Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 66 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

quarta-feira, 31 de março de 2010

Cine Clássicos: FOME DE VIVER

FILME DE HORROR A FRENTE DO SEU TEMPO
sinopse:
Manhattan, Nova York. Miriam Blaylock (Catherine Deneuve) é uma vampira que consegue se manter "viva" e bela através dos séculos com o sangue dos seus amantes. Em retribuição os jovens e as moças que se envolvem com ela não envelhecem, até Miriam ter tirado bastante sangue deles. Infelizmente seu atual parceiro, John (David Bowie), está tendo um envelhecimento extremamente rápido e a expectativa de vida é de apenas 24 horas. Desesperado, ele procura a ajuda da médica Sarah Roberts (Susan Sarandon), que é especialista em envelhecimento prematuro. Inicialmente ela não crê na história de John, mas pede para esperá-la. Ao voltar, 2 horas depois, vê que ele envelheceu décadas naquele curto espaço de tempo. Ela pensa em tentar fazer alguma coisa, mas John deixa o local bem irritado e frustrado, pois sabe que para ele seu tempo acabou. Sem ter a menor noção do que está acontecendo, Sarah vai até a casa dele e acaba conhecendo Miriam. Após uma conversa e uma bebida elas acabam indo para cama e logo Sarah descobre que sua vida tomou um rumo totalmente inesperado.
Filme a frente do seu tempo que acabou rapidamente se tornando um grande Cult. Dirigido na época por Tony Scott (Nevoeiro) o filme apresenta uma nova abordagem sobre o vampirismo nunca antes vista. Fotografia, montagem, trilha e maquiagem na medida certa, retratando o mundo gótico que os 80 vivia e que na época era pura moda. Mas o destaque mesmo vai pelo ótimo elenco formado por David Bowie, Catherine Deneuve e Susan Sarandon, essas duas alias protagonizam uma alucinante cena de sexo que chocou as platéias naquela época.

Cine Clássicos: CONDE DRÁCULA

O MAIS VIOLENTO FILME DOS ESTÚDIOS HAMMER 
SINOPSE:
Uma vez de volta à vida, o eterno "Príncipe das Trevas" Drácula (Christopher Lee) continua a matar as belas jovens do vilarejo vizinho de seu imponente castelo gótico, sugando-lhe o sangue pelo pescoço. Revoltados, os aldeões se reúnem.

O sexto filme da série e o quinto estrelado pelo eterno Christopher Lee. O filme pertence a fase que os estúdios Hammer infelizmente já não estava nos seus melhores tempos, mesmo assim o filme é mais um otimo exemplo do bom e velho filme de horror, com castelo fantasmagórico, camponeses amedrontados, e viajantes que acabam se metendo no lugar errado e na hora errada. Vale nota que esse é o mais violento filme de toda a série, não falta cenas fortes, como Drácula matando a punhaladas uma de suas servas, ou numa chacina dentro de uma igreja, onde várias mulheres foram mortas por morcegos a serviço do conde. Tudo para dar mais audiência e atrair mais o publico que o estúdio estava começando a perder e uma pequena mostra do que os filmes de terror iriam apresentar no restante da década de 70.

Cine Clássicos: Drácula: O Principe das trevas

Filme que somente provou uma coisa: Christopher Lee sempre será lembrado como Drácula
Sinopse
Jovens casais viajando em férias são aconselhados por moradores de um pequeno vilarejo na região das Montanhas Carpathians a desistir de seus planos. Segundo os habitantes da região uma maldição vive escondida no interior da floresta. Julgando tratar-se de mera superstição dos moradores locais, os viajantes ignoram o aviso e partem em direção ao desconhecido. Abandonados pelo cocheiro em pleno interior da floresta, eles caminham até um castelo onde poderão contar apenas com a hospitalidade do Conde Drácula.
Seqüência do clássico O Vampiro na noite e novamente estrelado pelo eterno Drácula Christopher Lee. O filme apesar de ser inferior em laguns aspectos (a ausencia do otimo Van Helsing (Peter Cushing) é sentida) o filme é um otimo exemplar da boa e velha experiência de se assistir um bom filme de horror do pioneiro estúdios Hammer. Curiosamente neste filme Drácula não fala nenhuma palavra, isso porque Lee não gostou do roteiro que foi escrito por Jimmy Sangster (creditado como John Sansom), a partir de uma história do produtor Anthony Hinds (sob o pseudônimo de John Elder). Tanto que para evitar a possibilidade de uma repercussão insatisfatória de seu personagem, ele pediu que sua participação fosse silenciosa, ou seja, o vampiro não diz uma única palavra no filme inteiro, apenas atuando com expressões faciais, e somente entrou em cena após quase cinqüenta minutos de história. Mesmo não falando nada, a presença de Christopher Lee é sempre marcante.

Cine Clássicos: O VAMPIRO DA NOITE

Filme que fez de Christopher Lee um dos melhores Dráculas de todos os tempos
Sinopse:
Jonathan Harker ataca Drácula no seu castelo, e o vampiro resolver se vingar atacando a família da noiva dele. Harker pede ajuda do dr. Van Helsing, estudioso de vampiros determinado a destruir Drácula.
Com a direção de Terence Fisher (A Maldição de Frankenstein) o filme foi o sucesso definitivo dos estúdios Hammer que acabou se tornando o melhor estúdio na época para se fazer filmes de terror e suspense. Christopher Lee encarnou pela primeira vez Conde Drácula nesta película e acabou entrando para historia como um dos melhores Drácula de todos os tempos. Com poucas palavras mas com uma presença marcante, Lee simplesmente criou um Drácula assustador, com seus caninos afiados e seus olhos vermelhos que ainda hoje assusta. O filme também tem como grande destaque o personagem caçador de vampiros dr. Van Helsing interpretado com elegância pelo ator Peter Cushing se tornando a versão Van Helsing definitiva do cinema. O embate dos dois protagonistas é marcante e ambos os atores sempre contracenariam em outros filmes de horror do estúdio.

Cine Dicas: VAMPIRAS INVADEM USINA DO GASÔMETRO

Como esta maravilhoso curtir cinema, principalmente quando existe cinematecas como essa localizada na Usina do Gasômetro (Sala P.F GASTAL) por estar apresentando filmes raros como de terror.
Na segunda semana da mostra Gosto de Sangue: Os Vampiros de cinema, dessa vez são as vampiras as protagonistas dos filmes que serão exibidos ao longo da semana. E eu como fã de carteirinha estarei na área conferindo essas obras e vocês claro vão lá assistir pois vale a pena, confiram:


Fome de Viver (The Hunger), de Tony Scott (Inglaterra, 1983, 97 minutos)
A elegante vampira Miriam Blaylock (Catherine Deneuve), após perder seu parceiro (David Bowie), envolve-se com uma sensual médica (Susan Sarandon). Filme de culto dos anos 80, que surpreendeu o público com as cenas de lesbianismo entre Deneuve e Sarandon. Exibição em 35mm.

Carmilla, a Vampira de Karnstein (The Vampire Lovers), de Roy Ward Baker (Inglaterra, 1970, 90 minutos)
Militar hospeda em sua casa a jovem Carmilla, filha de uma misteriosa condessa. Em pouco tempo, irá descobrir que sua hóspede é a reencarnação de uma terrível vampira. Primeiro filme da Trilogia Karnstein, inspirada na obra de Sheridan LeFanu. Exibição em DVD.

Luxúria de Vampiros (Lust for a Vampire) de Jimmy Sangster (Inglaterra, 1971, 95 minutos)
Após reencarnar no corpo de uma linda jovem durante um ritual de magia negra, Carmila Karnstein dá início a uma sequência de depravações em uma escola para moças. Segundo filme da Trilogia Karnstein, inspirada na obra de Sheridan LeFanu. Exibição em DVD.

As Filhas de Drácula (Twins of Evil) de John Hough (Inglaterra, 1971, 83 minutos)
As gêmeas órfãs Maria e Frieda vão viver sob a tutela de seu tio Gustav e terminam se envolvendo com o sedutor Conde Karnstein e a misteriosa Condessa Mircalla. Último filme da Trilogia Karnstein, inspirada na obra de Sheridan LeFanu. O diretor John Hough é autor do clássico A Casa da Noite Eterna (1973), um dos mais apavorantes filmes da história do cinema.

A Condessa Drácula (Countess Dracula) de Peter Sasdy (Inglaterra, 1971, 93 minutos)
Versão dos estúdios Hammer da história da Condessa Erzsébet Báthory (1560-1614), a nobre húngara que tinha o hábito de se banhar em sangue de garotas virgens para manter sua juventude.

Escravas do Desejo (Les Lèvres Rouges), de Harry Kümel (Bélgica/França/Alemanha, 1971, 100 minutos)
Atualização da história da Condessa Báthory, aqui interpretada por Delphine Seyrig, pelo mesmo diretor de Malpertuis, o belga Harry Kümel. Lesbianismo, cenários e figurinos requintados e a hipnótica presença de Seyrig fazem deste um dos melhores títulos sobre vampirismo já realizados.

As Sete Vampiras, de Ivan Cardoso (Brasil, 1986, 86 minutos)
Na década de 50, um cientista importa uma planta carnívora da África. Logo a seguir, uma série de crimes inexplicáveis, em que as vítimas ficam totalmente sem sangue, começa a acontecer. Rara incursão do cinema brasileiro na seara vampiresca, dirigida pelo mestre do “terrir” (uma original e brasileiríssima mistura de comédia e terror) Ivan Cardoso. O elenco reúne estrelas da pornochanchada (Nicole Puzzi, Alvamar Taddei), ícones da chanchada (Zezé Macedo, Wilson Grey, Ivon Cury) e celebridades dos anos 80 (Neuzinha Brizola, Miquinhos Amestrados, Daniele Daumeri).


Semana de 30 de março a 4 de abril de 2010


As Vampiras

30 de março (terça-feira)
15:00 – Carmilla, a Vampira de Karnstein, de Roy Ward Baker (1970)
15:00 – Luxúria de Vampiros, de Jimmy Sangster (1971)
19:00 – As Filhas de Drácula, de John Hough (1971)

31 de março (quarta-feira)
15:00 – Escravas do Desejo, de Harry Kümel (1971)
17:00 – A Condessa Drácula, de Peter Sasdy (1971)
19:00 – Fome de Viver, de Tony Scott (1983)

1º de abril (quinta-feira)
15:00 – As Sete Vampiras, de Ivan Cardoso (1986)
17:00 – Fome de Viver, de Tony Scott (1983)
19:00 – Escravas do Desejo, de Harry Kümel (1971)

2 de abril (sexta-feira)
15:00 – A Condessa Drácula, de Peter Sasdy (1971)
17:00 – As Sete Vampiras, de Ivan Cardoso (1986)
19:00 – Fome de Viver, de Tony Scott (1983)

3 de abril (sábado)
15:00 – Carmilla, a Vampira de Karnstein, de Roy Ward Baker (1970)
15:00 – Luxúria de Vampiros, de Jimmy Sangster (1971)
19:00 – As Filhas de Drácula, de John Hough (1971)


4 de abril (domingo)
15:00 – Escravas do Desejo, de Harry Kümel (1971)
17:00 – Fome de Viver, de Tony Scott (1983)
19:00 – As Sete Vampiras, de Ivan Cardoso (1986)

Cine Curiosidades: FOX sacaneia consumidor com DVD de AVATAR

Quero deixar minha insatisfação com relação a distribuidora da FOX com relação ao DVD/Blu Ray de Avatar. O filme será lançado em ambos os formatos mas sem nenhum extra sequer o que acho uma verdadeira falta de respeito para aqueles que queriam ver inúmeros extras desse filme que acabou se tornando a maior bilheteria de todos os tempos. A boatos que uma edição com vários extras será lançada mas somente em novembro. Não tem como explicar isso.

sexta-feira, 26 de março de 2010

Cine Dicas: Estreias no final de semana

Enfim mais um final de semana chegando e com poucas (mas significativas) estreias para esse final de semana. Quanto a mim irei contra a maré e estarei na Usina do Gasometro curtindo o festival Gosto de Sangue: Os Vampiros do Cinema que continua firme e forte na sala P.F Gastal da Usina. Estarei também aproveitando a exposição do "Futuro de Porto Alegre" em comemoração aos 238 anos da capital gaucha. Portanto se quizerem algo de diferente neste final de semana, vão para Usina que nem eu, se não, curtem as estreias convencionasi, confiram:


Histórias de Amor Duram Apenas 90 Minutos
Sinopse:
Zeca tem 30 anos mas age como se fosse um adolescente. Formado em Literatura, vive às custas de uma herança. Ambiciona ser escritor e há anos trabalha num livro que jamais consegue terminar, para desespero de seu pai. O esboço de seu romance revela um escritor de mão cheia, mas Zeca é preguiçoso e dispersivo. Sentado diante do computador, escreve duas frases geniais e logo desiste de tudo e passa a assistir vídeos pornôs. Sexo é a única coisa que parece interessar a Zeca. Zeca vive com Julia, professora de Belas Artes, que está terminando o doutorado. O casamento vai mal, fragilizado pelas diferenças no modo que cada um encara a vida. Zeca não quer nada, Julia sabe o que quer. Incapaz de escrever, menosprezado pela mulher, Zeca passa os dias entregue ao ócio. É infeliz, porém conformado. Até o dia em que descobre que Julia o está traindo. E, com uma outra mulher. Amargurado, Zeca percebe que só lhe resta uma coisa a fazer: escrever...



A CAIXA

Sinopse:
O que você faria se lhe entregassem uma caixa com apenas um botão e que se você o apertasse lhe deixaria milionário mas, ao mesmo tempo, tirasse a vida de alguém que você não conhece? Norma Lewis (Cameron Dias) é uma professora e o seu marido, Arthur (James Marsden), é um engenheiro da NASA. Eles são um casal com um filho que leva uma vida normal morando no subúrbio. Tudo muda quando um misterioso homem aparece com uma proposta tentadora: a caixa. Norma e Arthur têm 24 horas para fazer a escolha. Logo eles irão descobrir que certas escolhas estão fora de seu controle e vão muito além da fortuna e do destino.


Como Treinar o Seu Dragão
Sinopse:
Na Ilha de Berk, lutar contra dragões é um estilo de vida. Por isso, o ponto de vista progressista e o senso de humor fora de padrão do adolescente viking Soluço não combinam muito bem com sua tribo e o chefe dela, Stoico – por sinal, pai do menino. Quando Soluço é inserido no Treino com Dragões com outros jovens vikings, enxerga a oportunidade de provar que tem o que é preciso para ser um guerreiro. Mas, ao se tornar amigo de um dragão ferido, seu mundo vira de cabeça para baixo, e o que teve início como a chance de Soluço provar do que é capaz acaba virando uma oportunidade de criar um novo rumo para o futuro de toda a aldeia.


A Moda da Casa
sinopse:
Maxi (Javier Cámara) é um famoso chef, proprietário de um elegante restaurante em Madri. Temperamental e sem papas na língua, ele vive sua homossexualidade sem complicações. Porém, a vida perfeita de Maxi ficará extremamente agitada pela chegada dos seus filhos, frutos de um casamento equivocado, e de um novo e atraente vizinho, ex-jogador de futebol, por quem sua desastrosa assistente logo se interessa.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Cine Curiosidades: Usina num banho de sangue

Desde o ultimo sabado a Sala P.F Gastal (Usina do Gasômetro) continua a exibir suas sessões de filmes com os vampiros como os protagonistas. Se você ainda não conferiu,, confira, pois não é sempre que temos a chance de ver clássicos dos filmes de horror (principalmente dos estudios Hammer) na tela grande. Abaixo deixo a sinopse e o video dos principais destaques que serão exibidos até domingo, confiram: 

O Conde Drácula, , de Roy Ward Baker (1970)
SINOPSE:

Uma vez de volta à vida, o eterno "Príncipe das Trevas" Drácula (Christopher Lee) continua a matar as belas jovens do vilarejo vizinho de seu imponente castelo gótico, sugando-lhe o sangue pelo pescoço. Revoltados, os aldeões se reúnem.
.

Os Ritos Satânicos de Drácula, de Alan Gibson (1973)

SINOPSE:
 Após escapar por pouco de uma casa onde eram realizados rituais satânicos,um agente secreto resolve contar o que viu á Scotland Yard. Há vários meses investigando um grupo que tenta desenvolver uma forma de peste bubônica extremamente forte,a polícia descobre que são todos da mesma entidade e Van Helsing sabe quem está por trás de tudo isso.



O Circo dos Vampiros, de Robert Young (1972)
Sinopse:
Um pequeno vilarejo é isolado devido a uma terrível peste que está ceifando a vida de seus habitantes. A quarentena é quebrada quando uma caravana circense chega, trazendo esperança aos aldeões. Mas uma vingança macabra está sendo executada, e os integrantes da trupe na verdade são terríveis vampiros.




DRÁCULA (1931)
Sinopse:
Versão fiel do romance, tornou-se um clássico do horror, não tanto por sua atmosfera, mas pela interpretação magistral do húngaro Bela Lugosi na figura clássica do vampiro, com a brilhante capa preta e os cabelos engomados para trás, lembrando as asas e cabeça de um morcego, no fascinante "Drácula", a primeira versão oficial do romance. Desempenho pelo qual ele já havia se consagrado nos palcos da Broadway, em 1927.




NOSFERATU (1922)
Sinopse:
Nosferatu é uma espécie de adaptação não-autorizada do romance Drácula, de Bram Stoker. Todos os principais elementos e estrutura linear da história foram mantidos, mas aqui Drácula chama-se Orlok. O filme é possivelmente o principal representante do movimento cinematográfico conhecido como Expressionismo Alemão, e influencia inúmeros diretores até os dias atuais, com seu jogo de luz e sombra.

CINE ESPECIAL: ALICE NO PAIS DAS MARAVILHAS

Peças de teatro
Fora as inumeras adaptações, seja para o cinema ou seja para a tv, Alice no pais das maravilhas é uma historia que sempre serviu de base para a criação de uma peça de teatro. Não importa em qual geração seja, ouve sempre por exemplo uma peça de teatro inpirada na historia de Alice nas escolas, e com a aproximação do filme não me admira as escolas de várias cidades começarem a fazer pequenas peças da historia.
Falando nisso eis uma nota a ser dita sobre uma novissima peça de teatro inspirada em Alice, confiram:

SISSI VENTURIN VIRA O PROPIO MUNDO DE ALICE 
Estreia hoje Alice, o quinto trabalho do Cia, Espaço em Branco, na Galeria La Photo (travessa da paz, 44). Livremente inspirado nos livros de Lewis Carroll, com direção e atuação de Sissi Venturin, o espetaculo convida os espectadores a entrar na obra, fazer parte do jogo de cartas, do jogo da peça. Eles são convidados do Banquete de Desaniversario, Hora do Chá, cujo o prato principal é o corpo da propia atriz, em atuações que trazem a tona alguns dos personagens de Carroll, todos vividos por ela. A peça não pretende contar a historia, mas desfaz a narrativa para ser uma construção abstrata e sensivel preenchida de sentido pela plateia, assim como são os livros.
A atmosfera onírica convida a vivenciar o Pais das Coincidencias, onde a relação é criadora do percurso. A atriz atravessou seu espelho, olhando para si atravez da coragem em descobrir o novo e entrar no buraco escuro que existe na personagem Alice. Lá encontrou maravilhas.
Após a exibição desta noite, que acontece a partir das 20horas, a plateia é convidada a comemorar a estreia em coquetel com doces da Diego Andino Patissérie e champagne Csa Pedrucci. A peça fica em cartaz sempre as quintas feiras as 20horas, até 15 de abril. Ingressos a R$ 20,00, com desconto para estudantes, idosos e classe artistica.

quarta-feira, 24 de março de 2010

CINE ESPECIAL: ALICE NO PAIS DAS MARAVILHAS

Conto conhecido como ninguém, Alice carrega muitos significados, desde a enigmas e refrões cujos quais muitos não conseguem explicar. Mas uma coisa que sempre mais me chamou atenção no conto é que ele carrega e bastante a arte do surrealismo, e o que é isso? Confiram abaixo:


SURREALISMO
Nas duas primeiras décadas do século XX, os estudos psicanalíticos de Freud e as incertezas políticas criaram um clima favorável para o desenvolvimento de uma arte que criticava a cultura européia e a frágil condição humana diante de um mundo cada vez mais complexo. Surgem movimentos estéticos que interferem de maneira fantasiosa na realidade.
O surrealismo foi por excelência a corrente artística moderna da representação do irracional e do subconsciente. Suas origens devem ser buscadas no dadaísmo e na pintura metafísica de Giorgio De Chirico.
Este movimento artístico surge todas às vezes que a imaginação se manifesta livremente, sem o freio do espírito crítico, o que vale é o impulso psíquico. Os surrealistas deixam o mundo real para penetrarem no irreal, pois a emoção mais profunda do ser tem todas as possibilidades de se expressar apenas com a aproximação do fantástico, no ponto onde a razão humana perde o controle.
A publicação do Manifesto do Surrealismo, assinado por André Breton em outubro de 1924, marcou historicamente o nascimento do movimento. Nele se propunha a restauração dos sentimentos humanos e do
instinto como ponto de partida para uma nova linguagem artística. Para isso era preciso que o homem tivesse uma visão totalmente introspectiva de si mesmo e encontrasse esse ponto do espírito no qual a realidade interna e externa são percebidas totalmente isentas de contradições.
A livre associação e a análise dos sonhos, ambos métodos da psicanálise freudiana, transformaram-se nos procedimentos básicos do surrealismo, embora aplicados a seu modo. Por meio do automatismo, ou seja,
qualquer forma de expressão em que a mente não exercesse nenhum tipo de controle, os surrealistas tentavam
plasmar, seja por meio de formas abstratas ou figurativas simbólicas, as imagens da realidade mais profunda do ser humano: o subconsciente.
O Surrealismo apresenta relações com o Futurismo e o Dadaísmo. No entanto, se os dadaístas propunham apenas a destruição, os surrealistas pregavam a destruição da sociedade em que viviam e a criação de uma nova, a ser organizada em outras bases. Os surrealistas pretendiam, dessa forma, atingir uma outra realidade, situada no plano do subconsciente e do inconsciente. A fantasia, os estados de tristeza e melancolia exerceram grande atração sobre os surrealistas, e nesse aspecto eles se aproximam dos românticos, embora sejam muito mais radicais.

Principal artista
Salvador Dali - é, sem dúvida, o mais conhecido dos artistas surrealistas. Estudou em Barcelona e depois
em Madri, na Academia de San Fernando. Nessa época teve oportunidade de conhecer Lorca e Buñuel. Suas primeiras obras são influenciadas pelo cubismo de Gris e pela pintura metafísica de Giorgio De Chirico. Finalmente aderiu ao surrealismo, junto com seu amigo Luis Buñuel, cineasta. Em 1924 o pintor foi expulso da Academia e começou a se interessar pela psicanálise de Freud, de grande importância ao longo de toda a sua
obra. Sua primeira viagem a Paris em 1927 foi fundamental para sua carreira. Fez amizade com Picasso e Breton e se entusiasmou com a obra de Tanguy e o maneirista Arcimboldo. O filme O Cão Andaluz, que
fez com Buñuel, data de 1929. Ele criou o conceito de “paranóia critica“ para referir-se à atitude de quem recusa a lógica que rege a vida comum das pessoas .Segundo ele, é preciso “contribuir para o total descrédito da realidade”. No final dos anos 30 foi várias vezes para a Itália a fim de estudar os grandes mestres. Instalou seu ateliê em Roma, embora continuasse viajando. Depois de conhecer em Londres Sigmund Freud, fez uma viagem para a América, onde publicou sua biografia A Vida Secreta de Salvador Dali (1942). Ao voltar, se estabeleceu definitivamente em Port Lligat com Gala, sua mulher, ex-mulher do poeta e amigo Paul Éluard. Desde 1970 até sua morte dedicou-se ao desenho e à construção de seu museu. Além da pintura ele desenvolveu esculturas e desenho de jóias e móveis.

Cine Dicas: Lançamentos em DVD e Blu-Ray

Mais uma semana com inumeras dicas em DVD para os cinéfilos alugarem. E claro quem vai liderar em numeros de locação será Lua Nova, pois o filme só em venda do disco passou de cinco milhões de copias vendidas no primeiro dia nos EUA, não é a atoa que a mania vampira voltou de vez...só lamento pelos lobisomens heheehehhe. Confiram essa dica e outras logo abaixo.

    
LUA NOVA
FILME AUMENTA NOS ACERTOS E DIMINUI NOS ERROS SE COMPARADO AO FILME ANTERIOR.
Sinopse:
Ao completar 18 anos, Bella Swan é surpreendida com uma festa de aniversário preparada por Edward Cullen e todos os outros membros de seu clã, porém, um fato inesperado surge em meio a muitas comemorações. Por descuido, Bella corta uma pequena parte de seu corpo e seu sangue começa a ficar completamente à mostra para todos os vampiros.
A partir daí, e também com o intuito de protegê-la, Edward decide mudar de cidade com sua família. Imediatamente Edward diz a Bella que não a ama mais e que a partir daquele momento ela deveria seguir o seu caminho sozinha.
Os meses passaram e Bella, muito abatida, aproximou-se ainda mais de Jacob Black. Os dois começaram a viver uma grande amizade, mas até aquele momento o segredo de Jacob ainda não havia sido revelado a Bella. A garota descobriu toda a verdade após ocorrer alguns incidentes envolvendo o jovem lobisomem. Bella também se vê no meio da batalha entre vampiros, lobisomens e Victoria.
(NOTA: Essa critica é da mesma época de quando foi lançado o filme)
Assisti esse filme neste final de semana e esperava realmente um enorme grupo de jovens (na maioria garotas) para assistir a essa trama que dava continuidade ao filme anterior Crepúsculo mas jamais imaginava que tinha tantos e que gritariam dentro da sala de cinema, fazendo do filme um verdadeiro evento.
Mas porque tudo isso? O que as garotas vêem nesta historia? Simples, o que elas realmente esperam. Tanto esse como o anterior não tinha nada de inovador, é mesma historia de amor proibido de diversos outros filmes, livros e etc mas com uma pequena diferença, os protagonistas são especiais, saídos de contos sombrios cujo os quais fascinam não importa qual a geração.
Sabendo disso a escritora Stephenie Meyer juntou dois mais dois e criou um dos livros mais vendidos no momento em que o jovem soube se identificar com esses personagens que por mais que fantásticos que sejam poderiam ser muito bem o seu melhor amigo(a) ou seu namorado(a).
Claro que por causa dessa onda, o cinema não ia deixar de fazer uma adaptação que com isso foi lançado no cinema o primeiro capitulo, que apesar dos seus problemas na direção, atraiu milhares de jovens que leram o livro anteriormente. E eis que chegamos a Lua Nova, dirigido por Chris Weitz (A Bússola de Ouro) que da continuidade a historia aonde parou, dando continuidade ao amor impossível e começando um triangulo amoroso que anteriormente era apenas suspeito.
O elenco continua o mesmo mas melhorado, Chris Weitz conseguiu extrair o melhor que se tinha em cada um dos atores, até mesmo Edward Cullen que ainda acho um jovem ator inexpressivo mas que pelo jeito as jovens pouco se importam com isso, porque só era ele aparecer em cena que elas gritavam. Quem se da melhor é Jacob Black que aqui mostra um bom desempenho em momentos tanto românticos como também de tensão e que chega a um ponto de roubar a cena nas suas cenas em que se transforma em um lobo, mas continuo vendo Kristen Stewart como a verdadeira alma de toda a trama, sendo ela gente como agente ela acaba nos levando a esse mundo louco com seres bizarros e românticos e mesmo assim não abandona suas atitudes imprudentes de toda jovem normal que se vê hoje em dia, vista pela primeira vez no filme O Quarto do Pânico, Kristen ainda vai longe.
Por fim na parte da direção, Chris Weits soube separar, drama, romance e ação nos momentos certos da película e convenhamos, as cenas de ação são muito bem melhores que o filme anterior (principalmente no ato final com a participação da talentosa Dakota Fanning), e não da para esquecer o prólogo do sonho de Bella, simplesmente único, e que da um belo resumo de sua situação com relação a sua paixão pelo vampiro. Mesmo assim o filme sempre cai no obvio quando é relação as cenas românticas onde as frases de juras de amor se repetem a todo momento, mas tanto a escritora como a própria diretora sabiam que as meninas apaixonadas adorariam isso, nos os críticos mais exigentes é que ficamos esperando juras de amor melhores
Deixando um gancho e tanto para o próximo filme, Lua Nova é sem duvida nenhuma uma melhorada nesta saga que pegou os jovens de vez. Pode não ser nenhuma maravilha do mundo mas não ofende também muito a inteligência de ninguém, quem sabe nos próximos capítulos os filmes vão melhorando ainda mais, pois afinal de contas aprendemos com os nossos erros.


Apenas o Fim
Sinopse:
Adriana (Érika Mader) é uma estudante universitária que cansa de sua vida e quer simplesmente ir embora. Mas, antes disso, ela deve terminar seu namoro com o também estudante Antonio (Gregório Duviver), e ambos têm uma hora para conversar.
Curiosidades:
Filme do diretor e roteirista estreante Matheus Souza que, em sua primeira empreitada, aos 20 anos de idade, já é um destaque na Mostra Internacional de São Paulo.


Os Fantasmas de Scrooge
Sinopse:
Ebenezer Scrooge (Carrey) começa as férias de Natal como de costume, mesquinho e de mau-humor, berrando com seu fiel assistente (Gary Oldman) e com seu alegre sobrinho (Colin Firth). Mas quando os fantasmas dos Natais Passado, Presente e Futuro o levam em uma surpreendente jornada que revela as verdades que o velho Scrooge reluta em enfrentar, ele deve abrir seu coração para desfazer anos de maldades antes que seja tarde demais.
Curiosidades:
Robert Zemeckis ('Forrest Gump') tomou gosto pela animação em CGI após comandar os movimentos de Tom Hanks e dar vida ao filme natalíno 'O Expresso Polar' e 'A Lenda de Beowulf'.
O livro de Charles Dickens já teve duas adaptações para os cinemas feita pela Disney: 'O Natal do Mickey Mouse' (1983) e 'Natal dos Muppets' (1992).

terça-feira, 23 de março de 2010

CINE ESPECIAL: ALICE NO PAIS DAS MARAVILHAS: SEU AUTOR

Lewis Carroll
Charles Lutwidge Dodgson, mais conhecido pelo seu pseudônimo Lewis Carroll (Cheshire, 27 de janeiro de 1832 — Guildford, 14 de Janeiro de 1898), foi um escritor e um matemático britânico. Lecionava matemática no Christ College, em Oxford, e é mundialmente famoso por ser o autor do clássico livro Alice no país das maravilhas.

Infacia

Quando criança Carroll brincava com marionetes e prestidigitação (também chamado magia ou ilusionismo), e durante a vida inteira gostava de fazer passes de mágica, especialmente para as crianças. Gostava de modelar um camundongo com um lenço e em seguida fazê-lo pular misteriosamente com a mão. Ensinava as crianças a fazer barquinhos de papel e também pistolas de papel que estalavam ao serem vibradas no ar. Interessou-se pela fotografia quando esta arte mal havia surgido, especializando-se em retratos de crianças e pessoas famosas e compondo suas imagens com notável habilidade e bom gosto."
Carrol era apaixonado por vários tipos de jogos, tanto que inventou um grande número de enigmas, jogos matemáticos e de lógica; gostava de teatro e era freqüentador de ópera, e manteve uma amizade por toda a vida com a atriz Ellen Terry.

Sua Obra Prima

A história de Alice no País das Maravilhas se originou em 1862, quando Carroll fazia um passeio de barco no rio Tâmisa com sua amiga Alice Pleasance Liddell (com 10 anos na época) e suas duas irmãs, sendo as três filhas do reitor da Christ Church. Lá ele começou a contar uma história que deu origem à atual, sobre uma garota chamada Alice que ia parar em um mundo fantástico após cair em uma toca de um coelho. A Alice da vida real gostou tanto da estória que pediu que Carroll a escrevesse.
Dodgson atendeu ao pedido e em 1864 ele a presenteou com um manuscrito chamado Alice's Adventures Underground, ou As Aventuras de Alice Embaixo da Terra, em português. Mais tarde ele decidiu publicar o livro e mudou a versão original, aumentando de 18 mil palavras para 35 mil, notavelmente acrescentando as cenas do Gato de Cheshire e do Chapeleiro Louco (ou Chapeleiro Maluco).
A tiragem inicial de dois mil exemplares de 1865 foi removida das prateleiras, devido a reclamações do ilustrador John Tenniel sobre a qualidade da impressão. A segunda tiragem esgotou-se nas vendas rapidamente, e a obra se tornou um grande sucesso, tendo sido lida por Oscar Wilde e pela rainha Vitória e tendo sido traduzida para mais de 50 línguas.
Em 1998, a primeira impressão do livro (que fora rejeitada) foi leiloada por 1,5 milhão de dólares americanos.

Obras no Brasil
 
Edições brasileiras das obras de Carroll são: Alice no país das maravilhas (1865) e Alice no país do espelho (Alice do outro lado do espelho, no título mais conhecido em Portugal) (1872), Algumas Aventuras de Silvia e Bruno, Rimas do país das maravilhas, A caça ao turpente e Obras escolhidas.

segunda-feira, 22 de março de 2010

Cine Curiosidades: Primeiro trailer de Predadores

Filme dirigido por Nimrod Antal (Assalto ao Carro Blindado, Temos Vagas) e produzido por Robert Rodriguez, a pelicula tenta revitalisar uma das franquias que tinha tudo para decolar mas foi até o segundo filme em termos de qualidade, depois desandou geral em Aliens x Predador.
Quem sabe com o velho Robert as coisas melhorem para esses geniais caçadores do espaço e também serve como uma boa pedida para ser um sucesso no curriculo da nossa conterranea Alice Braga, já que ela é uma das mercenarias que é caçada, confiram:

Cine Dicas: VAMPIROS INVADEM A USINA DO GASÔMETRO

Sábado ás 19 horas aconteceu na Usina do Gasômetro a abertura Gosto de Sangue: Os Vampiros do Cinema. Devido ao sucesso do momento da saga Crepúsculo, os responsáveis pela Sala P.F Gastal decidirão por três semanas exibir clássicos do cinema de horror onde o maior astro é a mitologia vampiresca.

ABERTURA COM GOSTO DE VINHO....OU NÃO???
aproveitei o maximo o coquetel

Na abertura muitas pessoas apareceram para prestigiar o momento, desde pessoas fãs da sala como também  pessoas fãs dos filmes de vampiros. O legal é que servirão um coquetel de vinho com inúmeras frutas na bebida mas visualmente parecia sangue com dentes humanos, tudo claro para pegar a onda da brincadeira na ocasião, até colocaram uma cabeça humana podre de mentira na bilheteria..ou será que era de verdade??
VERDADEIRO OU FALSO???

Após o divertido Coquetel teve a sessão surpresa das 20horas de um filme que estava sendo guardado a sete chaves e ninguém sabia o que seria exibido. Chegando o momento, o filme era "A Condessa de Sangue", (inédito nos cinemas e em breve em DVD) baseado na condessa húngara Elizabeth Bathory (1560 – 1614). Segundo dizem foi uma das maiores assassinas em serie da historia e, lógico, se tornou a versão feminina de Drácula. Acusada de matar mais de 600 moças, dizem que se banhava no sangue das vitimas para se manter jovem.
O FILME SURPRESA DA ABERTURA

Anna Friel se saiu muito bem no papel e o filme, apesar de contido, possui momentos muito fortes, ao mesmo tempo é uma historia com mais pé no chão mostrando o que leva uma pessoa ao desejo pelo sangue humano. Depois dessa boa abertura tivemos mais duas sessões, "Drácula: O Príncipe das Trevas" e "O Circo dos Vampiros", produções da pioneira Hammer que se tornou mundialmente conhecida em ter feito ótimos filmes de horror.
Para aqueles que tem interesse por esses filmes, confiram a grade abaixo do que vai rolar nos próximos dias, pois afinal, não se vive apenas de "Crepúsculo".



Os Pioneiros e o Período Hammer (23 a 28 de março)

Terça-feira (23 de março)
15:00 – Drácula, o Príncipe das Trevas, de Terence Fisher (1966)
17:00 – O Conde Drácula, de Roy Ward Baker (1970)
19:00 – Os Ritos Satânicos de Drácula, de Alan Gibson (1973)

Quarta-feira (24 de março)
15:00 – O Vampiro, de Carl Theodor Dreyer (1932)
17:00 – Drácula, de Tod Browning (1931)
19:00 – Nosferatu, o Vampiro, de F. W. Murnau (1922)

Quinta-feira (25 de março)
15:00 – O Conde Drácula, , de Roy Ward Baker (1970)
17:00 – Os Ritos Satânicos de Drácula, de Alan Gibson (1973)
19:00 – O Circo dos Vampiros, de Robert Young (1972)

Sexta-feira (26 de março)
15:00 – Drácula, de Tod Browning (1931)
17:00 – Nosferatu, o Vampiro, de F. W. Murnau (1922)
19:00 – Projeto Raros Especial (Sangue de Virgens, de Emilio Vieyra)

Sábado (27 de março)
15:00 – O Circo dos Vampiros, de Robert Young (1972)
17:00 – O Conde Drácula, de Roy Ward Baker (1970)
19:00 – Os Ritos Satânicos de Drácula, de Alan Gibson (1973)

Domingo (28 de março)
15:00 – O Vampiro, de Carl Theodor Dreyer (1932)
15:00 – Drácula, de Tod Browning (1931)
19:00 – Nosferatu, o Vampiro, de F. W. Murnau (1922)

sexta-feira, 19 de março de 2010

Cine Curiosidades: A vilania domina de vez no Oscar

Quem disse que tem que ser bonzinho, com problemas de saúde, gay ou isso ou aquilo para ganhar um Oscar?? Não é bem assim, na verdade não importa que tipo de personagem o ator ou atriz seja, desde que faça muito bem pode com certeza ser reconhecido nos prêmios e no Oscar principalmente.  E o que tem me chamado a atenção Foi o numero de atores/atrizes que ganharam o Oscar na pele de um vilão.

Solto abaixo os meus cinco vilões preferidos que renderam um Oscar aos respectivos atores/atrizes.


Anthony Hopkins (Hannibal Lecter) Os Silencio dos Inocentes
Versátil como ninguém, Anthony Hopkins já fez inúmeros papeis no mínimo inesquecíveis, chegando ao ponto de ser até o próprio Zorro num filme de 1998, contudo, todos sempre irão se lembrar dele como Hannibal Lecter em O Silencio dos Inocentes.
Com pouco mais de trinta minutos de tempo em cena, Hopkins domina o espectador com seu olhar, suas palavras afiadas e seu domínio de cena no qual todos ficam imunes a sua volta. Todas as cenas de Hopkins no filme são ótimas mas as com ele conversando com a personagem de Jodie Foster (Clarice Sterling) entrou para os momentos inesquecíveis do cinema.


Heath Ledger (Coringa) Batman: Cavaleiro das Trevas
No filme anterior, Christopher Nolan havia dado uma dica do que estaria por vir no futuro mas nem mesmo o mais fanático poderia prever de como esse vilão, tão querido e odiado pelos amantes dos quadrinhos pudesse render um dos momentos mais extraordinários do cinema recente.
Em Cavaleiro das Trevas ninguém esta seguro, muito menos o homem morcego, perante um homem que simplesmente faz as coisas que faz por nada em troca, quer somente ver as coisas pegarem fogo, então como deter esse tipo de gente??
Heath Ledger simplesmente sumiu no personagem e o que vemos é um Coringa inteligente, sarcástico, suicida e completamente louco mas ao mesmo tempo sabendo muito bem o que quer, caos total. Difícil dizer qual a melhor cena mas com certeza talvez seja aquela que os dois protagonistas estão sentados um na frente do outro e o vilão simplesmente coloca o homem morcego na palma da sua mão e o deixando impotente.


Christoph Waltz (coronel Hans Landa) Bastardos Inglórios
Quentin Tarantino tem uma grata mania de trazer atores esquecidos, para os seus filmes para dar uma reerguida em suas carreiras. Mas em Bastardos Inglórios ele faz o oposto, ele foi para o outro lado do mundo para trazer e apresentar a nos o ator australiano Christoph Waltz. No filme ele interpreta o coronel Hans Landa, um verdadeiro caçador de Judeus que já no inicio do filme, após uma longa e interessantíssima conversa com um fazendeiro, fuzila (quase) uma família inteira de judeus em meio a um tom de deboche insano mas em alto controle de uma maneira surpreendente.
coronel Hans Landa é um tipo de personagem que não sabemos o que irá fazer em seguida sendo completamente imprevisível nos seus atos, ao mesmo tempo é o típico vilão que adoramos e odiamos.


Javier Bardem (Anton Chigurh) Onde Os Fracos Não Tem Vez
As vezes você não precisa dizer uma única palavra pois os seus atos as vezes podem falar por si só. Com certeza o personagem de Javier Bardem entende muito bem disso, já que os seus atos terríveis falam por ele no filme dos irmãos Coen. Na trama Javier faz um assassino profissional cuja a missão é encontrar uma valise cheia de dinheiro que acabou indo parar nas mãos erradas do caçador pouco esperto, Llewelyn Moss (Josh Brolin).
A caçada de gato e rato se estende em momentos inesperados da trama e não importa o que aconteça, nada detém Anton Chigurh e suas maneiras um tanto que estranhas em matar quem aparecer em seu caminho.


Kathy Bates (Anne Marie Wilkes) Louca Obsessão
"Sou sua fã numero um”. Essa frase com certeza deve assombrar ainda hoje algumas celebridades que ficaram com medo após assistir a esse filme, pois talvez não exista coisa pior do que uma fã obcecada por você ao ponto de te matar.
No filme Kathy Bates faz uma ex enfermeira com um passado nebuloso e com uma vida infeliz, onde seu único refugio de felicidade é nos livros escritos por Paul Sheldon (James Caan). Certa ocasião em uma nevasca, Paul se acidenta de carro e justamente Anne o resgata e o cuida em sua casa, ao mesmo tempo começa as exigências perante ao escritor e num momento chave deixa bem claro que não é muito bem da cabeça.
Kathy Bates simplesmente se transforma numa pessoa com sérios problemas mentais  e a torna completamente imprevisível (sua cena do martelo é digna de nota, uma das cenas mais doloridas de se ver na historia).

quinta-feira, 18 de março de 2010

Cine Curiosidades: Filmes ainda ineditos no Brasil e que já deveriam ter chagado ao circuito

Prova da Morte e Guerra ao Terror são bons exemplos, talvez os melhores, sobre a má vontade de trabalho das distribuidoras daqui sobre certos filmes que muitas pessoas querem ver mas entãoi as distribuidoras ficam adiando. Nesse ponto nem adianta reclamar da internet, as pessoas ansiosas em querer ver determinados filmes não ecitariam em procurar em algum site na rede uma forma de baixar ou ver online o filme. 
Segue abaixo dois filmes que ainda nunca chegaram nas salas de cinema e que muitas já assistiram na rede, confiram: 


REC 2
Sinopse:
Sequência de [REC], o filme de terror que conquistou público e crítica em 2008 e que reinventou o gênero. Os maiores horrores voltam a ser registrados no mesmo prédio onde dezenas de pessoas foram brutalmente assassinadas.
Previsão: Depois de muitos adiamentos a ultima data que dizem que irá estrear será dia 23 de Abril, veremos...


ABISMO DO MEDO 2
Sinopse:
No segundo filme, Sarah (MacDonald) surge sozinha da caverna onde havia feito uma expedição com cinco amigos nas montanhas Apalaches.
Desorientada, ferida e coberta de sangue de suas companheiras desaparecidas, Sarah está abalada e semi-selvagem de tanto medo. Cético sobre os acontecimentos e convencido de que Sarah esconde segredos sombrios, o Xerife Vaines força a garota a voltar para a caverna com o objetivo de ajudar a resgatar o resto do grupo. Presos pelas pedras, a equipe de resgate é levada ao lado mais escuro das cavernas, onde um a um acaba descobrindo a terrível verdade sobre o desaparecimentos das mulheres, enquanto Sarah é forçada a confrontar seus medos mais profundos...
Previsão: Depois de vários adiamentos, Carlifornia decidiu lançar o filme direto em DVD para março, mas como ve já estamos em março e onde está o filme???

Cine Curiosidades: A Prova da Morte finalmente nos cinemas, será???

Depois de exibir Planeta Terror e À Prova de Morte no Festival do Rio e na Mostra de São Paulo, em 2007, a distribuidora Europa Filmes adiou ano após ano o lançamento do filme de Quentin Tarantino no circuito comercial. Agora À Prova de Morte finalmente vai sair - por outra distribuidora.
Os direitos que estavam com a Europa expiraram - na época, a empresa temia lançar À Prova de Morte por causa do retorno abaixo do esperado que teve com Planeta Terror - e a PlayArte se adiantou agora para comprá-los. E já marca a estreia para 23 de julho.
Exibidos nos EUA na sessão dupla Grind House, os filmes de Robert Rodriguez e Tarantino foram separados e reeditados para o lançamento no resto do mundo. Reeditados, no caso, significa que a dança-de-colo de Buttlerfly (Vanessa Ferlito) que Tarantino sacanamente deixou de fora de Grind House deve estar presente na versão da PlayArte.

Fonte: OMELETE
Com certeza esse é sem duvida um dos maiores rolos das distribuidoras no Brasil. Esse é foi um tipico exemplo de adiamentos que certos filmes passam com essas distribuidoras, achando que tal filme não vai lucrar, mas então porque não lança de uma vez em DVD? A Prova da Morte vai extrear bem tarde por aqui e na verdade todo mundo já assistiu pela internet, ou seja, nada vai tampar a mancha que ficou nesta historia. Já não basta o que fizeram com Guerra ao Terror!!!   

quarta-feira, 17 de março de 2010

Cine Dicas: Em Cartaz: ILHA DO MEDO

Martin Scorsese presta homenagem ao cinema noir e ao expressionismo alemão numa trama que leva o protagonista num caminho sem volta
Sinopse:
1954. Teddy Daniels (Leonardo DiCaprio) investiga o desaparecimento de um paciente no Shutter Island Ashecliffe Hospital, em Boston. No local, ele descobre que os médicos realizam experiências radicais com os pacientes, envolvendo métodos ilegais e anti-éticos. Teddy tenta buscar mais informações, mas enfrenta a resistência dos médicos em lhe fornecer os arquivos que possam permitir que o caso seja aberto. Quando um furacão deixa a ilha sem comunicação, diversos prisioneiros conseguem escapar e tornam a situação ainda mais perigosa.
Martin Scorsese  já havia namorado um pouco o gênero do suspense e terror com o filme "Cabo do Medo" no inicio da década de 90, mas em vez de seguir esse gênero ele acabou indo para os lugares conhecidos que ele tanto gosta de dirigir que são filmes policiais, gângster e etc..
Se continuasse neste gênero de horror no decorrer da decada passada, talvez ele iria nos brindar com inúmeros filmes desse gênero no mínimo interessantes, pois aqui Martin Scorsese  nos apresenta com um filme tenso, visual sombrio e onírico e com uma trama que é uma verdadeira montanha russa de terror pisicologico e  que faz o espectador se perguntar o que é real e o que alucinação no decorrer da projeção. Com um prólogo brilhante onde mostra o protagonista chegando ao manicômio da ilha para solucionar o desaparecimento de uma paciente, a câmera e a trilha sonora nos agarra com força e dita as regras, dizendo para nos que ali, bom lugar não é. Ao lado de Teddy Daniels (Leonardo Dicaprio, espetacular) conhecemos os personagens enigmáticos dessa ilha, do Dr. John Crawley (Ben Kingsley) a Dr. Jeremiah Naehring (Max Von Sydow), isso fora os lunáticos do lugar, um mais enigmático do que o outro e faz tanto o espectador como o protagonista ficar desconfiado de cada um deles, contudo o que aconteceria se nem ao menos podemos confiar no próprio protagonista em estar ali naquele lugar???
Dizer mais seria estragar a surpresa do ato final da trama, contudo adianto que o espectador desavisado terá um final que o pegara de calças curtas, contudo o cinéfilo bom de olho ira adivinhar o final da trama muito antes, principalmente se ele curte expressionismo alemão, já que o filme presta uma homenagem escancarada ao clássico "O gabinete do Dr. Caligari" e com isso a grande revelação não me surpreendeu muito, contudo Martin Scorsese  nos brinda com segundos finais bem arrasadores onde o protagonista toma uma decisão inusitada e fora dos padrões dos filmes convencionais.
Com grande elenco onde cada um tem os seus méritos (Mark Ruffalo e Michelle Williams  crescem  cada vez mais em cada filme), "Ilha do Medo" por enquanto se figura na lista dos melhores lançamentos do ano  e mostra que o velho Martin Scoseses não perdeu a mão e não perdera tão cedo, para o nosso bom proveito. .

curiosidades:
baseado em obra de Dennis Lehane (autor de do livro que deu origem Sobre Meninos e lobos)
Inicialmente o diretor seria Wolfgang Petersen, que tinha feito diversas modificações no livro de Dennis Lehane para que o filme se tornasse um blockbuster de ação;- Quando a Paramount Pictures passou a trabalhar em Ilha do Medo, a intenção era que David Fincher fosse o diretor e Brad Pitt o protagonista. Entretanto ambos deixaram o projeto devido a outros compromissos;- Robert Downey Jr. e Josh Brolin estiveram cotados para o personagem Chuck Aule

Cine Dicas: Lançementos em DVD e Blu Ray

Locação:

Julie & Julia

Sinops
Meryl Streep é Julia Child e Amy Adams é Julie Powell na adaptação da escritora e diretora Nora Ephron de duas autobiografias de sucesso: Julie & Julia de Powell e My Life in France, de Julia Child com Alex Prud'homme.
Baseado em duas histórias reais, Julie & Julia intercala a vida de duas mulheres que, apesar de separadas pelo tempo e pelo espaço estão ambas perdidas... até descobrirem que com a combinação certa de paixão, coragem e manteiga, tudo é possível.

Curiosidades:
Especializada em comédias românticas, Nora Ephron ('Mensagem para Você') dirige 'Julie & Julia', adaptação do livro 'Julie & Julia: 365 Days, 524 Recipes, 1 Tiny Apartment Kitchen', de Julie Powell.


Venda:

O EXTERMINADOR DO FUTURO: A SALVAÇÃO

Dividindo o publico e a critica, novo filme da franquia tenta sobreviver como inicio de uma nova trilogia e (quase) sem Arnold Schwarzenegger
Sinopse:
2018. John Connor (Christian Bale) é designado para liderar a resistência humana ao domínio das máquinas, coordenadas pela Skynet e seu exército de exterminadores. Um dia surge Marcus Wright (Sam Worthington), cuja última memória que possui é de estar no corredor da morte. Connor precisa descobrir se Wright foi enviado do futuro ou resgatado do passado, ao mesmo tempo em que a Skynet prepara seu ataque definitivo.
McG não é um diretor confiável. Para começar ele começou a carreira fazendo vídeo clipes na MTV e conseguiu o direito de fazer As Panteras no cinema que por sinal, saiu um filme bem divertido, contudo criou uma das maiores bombas da historia do cinema que foi as Panteras:Detonando (aquele com Rodrigo Santoro). Daí como posso explicar como ele conseguiu a vaga para dirigir um novo capitulo de uma das franquias mais conhecidas do cinema, não sei explicar. Em contra partida McG burro não é, tanto que sabendo do vespeiro que iria mexer decidiu fazer homenagens e interligações a cada momento do novo filme com relação aos anteriores, principalmente com os dois primeiros capítulos que são as verdadeiras obras primas da ficção dirigidos pelo mestre James Cameron ( Titanic).
Iniciando a narrativa com um longo texto de introdução que apenas relembra os principais incidentes da série, o roteiro logo nos apresenta a um novo personagem, Marcus Wright (Worthington), que se encontra prestes a ser executado em função de um assalto que resultou na morte de seu irmão e de alguns policiais. Abordado pela gravemente enferma Dra. Serena Kogan (Bonham Carter), Wright aceita doar seu corpo para a Cyberdine Systems, que irá empregá-lo em complexas experiências, e acaba acordando já em 2018, anos depois do sistema Skynet ter adquirido consciência e exterminado a maior parte da Humanidade. Confuso, ele se torna próximo do jovem Kyle Reese (Yelchin), que está sendo perseguido justamente por estar destinado a se tornar pai de John Connor (Bale), o líder da resistência humana – que, por sua vez, embarca numa arriscada missão para testar uma gravação que talvez tenha o poder de desativar as máquinas.
Christian Bale (Batman: Cavaleiro das Trevas) cumpre seu papel de protagonista com competência habitual, contudo são os atores Anton Yelchin (o jovem Checov do novo Star Trek) e Sam Worthington (do aguardadissimo AVA.TAR de James Cameron) que levam o filme debaixo do braço. Esse segundo alias é o que rouba realmente a cena, pois é o típico personagem que não sabe porque existe e porque está neste mundo apocalíptico e acaba por procurar respostas.
O filme guarda umas e outras surpresas e para o desagrado de alguns o final fica meio que aberto dando a crer que os estúdios querem fazer uma nova trilogia. Ação quase ininterrupta do começo ao fim com algumas bem realistas (atenção para a cena do helicóptero), o filme ainda presta homenagem ao primeiro exterminador, ou seja, veremos o jovem Arnold Schwarzenegger no auge da sua forma como um dos exterminadores, como isso? Só vendo. As homenagens não param, a trilha sonora por exemplo remete ao do primeiro e segundo filme e com isso McG pode não ter criado uma marca própia para esse capitulo mas soube respeitar os fãs dos filmes anteriores, resta saber se o publico em geral irá ao cinemas aos montes para assim a historia seguir em frente para os próximos dois filmes, mas para um filme que eu dava como certo como um grande abacaxi, acabou se tornando uma agradável surpresa.