pega Michael e foge. Enfurecido com estas traições, Sullivan decide se vingar, mas antes pretende deixar o filho com parentes em Perdição, uma cidade rural. Quando o perigo eminente passa, ele acaba expondo para Michael os aspectos mais sangrentos de sua profissão, mas logo Harlen Maguire (Jude Law), um assassino profissional, está no seu encalço. Sullivan tenta então atingir os mafiosos, roubando altas quantias que eles têm em bancos, pois pretende forçar as quadrilhas que ofereçam Connor em sacrifício para ele, em troca, terminar com os roubos.
Após o sucesso do premiado Beleza Americana, Sam Mendes ousou em fazer um filme completamente diferente e caiu de cabeça no mundo dos mafiosos da época da depressão. Quando o filme foi lançado na época, muitos acharam que era uma adaptação de um livro e quando souberam que era de uma HQ para adultos todos ficaram surpresos achando que essa arte era somente pertencente ao mundo dos super heróis. O filme entra facilmente na lista dos melhores filmes sobre a máfia e ganha pontos principalmente aos ótimos desempenhos de Ton Hanks e de Jude Law onde faz um assassino profissional no mínimo inusitado. Vale a pena lembrar também que essa foi a ultima participação de Paul Newman como ator de cinema e sua cena final é desde já espetacular.

Do Inferno
Sinopse: Em 1888 a cidade de Londres vive um horror sem precendentes, principalmente aqueles que vivem em Whitechapel. Lá mora Mary Kelly (Heather Graham) e seu grupo de amigas, que vivem sendo hostilizadas pelas gangues locais e são obrigadas a se prostituir para sobreviver. Até que uma das companheiras de Mary, Annie (Katrin Cartlidge), é repentinamente sequestrada, com este acontecimento logo seguido pelo brutal assassinato de Polly (Annabelle Apsion). Desconfiando que tais acontecimentos sejam na verdade uma "caçada" às garotas de Whitechapel, o caso logo chama a atenção de Frederick Abberline (Johnny Depp), um brilhante e perturbado inspetor de polícia que muitas vezes usa de seus poderes psíquicos para solucionar casos. Abberline se envolve cada vez mais com o caso e aos poucos se apaixona perdidamente por Mary, mas quanto mais se aproxima da verdade mais Whitechapel fica perigosa para Abberline, Mary e suas companheiras.
Ta certo que o filme perde muito em termos de qualidade de roteiro, conteúdo e detalhes se comparado a jóia que é a obra adulta do escritor e desenhista Inglês Alan Moore, porém, se por um momento esquecermos da obra original (caso tenham lido), o filme é um ótimo filme de terror e talvez um dos mais próximos ao retratar sobre quem era realmente Jack O Estripador. A reconstituição de Londres da época é sublime assim como o figurino e fotografia. Johnny Depp esta a vontade fazendo um detetive que usa métodos um tanto que incomuns para descobrir quem é o assassino.
Repito, é um ótimo filme, mas que se torna dispensável se você ousar em querer ler a HQ do mestre inglês

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Cine Clássico: Frankenstein de Mary Shelley

Com a chegada de THOR nos cinemas agora nesta sexta, relembro aqui com vocês o primeiro contato que eu tive de um filme dirigido pelo diretor e ator  Kenneth Branagh  

Sinopse: Em 1794, um explorador no Ártico ao tentar abrir caminho através do gelo encontra Victor Frankenstein (Kenneth Branagh). Logo depois os cães decidem atacar uma criatura (Robert De Niro), que os mata rapidamente. Assim, Victor decide contar-lhe, como tudo começou, quando ele foi estudar medicina em Ingolstadt, deixando para trás sua noiva e levando consigo uma única obsessão: vencer a morte. Na faculdade, ao discordar de um renomado mestre, acaba chamando a atenção de outro, que revela seus experimentos em reanimar tecidos mortos. No entanto, este pesquisador assassinado e o culpado pelo crime enforcado, então Victor decide colocar o genial cérebro do mestre no vigoroso corpo do assassino, mas as conseqüências de tal ato seriam inimagináveis.
Superprodução ambiciosa e caprichada. Apesar da versão de 1931 ainda hoje ser a mais lembrada, essa versão de 1994 é a mais próxima do livro que deu origem a inúmeras adaptações e talvez a mais fiel de todas. Com um belo visual, Branagh ainda aproveita para criar um incrível jogo de câmera que por muitas vezes gira 360º graus em volta dos personagens enquanto a trama prossegue. Não faltam cenas impactantes como o nascimento da criatura (Robert De Niro diferente de tudo que já fez na carreira) e do fantástico desempenho de Helena Bonham Carter na cena em que ela encara o horror em que seu amado a meteu tudo por amor, talvez seu melhor momento de toda a sua carreira.
Seguido do sucesso de Drácula: De Bram Stoker na época, Frankenstein de Mary Shelley foi subestimado na época, mas é um filme para ser descoberto e lembrado pela sua ousadia e por injetar novo sangue a uma trama tantas vezes contada.


Curiosidade: O fluido amniótico em que a Criatura nasce na verdade era uma espécie de geléia borbulhante. Durante as filmagens, Robert De Niro entrou e saiu tanto do tanque com este líquido que a geléia criou um grande rasgo no terno utilizado pela Criatura.

Cine Dica: Lançamento em DVD: REINO ANIMAL

UM RETRATO DE UM CAMINHO SEM VOLTA

Sinopse: Melbourne. Andrew "Pope" Cody (Ben Mendelsohn) é um ladrão em fuga, que está se escondendo de uma gangue de detetives que quer vê-lo morto. Barry Brown (Joel Edgerton), seu parceiro e melhor amigo, deseja deixar o mundo do crime, por se considerar ultrapassado. Já Craig (Sullivan Stapleton), irmão de Pope, tem feito fortuna com a venda de substâncias ilícitas, enquanto que Darren (Luke Ford), seu irmão caçula, tenta sobreviver no mundo do crime. É neste ambiente que chega Joshua "J" Cody (James Frecheville), sobrinho de Pope, que desde a morte da mãe vive com uma família distante. Joshua sempre é acompanhado pela avó, Janine (Jacki Weaver), extremamente coruja, e é alvo de Nathan Leckie (Guy Pearce), um policial que deseja atraí-lo para capturar sua família.
Injusto esse filme ter saído direto em DVD pois poderia ter sido muito bem apreciado no cinema, mas em fim. Em sua estréia como diretor, David Michôd cria um retrato da desmoralização de uma família envolvida com o trafico de drogas e que aos poucos dão de frente com uma policia feroz em busca de justiça. Todo esse cenário acompanhamos juntos ao lado do personagem Joshua "J" Cody (James Frecheville) garoto com jeitão meio avoado mas que não esconde o fato de estar consciente do que esta se metendo. O filme não se prende somente a uma lição de moral, mas sim ao fato de retratar pessoas em que acreditam que acham que estão fazendo a coisa certa, mesmo que para isso desçam cada vez mais ao inferno, não importa a que custo. Atenção pelos ótimos desempenhos da atriz Jacki Weaver (indicada ao Oscar) que faz a mãe de família de uma forma realista e trágica ao deixar seus filhos a chegar a um ponto critico e do subestimado Guy Pearce (Amnésia) que faz o policial bom moço que faz de todos os meios para conseguir que Joshua trilhe o caminho certo.

Curiosidades: A personagem Janine Cody foi escrita especialmente para Jacki Weaver;
O personagem Ezra White foi visto anteriormente no curta-metragem Ezra White, LL.B. (2006), também dirigido por David Michôd. No curta ele é também interpretado por Dan Wyllie;

terça-feira, 26 de abril de 2011

Cine Especial: PRELUDIOS PARA UM GRANDE PROJETO


Durante   muitos    anos da minha vida, sempre fui um leitor fiel com relação a historias em Quadrinhos. Atualmente leio HQ com um teor mais adulto e significativo como no caso do selo vertigo, enquanto as demais HQ sucumbiram a mega sagas intermináveis que jamais acabam e dificultam o acompanhamento. Houve tempo melhores, essas sagas, por exemplo, não eram assim tão compridas, contudo, o que tem em comum de ontem e hoje é fato desses personagens fantásticos se interagirem uns com outros. É comum hoje em dia, por exemplo, você ler um gibi do Homem Aranha e em uma determinada pagina ele acaba cruzando com o Capitão America.
Hoje, tanto no universo das HQ da DC e da Marvel é bem comum isso, mas no cinema isso ainda é inédito, por enquanto. Quando a Marvel decidiu sozinha levar alguns dos seus maiores personagens às telas, a intenção não era somente criar filmes para cada um dos personagens, mas também criar um universo interligado onde todos os filmes que eles fizeram e irão fazer sejam ligados uns com os outros para então finalmente chegar ao tão esperado projeto dos sonhos de qualquer nerd de HQ, Os Vingadores.

A tarefa para isso não é fácil, mas por enquanto a coisa já gerou bons frutos, confiram:


HOMEM DE FERRO
Sinopse: Tony Stark (Robert Downey Jr.) é um industrial bilionário, que também é um brilhante inventor. Ao ser sequestrado ele é obrigado por terroristas a construir uma arma devastadora mas, ao invés disto, constrói uma armadura de alta tecnologia que permite que fuja de seu cativeiro. A partir de então ele passa a usá-la para combater o crime, sob o alter-ego do Homem de Ferro.
Resultado: Um ótimo filme de aventura mesclado com bom humor na medida certa. Robert Downey Jr ganha  respeito perante o publico e a critica e se torna o novo queridinho do momento  em  atrair  inúmeras pessoas em seus filmes posteriormente


Interligações: Durante uma cena em que Tony Stark esta tirando a armadura, repare que em meios as coisas dele está o escudo do Capitão America. De entender que o pai dele havia criado um protótipo durante a segunda guerra e que seria usado pelo Capitão.
A SHIELD surge representada pelo Agente Coulson (Clark Gregg) que durante boa parte do filme tenta conversar com Tony sobre um misterioso projeto.
Ao final dos créditos Nik Fury (Samuel L. Jackson) surge na sala de Tony para lhe falar sobre o projeto Vingadores.


O Incrível Hulk
Sinopse: Vivendo escondido e longe de Betty Ross (Liv Tyler), a mulher que ama, o cientista Bruce Banner (Edward Norton) busca um meio de retirar a radiação gama que está em seu sangue. Ao mesmo tempo ele precisa fugir da perseguição do general Ross (William Hurt), seu grande inimigo, e da máquina militar que tenta capturá-lo, na intenção de explorar o poder que faz com que Banner se transforme no Hulk.
Resultado: Não é melhor que a incompreendida versão de Ang Lee de 2003, mas não a como negar que é uma ótima aventura que alem de ser fiel ao gibi mantém o espírito da inesquecível serie de TV. Só lamento a saída de Edward Norton do personagem no futuro filme dos Vingadores, já que ele criou um verdadeiro contraste de seu personagem com a criatura.

Interligações: Tanto a experiências que criaram Hulk e Abominável são frutos de experimentos para aperfeiçoar o soro do super soldado que havia sido usado na segunda guerra mundial e que havia transformado Steve Roger no Capitão America.
As empresas Stark são citadas no decorrer do filme e da a entender que ela se envolveu no   desenvolvimento  do  soro do super soldado no passado.
Tony Stark (Robert Downey Jr) surge no final do filme num bar aonde esta o general Ross (William Hurt) dizendo que o governo esta preparando um equipe especial de combatentes (com ele incluído).


Homem de Ferro 2
Sinopse: O mundo já sabe que o inventor bilionário Tony Stark (Robert Downey Jr.) é o super-herói blindado Homem de Ferro. Sofrendo pressão do governo, da mídia e do público para compartilhar sua tecnologia com as forças armadas, Tony reluta em divulgar os segredos por trás da armadura do Homem de Ferro, temendo que as informações caiam em mãos erradas. Tendo Pepper Potts (Gwyneth Paltrow) e James "Rhodey" Rhodes (Don Cheadle) a seu lado, Tony estabelece novas alianças e enfrenta novas e poderosas forças.
Resultado: O filme não é melhor e nem pior se comparado ao filme original e devido a isso esta muito longe de ser ruim, principalmente pelo fato de Robert Downey Jr estar mais a vontade do que nunca como Tony Stark. O filme ainda aproveita para explorar o lado mais frágil do personagem, principalmente com relação as suas fraquezas com a bebida, uma rápida mas clara homenagem a clássica HQ O Demônio da Garrafa.

Interligações: Viúva Negra surge na trama interpretada pela atriz Scarlett Johansson. Ela é agente infiltrada da SHIELD cuja missão é observar o comportamento de Tony no decorrer da trama.
Nik Fury (Samuel L. Jackson) surge novamente para dar uma força com relação ao problema de saúde de Tony, além de claro revelar a verdadeira natureza de Viúva Negra e dar revelações importantes sobre o passado de seu pai que foi na verdade um dos fundadores da SHIELD.
Agente Coulson (Clark Gregg) reaparece para cuidar de certo tempo de Tony. Em meio a isso, ele próprio descobre entre os equipamentos de Tony o escudo do capitão America visto de relance no filme anterior.
Agente Coulson ressurge após os créditos do filme. Em um deserto ele e sua equipe isolam uma cratera aonde se encontra o martelo de THOR.


E O QUE VEM POR AI?

THOR (29 de Abril)
Sinopse: A aventura épica se inicia no planeta Terra nos dias de hoje até reino de Asgard. O Poderoso Thor é um arrogante guerreiro cujas ações intempestivas despertam uma guerra antiga. Como castigo, Thor é enviado à Terra e forçado a viver entre os mortais. Uma vez aqui, ele aprende o que significa ser um verdadeiro herói, depois que o vilão mais poderoso de seu mundo envia as forças negras de Asgard para invadir o planeta.


CAPITÃO AMERICA:
O PRIMEIRO VINGADOR (29 DE JULHO)
Sinopse: Nascido durante a Grande Depressão, Steve Rogers cresceu uma frágil juventude em uma família pobre. Horrorizado pelas imagens dos Nazistas invadindo a Europa, Rogers resolveu se alistar no exército. Mas, por ser um jovem frágil e doente foi rejeitado.
Escutando o apelo sincero do garoto o General Chester Phillips oferece a Rogers a oportunidade de participar de um experimento especial… A Operação: Renascimento. Depois de algumas semanas de testes, Rogers recebe uma dose do soro Super-Soldado e é atingido por raios Vita.
Steve Rogers acaba o tratamento com um físico perfeito e ainda é humano. Rogers então é submetido a um treinamento rigoroso tanto físico quanto tático. Três meses depois ele recebeu sua primeira missão como Capitão América e continua sua guerra contra o mal como uma sentinela da liberdade e líder dos Vingadores.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Cine Especial: Pânico, Hollywood e seus vícios

Hollywood possui um vicio que por vezes lhe deixa doente, mas enche seu cofre de dinheiro. O problema que seu vicio nos satura ao longo das décadas, ao ponto que só para de nos saturar se esse vicio se esgotar. Refiro-me ao vicio de uma idéia que se torna um sucesso, então Hollywood aproveita ao maximo até agente ficar cansado, não agüentar mais e não ir às salas de cinema. Quando Pânico estreou nos cinemas em 1996 foi um sucesso gigantesco e ressuscitou um gênero que estava meio que esquecido no inicio da década de 90 que eram os filmes de terror teem ou simplificando, filmes de terror para jovens. Pânico trouxe de novo essa moda, mas a coisa se expandiu de tal modo que os estúdios inventavam qualquer absurdo para criar um personagem assassino mascarado para matar jovens. A coisa chegou ao ponto que virou sátira, muito bem sucedida alias em Todo Mundo Em Pânico. Com isso, muitos filmes daquela época caíram no esquecimento atualmente, talvez o único ainda lembrado junto com Pânico seja Eu sei o que vocês fizeram no verão passado e olhe lá.
Com a chegada de Pânico 4 nos cinemas, dificilmente a saga ou até mesmo o gênero ira invadir o cinema de maneira desenfreada como no passado, pois o publico de hoje esta cada vez mais exigente com relação a boas historias de terror, portanto não adianta impunhar uma faca e ter um motivo, é preciso ter algo de bom no meio.
Com isso, vamos relembrar um pouquinho do primeiro (e melhor) da saga do assassino mascarado.

PÂNICO
Sinopse: Numa pacata cidadezinha, jovens começam a receber ligações de maníaco que faz perguntas sobre filmes de horror. Quem erra, morre. As perguntas seguem uma lógica que será desvendada numa grande festa escolar.
O filme já começa com um excelente prólogo estrelado por Barrymore. Depois se torna num inteligente jogo de gato e rato que mistura grandes doses de violência com um saboroso humor negro. O resultado é um dos melhores filmes de terror da década de 90 e um dos melhores do diretor Wes Craven desde o primeiro A Hora do Pesadelo original. Alem de contar com vários talentos jovens daquele tempo, supera-se a ser mordaz e critico com o próprio gênero.

Cine Especial: Estou lhe devendo Sidney Lumet.


Esses dias se foi Sidney Lumet para um mundo melhor e foi ai que me dei conta de uma coisa. Puxa, eu vi pouca coisa desse grande diretor. Ouvia falar muito dele, criou 50 filmes e muitos deles otimos ou até mesmo classicos mas que infelismente, acabei vendo pouca coisa. É aquela historia, que por mais que eu ceja cinefilo e tenha visto bastante filmes, um ou outro acabo não assistindo, como no caso de ter conhecido a pouco tempo Luis Bunuel, que havia feito varios classicos mas até ano passado não tinha visto nenhum, felizmente, graças a minha insistencia, caçei todos os seus filmes.
No caso de Lumet farei a mesma coisa, pelo menos, dois dos seus maiores classicos já esta registrado em minha memoria, confiram:


DOZE HOMENS E UMA SENTENÇA
Sinopse: Doze jurados devem decidir se um homem é culpado ou não de um assassinato, sob pena de morte. Onze têm plena certeza que ele é culpado, enquanto um não acredita em sua inocência, mas também não o acha culpado. Decidido a analisar novamente os fatos do caso, o jurado número 8 não deve enfrentar apenas as dificuldades de interpretação dos fatos para achar a inocência do réu, mas também a má vontade e os rancores dos outros jurados, com vontade de irem embora logo para suas casas.
Excelente filme de julgamento, mas diferente da maioria, esse foca somente os jurados do caso em andamento e durante as suas discussões em condenar ou não o rapaz. O grande atrativo do filme esta pelo fato que toda a ação se passa em um único cenário, o que torna as discutições dos doze jurados cada vez mais sufocante, beirando a quase agressão física. Destaque para Henry Fonda interpretando o jurado bom moço que inicia a questão se o acusado é realmente culpado ou inocente o que desencadeia inúmeras reviravoltas, tanto no caso como nos próprios jurados.


Um dia de Cão
Sinopse: Em agosto de 1972 um assalto em um banco no Brooklyn chama a atenção da mídia e transforma-se em um show com uma enorme audiência. Era um roubo que teoricamente duraria apenas dez minutos, mas após várias horas os assaltantes estavam ainda cercados com reféns dentro do banco. Sonny (Al Pacino), o líder dos assaltantes, planejou conseguir dinheiro para Leon (Chris Sarandon), seu amante homossexual, fazer uma cirurgia de mudança de sexo. Enquanto tudo se desenrola a multidão apóia e aplaude as declarações de Sonny e fica contrária ao comportamento da polícia.
Em meio a crise econômica, escândalos políticos e guerra do Vietnã interminável, estava um povo norte americano revoltado com a situação em que vivia e Um Dia de Cão é um ótimo retrato dessa época. Vendo um assaltante que faz discursos inflamados na frente do banco, as pessoas que pararam para ver o aplaudem e torna a situação em um espetáculo, o que será bom para inúmeros lados, tanto para os assaltantes como para mídia, fazendo lembrar logicamente outro clássico do gênero como A Montanha dos Sete Abutres ou até mesmo o mediano filme da decada de noventa O Quarto Poder. Al Patino novamente entrega um papel intenso e único que nos faz imediatamente torcer por ele, mesmo estando fazendo algo que não é certo. Destaque para o personagem de John Cazale, ator que teve carreira curta mas sempre é bem lembrado por esse papel e pelo seu desempenho como Fredo no Poderoso Chefão I e II

Curiosidades: A conversa que os personagens de Al Pacino e Chris Sarandon têm ao telefone foi toda improvisada pelos atores.
Um Dia de Cão não tem trilha sonora em momento algum do filme.

Cine Dicas: Em Cartaz (20 04 11)

Incêndios
Sinopse: Canadá. Jeanne (Mélissa Désormeaux-Poulin) e Simon (Marwan Maxim) são irmãos gêmeos e acabaram de perder a mãe, Nawal Marwan (Lubna Azabal). Eles vão ao escritório do notário Jean Lebel (Rémy Girard) para saber do testamento deixado por ela. No documento, Nawal pede que seja enterrada sem caixão, nua e de costas, sem que haja qualquer lápide em seu túmulo. Ela deixa também dois envelopes, um a ser entregue ao pai dos gêmeos e outro para o irmão deles. Apenas após a entrega de ambos é que Jeanne e Simon receberão um envelope endereçado a eles e será possível colocar uma lápide. Só que Jeanne e Simon nada sabem sobre a existência de um irmão e acreditavam que seu pai estava morto. É o início de uma jornada em busca do passado da mãe, que os leva até a Palestina.
Produção Canadense e francesa foi uma das sensações do ultimo Oscar onde concorreu entre os finalistas do Oscar de filme estrangeiro e com razão, pois o filme é um eletrizante drama sobre a jornada de dois irmãos gêmeos na tentativa de buscar respostas sobre o passado da sua mãe, além de tentar descobrir quem foi o pai deles e de um irmão que não sabiam de sua existência.
O filme mostra que muitas vezes, por mais que queiramos, jamais conhecemos 100% uma pessoa, mesmo conhecendo-a tão bem e certas historias jamais podem ser contadas porque uma vez contada não existe um caminho de volta para o que era antes.
O passado de Nawal em meio a um conflito que gerou uma guerra é a parte mais rica do filme, onde a dolorosa batalha de uma mulher em busca de algo que deixou para traz esta entre os melhores momentos da trama (a parte do ônibus que é incendiado é sufocante). Mas nada se compara ao grande mistério do porque ela ter morrido, que há o que tudo indica, foi devido ao fato de ter visto algo (ou alguém) numa piscina em que ela estava nadando e a revelação é surpreendente mas é guardada até os momentos finais da trama.
Um excelente filme que poucos viram ate agora, mas merece ser descoberto.


RIO
Sinopse: Blu é uma ararinha domesticada que nunca aprendeu a voar e vive pacatamente com sua dona e melhor amiga Linda na pequena cidade de Moose Lake Minnesota. Blu e Linda acreditam que ele seja o último de sua espécie mas quando descobrem a existência de outra arara que mora no Rio de Janeiro parte em busca para encontrar Jade a única fêmea da espécie. Pouco depois de sua chegada Blu e Jade são perseguidos por um grupo de atrapalhados contrabandistas de aves. Blu terá que buscar coragem para aprender a voar estragar os planos dos seqüestradores que estão em sua cola e regressar com Linda - a melhor amiga que uma ave pode ter.
Quando A Era do Gelo 3 faturou quase um bilhão de dólares para a FOX, era inevitável que o nosso diretor Carlos Saldanha ganhasse total liberdade para escolher e criar qualquer filme da sua maneira, porque uma vez que um diretor gere esse lucro para um estúdio, respeito e liberdade criativa é o que sempre ira ter. Com isso, Saldanha cria uma verdadeira carta de amor em forma de filme para a sua terra natal, o Rio de Janeiro. Rio é mais do que um filme, é um cartão de boas vindas para qualquer estrangeiro que queira ir à cidade maravilhosa, uma forma de dizer “seja bem vindo” porque aqui é tudo de bom, mesmo que o filme tenha alguns estereótipos que americano esta acostumado a assistir quando retratam o Rio pra lá, mas o próprio Saldanha faz disso uma espécie de piada no bom sentido e se alguém reclama dizendo que Rio não é toda essa maravilha que é mostrada no filme isso é o que menos importa, pois estamos falando de uma animação para todas idades e não de um documentário que mostra 100% a verdadeira cidade Carioca.
Como a cidade, suas paisagens e atrativos são o principal chamariz do filme, a dupla de aves protagonistas Blu e Jade pouco podem fazer para conquistar a simpatia do publico. Não que eles sejam chatos, mas o drama do fato de Blu não poder voar se torna o único elo para enlaçar o espectador, mas isso não o torna assim tão interessante. Sorte para os coadjuvantes que roubam a cena a cada momento que aparecem na tela como no caso dos hilários pássaros Rafael, Pedro e Nico, esses ultimos dois responsaveis pelas melhores piadas do filme.
Com a mensagem de preservação a natureza e contra ao trafico de avez, RIO esta faturando alto nesse momento em todo mundo, por possuir uma simples historia de superação, preservação e amizade. Esses ingrendientes podem estar cheios no cinema atualmente, mas sendo bem feito é muito bem vindo novamente.

sábado, 16 de abril de 2011

Cine Dica: Em DVD e Blu-Ray: MACHETE

Com tantos lançamentos nas locadoras, sempre fica um para traz. Ontem falei sobre os melhores lançamentos lançados em DVD e Blu-ray e acabei me esquecendo desse. Vacilo mas corrigido, confiram:


Relaxe e divirtas se com o melhor filme B dos últimos tempos
Sinopse: Depois de enfrentar Torrez um famoso chefe do tráfico o ex-agente federal mexicano Machete Cortez escapa para o Texas procurando esquecer o passado. Mas lá aceita a missão de matar o senador corrupto McLaughlin. Traído pela organização que o contratou Machete percebe que o plano era culpar os imigrantes mexicanos ilegais pela tentativa de assassinato e com isso ganhar apoio público para o senador. Ajudado por Luz uma sensual cozinheira de tacos e pelo padre local Machete parte para a vingança. Adaptado do falso trailer criado para o lançamento de Grindhouse em 2007.
Nascido apartir de um trailer falso antes da exibição do filme Planeta Terror, Machete se tornou clássico já antes de nascer. Talvez nem o próprio Rodriguez imaginasse que esse pequeno trailer faria sucesso, mas o publico via ali um herói de filme de ação como antigamente e que não leva desaforo para casa. Com isso, Rodriguez, com seu pequeno orçamento, reuniu uma penca de astros de todos os tamanhos e criou um filme que mais parece saído de uma sessão de cinema barato dos anos 70. Tudo é muito B, as cenas de mortes são chocantes e hilárias ao mesmo tempo, a critica feros sobre os imigrantes ilegais mortos pelo governo norte americano é de uma coragem só. Rodriguez atira para todos os lados com sua critica, ninguém esta a salvo, sobra para os dois lados em que ambos são retratados de uma forma caricata, mas não menos verdadeira.
Danny Trejo ganha (finalmente) o papel de sua vida. Visto sempre como vilão na maioria de filmes de ação (e dentro da filmografia de Rodriguez) ele sempre aparecia na maioria das vezes como capanga com cara de mau, mas sempre com as mesmas características, como as facas que ele usa desde os tempos da Balada do Pistoleiro e Um Drink no Inferno. Aqui ele finalmente mostra no que sabe fazer melhor, ser ele mesmo, mas dessa vez no lado dos mocinhos, o que não quer dizer menos mortífero, já que o cara mete medo com sua cara e seus facões. Dos demais do elenco, Steven Seagal mais canastrão do que nunca como vilão, Robert DeNiro como um político em versão divertida e caricata da era Bush, Jessica Alba apenas bela, mas segura as pontas, Michelle Rodriguez no seu melhor momento do cinema como uma sex guerrilheira caolha e Lindsay Lohan como ... Lindsay Lohan, o que não seria muito diferente, já que da para entender que o filme aproveitou para tirar sarro da vida problemática da atriz e pelo visto ela gostou da idéia, o que não quer dizer que tenha ajudado a melhorar a imagem dela fora das telas.
Com todos os elementos que fizeram sucesso nos filmes anteriores do diretor e com um ato final que corre morte, tiroteio e sangue para todos os lados, Machete termina dando entender que vem mais por ai. Nada mau para um filme que começou como uma brincadeira, mas as vezes, de uma boa brincadeira surge uma boa idéia, que criança engenhosa esse Rodriguez.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Cine Dicas: Em DVD e Blu-Ray (15 04 11)

ENROLADOS
sinopse: Adaptação da clássica história da Rapunzel princesa que vive presa numa torre e tem longos cabelos. Um atrapalhado ladrão entra acidentalmente na torre e decide ajudá-la a fugir de lá.
Para muitos, Enrolados é mais uma produção Disney que apresenta a mais nova princesa na área, Rapunzel, mas o filme é mais do que isso. Para começar, essa 50ª animação estúdio apresenta algo de novo no qual o estúdio demorou a acrescentar neste gênero de contos de fadas que é ação e humor na medida certa e é isso que o filme tem de melhor. A produção continua com seu estilo musical que muitos criticam, mas sinceramente gosto bastante e o filme possui inúmeros números musicais maravilhosos como o engraçadíssimo “Um Sonho Tenho Sim” mas as cenas de ação e humor pastelão cartunesco é o que da vida genuína a produção.
Com relação a dupla de protagonistas, eles são diferentes do que estamos acostumados ao assistir um conto de fadas Disney. Para começar, Rapunzel não é nenhuma princesa indefesa e inocente, ela tem claro sua ternura e doçura, mas é sonhadora, aventureira e sabe se defender bem com uma frigideira. Já Flynn é o típico anti-herói que se importa somente consigo mesmo e se mete em varias enrascadas para se dar bem e pelo visual, o personagem é uma clara referencia ao ator Errol Flynn que se tornou famoso nos anos trinta ao atuar em filmes de aventura como Robin Hood.
Visualmente, o filme é de uma beleza sem tamanho com inúmeras cenas maravilhosas nas quais elas aumentam ainda mais sua grandiosidade graças ao 3D muito bem empregado na trama e um dos melhores momentos em que essa ferramenta da um show aos olhos é na parte do lançamento de balões iluminados ao céu, onde a tecnologia e o romantismo da trama se casam de uma maneira jamais vista até então.
Com produção de John Lasseter (criador de Toy Story) que agora comanda as rédeas das idéias criativas do estúdio, parece que agora finalmente a Disney se encontrou para o caminho do sucesso depois de muito tempo. Resta torcer que as aventuras de Rapunzel sirvam de exemplo para as próximas produções seguintes do estúdio.

Nota: Não posso deixar de comentar a polemica escolha de Luciano Hulk para dublar o personagem Flynn. Para começar, Hulk não é ator e muito menos dublador e com essa infeliz escolha do estúdio de dublagem daqui é que por pouco não arruína as melhores partes do filme. Mas eu sou um de muitos que criticaram essa escolha errônea e por causa disso isso não passou batido. Contudo que isso sirva de exemplo para não brincar com a inteligência do espectador, eles sabem muito bem o que estão escutando na tela. Estamos de olho e ouvindo.

MEGAMENTE
Sinopse: Megamente é um vilão magro usa roupas nas cores azul e preta e sua cabeça é careca e grande devido ao cérebro privilegiado. Ele deseja conquistar a cidade de Metro City e faz diversas tentativas muitas delas são frustradas. O vilão precisa ter oponentes para que sua vida tenha sentido e após a morte de Metro Man (Brad Pitt) Megamente cria Titan um herói para ter com quem rivalizar.
Afinal, nascemos bons ou maus ou nos tornamos bons ou maus ao longo da vida? Essa é a questão levantada na mais nova animação da DreamWorks, em uma aventura que satiriza o mundo dos super heróis e ao mesmo tempo desconstrói o mito do herói. Aqui o herói é na verdade o vilão, mas que de vilão tornasse herói, confuso? Não é pra ser. O filme apresenta os dois lados da mesma moeda, o herói Metro Man (voz de Bratt Pitt) e de Megamente (voz Will Ferrell), ambos vindos de planetas diferentes prestes a serem destruídos (já viu essa historia né) e que acabam caindo na terra, só que cada um de um lado. Metro Man numa casa de classe media alta com pais carinhosos que dão a melhor educação, já Megamente teve o azar de cair num presídio e ser adotado pelos piores bandidos que acabaram lhe ensinando o mundo da maldade.
Crescidos, ambos se tornaram herói e vilão e brigavam a todo custo pelo domínio da cidade, até que um dia, Megamente (meio que sem querer) mata MetroMan e assim conquista a cidade que tanto queria. Mas é ai que o filme se torna bem original, pois Megamente se da conta que a vida não faz mais sentido sem um desafio e de que adianta ser vilão se não tem ninguém para enfrentá-lo? E é então, que ele decide criar outro super herói através do DNA de Metro Man para então assim as coisas voltarem nos eixos.
É neste momento que o filme soube bem explorar a personalidade de Megamente, pois, apesar de tudo, ele é vilão unicamente porque achava que era o seu destino, mas ira descobrir com o tempo (e da aparição de alguém inesperado) que não é bem assim que a coisa funciona.
O legal do filme são as inúmeras referencias que faz ao mundo dos super heróis, ao começar pelo visual bem cartunesco e cheio de luz, fazendo uma referência a era de ouro das HQ, isso sem contar uma porções de referencias ao Superman. Nem mesmo uma versão descarada de Jo-El (meio poderoso Chefão) fica atrás em um momento muito engraçado que só lamento que nem todos irão entender a piada.
Alias, essa é a aposta mais certeira da casa de Sherk em sempre manter o humor de primeira em suas animações e com pitadas de lição de moral aqui e ali. Nada que rivalize com a campeã Pixar, mas pelo menos a DreamWorks fala por si,


Harry Potter: E as Relíquias da Morte: Parte 1
Sinopse: Começa com Harry Ron e Hermione em uma perigosa missão para encontrar e destruir o segredo da imortalidade e destruição de Voldemort as Horcruxes.Sozinhos sem seus mentores ou a proteção de Dumbledore os três amigos agora dependem um dos outros mais do que nunca. Mas no caminho estão Forças das Trevas que ameaçam acabar com eles.Paralelamente o mundo da magia se tornou um local perigoso para todos os inimigos do Lorde das Trevas. A guerra aguardada com temor há muito tempo já começou e os Comensais da Morte de Voldemort tomaram o controle do Ministério da Magia e até mesmo de Hogwarts assustando e capturando qualquer um que se oponha a eles. Mas eles ainda buscam o prêmio de maior valor para Voldemort: Harry Potter. O Escolhido se tornou o caçado quando os Comensais da Morte saem em sua busca com ordens de levá-lo para Voldemort vivo.A única esperança de Harry é achar as Horcruxes antes de ser encontrado por Voldemort. Mas à medida que procura por pistas ele descobre uma lenda antiga e quase esquecida: a lenda das Relíquias da Morte. E se a lenda for verdadeira isso poderia dar a Voldemort o imenso poder que ele tanto busca.Harry nem imagina que seu futuro já foi decidido pelo seu passado quando naquele dia fatídico ele se tornou o Menino Sobrevivente . Não mais só um menino Harry Potter está cada vez mais próximo da tarefa para a qual está se preparando desde o primeiro dia em que pisou em Hogwarts: a batalha final com Voldemort.
E lá se vão quase dez anos desde que a saga Harry Potter começou no cinema. De La pra cá, a saga do pequeno bruxo que começou em um mundo colorido e cheio de fantasia, foi transformado aos poucos em um ambiente sombrio e opressivo. A transformação foi gradual, começando a ser sentida apartir do terceiro filme e atualmente, qualquer imagem que lembre um tempo mais tranqüilo na vida do jovem bruxo, não passa de uma pálida e boa lembrança.
David Yates que começou a comandar a saga apartir de A Ordem de Fênix, soube dosar esse clima sombrio na medida certa e ao mesmo tempo, soube tirar melhor proveito de cada um dos atores com seus respectivos personagens. Em um mundo cada vez mais perigoso, devido as forças sombrias, nosso trio de heróis troca a escola de magia que ao longo dos anos era o cenário de todas as aventuras, para inúmeras partes do globo, na chance de encontrar as relíquias da morte e destrui las para sim, se livrarem de Voldemort. Talvez esse seja um dos pontos mais positivos desse novo capitulo, onde se foca somente o trio em sua cruzada e com isso, é bem explorada as características dos três e a amizade, amor, traição e união foram postos a prova ao longo da projeção. Mas nada disso funcionaria se o trio de atores não se empenhasse bem, mas para os fãs, fica o alivio que em cada filme eles foram amadurecendo nas interpretações, principalmente Emma Watson a grande estrela desse capitulo que rouba a cena em cada momento, mas o mesmo pode se dizer de Daniel Radcliffe e Rupert Grint, esse ultimo que continua como alivio cômico mas surpreende nos momentos de tensão em que o grupo começa a ter desavenças um com outro.
Não posso deixar de destacar a origem das Relíquias da morte, sublime, feita tanto com desenho tradicional como também em computação gráfica, um pequeno e sombrio conto que por um momento me lembrou os fantásticos contos do escritor e desenhista inglês Neil Gaiman.
Com um inicio trágico em que três personagens morrem (um de uma forma chocante) e um final que termina com mais um personagem partindo em sacrifício para um bem maior, Harry Potter: E as Relíquias da Morte: Parte 1 termina com um belo gancho para o grande final que será lançado daqui a seis meses, até lá, se aprontem para despedida pois não haverá mais volta para a saga do jovem bruxo (por enquanto).


Segredos de um Funeral
Sinopse: Em “Segredos de um Funeral”, Robert Duvall vive homem que organiza seu próprio funeral.Excelente como um ermitão bravo, mal humorado, e depois emociona até insensíveis com suas razões escondidas a sete chaves.Começa como uma comédia leve: a morte discutida com muito humor negro, avança para um mistério: que diabos aquele ermitão esconde? E depois penetra no terreno do drama.
Em sua estréia como diretor, Aareon Shneider cria uma curiosa história de um homem que deseja morrer mas que quer participar do funeral ainda vivo e a pergunta que paira no ar é, mas porque ele quer dessa maneira? A revelação vem nos momentos finais da trama e talvez esse seja o único ponto negativo, já que a revelação não se compara ao tamanho da expectativa em tentar descobrir o porquê disso tudo. Pelo menos a produção guarda inúmeros momentos primorosos como ótima atuação de Robert Duvall e a sempre impecável atuação de Bill Murray como o trambiqueiro dono da funerária


O Garoto de Liverpool
Sinopse John Lennon (Aaron Johnson) é um jovem que não aceita bem as regras impostas na escola e dentro de casa. Abandonado pela mãe quando tinha cinco anos, ele vive com seus tios George (David Threfall) e Mimi (Kristin Scott Thomas). Quando George morre, Lennon é obrigado a viver com Mimi, extremamente austera e sisuda. No funeral do tio ele vê sua mãe (Anne-Marie Duff), que se mantém afastada. Seu primo consegue o endereço dela, o que faz com que Lennon resolva visitá-la. O reencontro com o filho é a realização de um sonho para Julia, que passa cada vez mais seu tempo com ele. Animada e um tanto quanto inconsequente, ela apresenta ao filho o rock'n'roll. Logo, desperta nele a vontade de montar uma banda de rock
Como todo critico que se preze que repetiu a mesma coisa que outros críticos falaram, direi aqui a mesma coisa, Aeron Johnson (Kiss Kass) não tem nada haver com John Lennon fisicamente mas isso é o que menos importa, devido ao fato que nos simpatizamos com ele nos primeiros minutos em cena e devido a isso, ser parecido ou não é um mero detalhe
O diretor Sam Taylor-Wood cria um belo retrato de uma época ate então meio obscura sobre o passado do cantor e de suas mães que o moldaram e fizeram dele o que é hoje. Falando nelas, não há como negar que ambas as atrizes Kristin Scott Thomas e Anne-Marie Duff dão um show de interpretação quando aparecem, principalmente a ultima que rende momentos inusitados devido o seu comportamento incomum.
Com bela fotografia de cor pastel e uma ótima trilha sonora que resgata inúmeras musicas clássicas do grupo, O Garoto de Liverpool é um pequeno belo filme que conta somente um pouquinho desse grande cantor que pode muito bem render inúmeras tramas para o cinema.

Demônio
Sinopse: Cinco pessoas que nunca se viram ficam presas num elevador de um arranha céu comercial. Enquanto rumavam para seus respectivos andares, algo acontece e ele para no meio do caminho. E o que para muitos já seria motivo de tensão, piora ainda mais porque estranhos e violentos acontecimentos começam a surgir dentro do pequeno espaço. Alguém ali dentro não é quem aparenta ser. O medo e a maldade tomam conta do local e do lado de fora, ninguém conseguie arranjar um jeito de ajudá-los. (RC).
Demônio é o primeiro conto de M. Night Shyamalan (O Sexto Sentido) que ele adapta para o cinema na série de filmes baseado em suas histórias que ele batizou de The Night Chronicles e que serão realizados por jovens talentos do cinema.
Uma boa idéia vindo de um diretor (autor) que de uns anos para cá andou saindo dos trilhos, só resta saber se isso gerara frutos.
Pelo menos, esse primeiro filme rende momentos de muita tensão na medida certa, principalmente pelo fato de que a trama se passa dentro de um elevador e a pergunta que fica é, qual deles é o demônio?
Embora a revelação seja de espanto, o filme talvez decepcione um pouco alguns com sua lição de moral em meio a uma situação inusitada. Resta saber como será nos capítulos seguintes.