Quem sou eu

Minha foto
Sapucaia do Sul/Porto Alegre, RS, Brazil
Sendo frequentador dos cursos do Cine Um (tendo já 68 certificados),sou uma pessoa fanática pelo cinema, HQ, Livros, música clássica, contemporânea, mas acima de tudo pela 7ª arte. Me acompanhem no meu: Twitter: @cinemaanosluz Facebook: Marcelo Castro Moraes ou me escrevam para beniciodeltoroster@gmail.com

Pesquisar este blog

sexta-feira, 13 de março de 2009

Cine Dicas: Estreias no final de semana

Chegamos mais um final de semana com estreias para todos os gostos novamente. Depois de um final de semana esmagador com Watchmem e Em Busca de Um Milionário os projetores não perdem tempo e exibem mais grandes filmes pintando na capital, confiram.


Appaloosa

Depois de algumas semanas de pre-estreias, o western Appaloosa finalmente ganha sessões regulares nos cinemas. Segundo filme do consagrado ator Ed Harris (antes ele havia feito Pollock sobre o pintor norte americano), Appaloosa engrossa a fila de produções recentes que vêm homenageando o gênero faroeste.
São filmes como O Assassinato De Jesse James, A Procura de Vingança ou Os Indomaveis, com estrelas como Brad Pitt e Russel Crowe. Apesar de contemporaneidade, todos estes titulos lembram tramas clássicas com direito a duelos, emboscadas, xerifes, cavalos e outros elementos bem masculinos. O elenco também reune algumas das melhores caras do cinemão Hollywoodiano.

O titulo do filme, Appaloosa, remete a uma cidadezinhado interior do Novo México lá pelos idos de 1880. O lugarejo é dominado por um bandidão chamado Randall Bragg (Jeremy Irons), que aterroriza a todos. Os cidadãos, em desespero, contratam dois pistoleiros veteranos da Guerra de Secessão para combate-lo: o xerife Virgil Cole ( Ed Harris) e seu assistente Everett Hitch (Vigo Mortensen). O conflito central do filme dá entre Bragg e Cole mas o diferencial de Appaloosa é o destaque dado a um personagem feminino, vivido por Renée Zellweger. No papel de Allison, ela chega zonha a cidade e vai viver com Virgil Cole, com quem firma um compromisso de casamento. Aos poucos, ela se envolve com o parceiro do futuro marido e não demora para que espiche o olho sobre o handido Randall Brag.
Além do embate entre o trio soberbo de atores masculinos, o grande achado de Appaloosa é justamente a importancia que dá a personagem feminina no velho oeste. Aos poucos ela desestabiliza o trio masculino, mas o interessante é que o xerife Cole um eximio atirador não age como um maxho tradicional e até tenta entender a mulher e seu modo de agir.



Entre os muros da escola

Em sala de aula, um professor tentnado conter alunos indisciplinados. O tema levou a Palma de Ouro no Festival de Cannes no ano passado. A historia é baseada no cotidiano de um professor, François Bégaudeau, que escreveu um livro com o mesmo titulo e também protagoniza o filme.

No livro ele conta suas experiencias como professor de lingua francesa para os adolecentes. No filme, quase um documentário, os alunos são convidados a escrever e a falar sobre as suas vidas. O resultado vai além do cotidianodos alunos de uma escola do subúrbio de Paris, já que traça um retrato da atual sociedade francesa. O melhor deles, por exemplo, enfrenta dificuldades nos estudos porque sua mãe é imigrante chinesa ilegal e corre o risco de ser deportada.
Lançado na França em setembro do ano passado, Entre os Muros da Escola já fez 1,5 milhões de espectadores. Para a esolha do elenco o diretor Laurent Cantet selecionou alunos de uma escola no 20º distrito de Paris. Os pais dos estudantes são os mesmos da vida real.



Jogo Entre ladrões

Os atores Morgan Freman e Antonio Banderas estão juntos no policial Jogo Entre Ladrões, dirigido por Mimi leder, que fez alguns filmes de ação nos anos de 1990 ( como o Pacificador) e vinha dedicando-se mais as séries de televisão. No titulo de agora Jack Monahan (Bandeiras) é um criminoso relativamente novato que está passando por uma maré de falta de sorte.
Sua vida muda quando conhece Keith Ripley (Freeman), experiente ladrão que o chama para participar do arriscado roubo de uma das joias mais valiosas da atualidade, guardada a sete chaves em uma joalheria russa.
Apesar de qualquer erro ser fatal, Rpley tem a policia no seu pé, está será a chance que o bandido ganha de quitar uma divida que com a mafia russa e evitar a propia morte. Como tudo filme de ação que se preze, Ripley vai enfrentar algumas dificuldades nesta empreitada, já que o veterano Monahan não é exatamente uma pessoa confiavel.

quinta-feira, 5 de março de 2009

Cine Curiosidades: O que rolou antes de Watchmen?





Como todos sabem a obra maxima de Alan Moore finalmente irá chegar neste final de semana com estreia mundial e com um grande desafio. Será que o publico irá assistir um filme que vai contra as suas espectativas? O mundo está preparado para assistir Watchmen? Pelas criticas que eu li até agora, o filme é bem fiel as suas origens e se for metate do que eu li nos quadrinhos na época, com serteza o publico que for assistir irá ver um filme completamente diferente do que imaginava, principalmente se espera um filme cheio de ação o que não é o caso, quem leu sabe o que estou falando.
Mas sucesso de bilheteria ou não para mim é menos do que importa, o importante é que Watchmen foi transporto pelas telas por um diretor fã confesso da obra, Zack Snyder,(300, Madrugada dos Mortos) e que sabia que fazer uma adaptação como está seria dificiel mas era preferivel ele passar por esse sacrificio do que ver outro diretor fazer esse filme e estragar tudo como ele propio falou esses dias.

Mas antes mesmo dessa adaptação, já rolou algumas adaptações das obras de Alan Moore cujo propio não gostou de nenhuma e tão pouco assistiu, na verdade esse rancor é uma longa historia que contarei agora a seguir, contando junto com as adaptações das obras de Moore que ja rolou no cinema, confiram.

DO INFERNO

Nesta historia, Moore foi fundo sobre quem era realmente Jack, o Estripador, assassino famoso que botou medo em londres no século retrasado, aqui Moore lança inumeras hipoteses de quem era o assassino e acaba por envolver até a familia da Inglaterra em uma historia carregada de erotismo, violencia (e ponha violencia nisso) e suspense de tirar o folego.
Para o cinema a historia foi dirigida pelos irmãos Hughes e estrelado por Johnny Depp que aqui interpreta um detetive viciado que ao mesmo tempo dependente mas disposto a encontrar o verdadeiro assassino.
O filme em si é otimo e fez retativo sucesso de publico e critica, contudo se comparar esse filme com a obra original seria até covardia porque a pelicula não mostra nem 20% do conteudo que Moore escreveu no papel, ou seja, era material demais para ser levado a tela e a violencia não chega nem perto do que foi mostrado no papel, alguns personagens até foram esquecidos ou alguns modificados, contudo o filme foi um primeiro passo ousado de levar uma obra de Moore as telas e as coisas poderiam melhorar mais para frente, mas não foi bem assim.



A Liga Extraordinária

Idéia de genio, neste Grafic Novel, Moore destrincha inumeros personagens conhecidos da literatura e forma um super grupo disposto a proteger o mundo, ao mesmo tempo que mostra personagens mais humanos do que nunca como o Allan Quatermain que possui na historia problemas com drogas.
Seria uma otima historia levada as telas, seria, pois o diretor Stephen Norrington (Blade) usa o mesmo grupo dos quadrinhos mas o resto, a historia, e algumas caracteristicas dos personagens foram para o espaço.
Nem me atrevo a continuar a dizer sobre as modificações, o que posso dizer como exemplo é que eles tentaram fazer algo mais viavel para o publico em geral, para tanto Allan Quatermain no cinema (Sean Connery) não era mais dependente quimico e virou lider do grupo, sendo que nos quadrinhos o lider era Mia das historias de Dracula.
O resultado de tantas mudanças foi o imediato fracasso da produção e o desentendimento total de Moore com os estudios de cinema. Moore depois dessa jurou de pé junto que jamais queria daquele dia em diante que seu nome estivesse envolvido em nenhuma produção das suas crias e esse juramento ele mantem até hoje, até aonde eu sei não tem ninguem que mude de ideia o mago dos quadrinhos.


CONSTANTINE

Amo esse filme, amo de verdade, mas e os fãs? Uns gostam, outros detestam.
Constantine era para ser um filme que tinha tudo para dar errado, para começar a direção coube a um diretor estreante de video clipes Francis Lawrence, a historia não se passaria em Londres como nos quadrinhos e para piorar Constantine deixaria de ser loiro e inglês para se tornar um moreno e americano que vive em Los Angeles.
Já não é o suficiente para ser crusificado? Tem mais, o personagem no filme usa uma arma para destruir os demonios em forma de crus????

Mais eis que estes detalhes, todos eles estão lá, mas surpreedentemente a historia do filme funciona bem a tela, Francis Lawrence sabia do vespeiro que estava se metendo por isso segurou o tranco criando um filme que mistura, terror e fantasia com boas dosagens de suspense. Fora isso a parte tecnica do filme ajudou em muito, fotografia e efeitos especiais caminharam lado a lado durante a projeção, mas e o elenco? Keanu Revees apesar de sempre continuar com a cara inespressiva se saiu bem como o mago, digamos que o jeito de canalha e fumante inveterado cairam como uma luva e cumpriu o seu papel. Não posso esquecer do resto do elenco, Rachel Weisz,Shia LaBeouf, Djimon Hounson e Tilda Swinton cumprem bem seus papeis como aliados (ou não) de Constantine mas é Peter Stormare(Fargo) como Lucifer que rouba a cena num momento crucial no final do filme, sua perfomasse mereçe palmas.
Talves Constantine seja uma das raras adaptações que mesmo não sendo fiel a sua fonte cumpre o que é mais importante, ser um bom filme e ser acima de tudo reconhecido ao longo dos anos.



V DE VINGANÇA

A historia do terrorista mascarado disposto a tudo a destruir uma ditadura que domina Londres num possivel futuro era considerado para muitos, assim como Watchmen, uma historia infilmavel. Mas coube os Irmãos Wachowski a dizer "não" a isso. Para isso eles decidiram produzir a historia após o termino da triologia Matrix mas a direção coube a um dos seus tecnicos James McTeigue.
Estrelado por Hugo Weaving como o V e por Natelie Portman o filme em si carrega a mesma mensagem do Grafic Novel mas possui inemeras diferenças, algumas partes incurtadas e alguns personagnes limados mas no geral o filme funciona e cumpre o seu papel como um otimo filme e corajoso alias, ja que ainda em 2006 na época que a produção foi lançada a palavra terrorismo soava meio que com desconforto, o mundo e ainda hoje alias sente as cicatrizes do 11 de Setembro e a trama toca em diversos assuntos como que leva uma pessoa ser terrorista? E vale a pena levantar a mão para um governo intolerante? Mesmo com os fãs reclamando que o grafic Novel é bem melhor (e é alias pois eu li o volume antes de assistir a pelicula) o filme fala por si.

segunda-feira, 2 de março de 2009

Cine Curiosidades: O que nos faz nos pegarmos nos vendo mais de uma vez um filme?

Essa pergunta eu faço para mim mesmo quando me pego vendo toda a hora o mesmo filme mas o que leva eu ou outra pessoa a fazer isso?
Existe muitas respostas, como a pessoa se identificar em um dos personagens, quando a historia é realmente boa, significativa ou simplesmente quando a produção funciona em tudo, desde o elenco a produção caprichada e envolvente. Aqui eu solto a lista dos 5 filmes que mais eu me peguei assistindo inúmeras vezes

Ensaio Sobre a Cegueira

Fernando Meirelles é com certeza um dos melhores diretores que surgiram neste novo século e com serteza irá mais longe. Depois de Cidade de Deus e Jardineiro Fiel, Fernando teve a ousadia de adaptar para o cinema Ensaio Sobre a Cegueira de José Saramago que muitos consideraram uma historia infilmavel. Mais eis que Fernando consegue e o próprio autor adora. A trama narra uma inexplicável epidemia de cegueira e se passa em grande parte dentro de uma estrutura de confinamento para os que perderam a visão. Nos claustrofóbicos interiores, o Ensaio Sobre a Cegueira do trio vale-se de super exposição, foco e abstraccionismo sensível, mas usando apenas variações tonais dessaturadas que levam ao branco, com surpreendente resultado. Nos vazios exteriores do terceiro ato, um amálgama urbano formado por partes de São Paulo e Montevidéu, encontramos outro tipo de contraste e, enfim, o preto - na seqüência mais "cega" do filme, excepcional.
Como sempre Fernando faz uma exelente montagem de imagens fazendo nos algumas vezes não enxergar o que esta acontecendo (como o criticado estupro coletivo), as vezes os rostos dos personagens são cortados dos lados do canto da imagem fazendo que agente se esforce um pouco para ver quem esta passando na tela. Destaco a otima perfomasse de Juliane Moore que aqui carrega o fardo de ser a única com visão e acaba por entender que todos precisam dela, aja o que houver. Um dos melhores filmes do ano passado que foi infelizmente injustiçado no ultimo Oscar e neste momento é o filme que mais estou vendo toda hora, pelo menos serviu para tirar um vicio de ficar vendo o filme que falarei logo abaixo

Cheiro no Ralo

Nunca imaginei que um dia me pegaria vendo um filme brasileiro tantas vezes. Desde a retomada do cinema brasileiro em 1994, o nosso cinema mostrou todo o esforço possível para fazer obras a ser reconhecidas tanto para critica e para o publico e para o mundo afora. Com isso surgiram pérolas como Cidade de Deus, Tropa de Elite, Central do Brasil e dentre outros. Mas foi um pequeno filme que me pegou de vez.
Neste filme somos apresentados a Lourenço (Selton Mello espetacular), um comprador de objetos usados, vive enfornado em um galpão, protegido dos fracassados do mundo por uma secretária e um segurança. Lourenço é noivo, come estrogonofe, dirige uma Veraneio e leva a vida de forma comum. Porém, conforme aumenta o cheiro desagradável que vem do ralo do banheiro de seu escritório, começam suas obsessões... um olho de vidro, uma bunda continental... na mente de Lourenço, tudo está conectado, além de é claro humilhar as pessoas que chegam até ele vendendo coisas usadas.
Heitor Dhalia que antes havia feito o elogiado Nina faz com pouquíssimos recursos um filme cheio de conteúdo e um show de montagem e fotografia, isso sem falar na metamorfose de Selton Mello interpretando o Lorenço, um personagem que por mais que seja terrivel com o seu proximo, conseguimos nos identificar com ele, pelo fato de todos nos termos um lado sombrio querendo despertar sempre, no caso de Lorenço foi o cheiro do ralo que despertou seu lado perverso.
Um filme que mistura de tudo um pouco, desde a drama a maior comédia de humor negro, indispensável.

Blade Runner

Nem vou começar a dizer do porque vejo tantas vezes esse filme, para isso basta ler a matéria que eu já escrevi sobre essa obra prima no link abaixo, e desde já fiquem com video acima escolhido a dedo por mim

http://cinemacemanosluz.blogspot.com/2008/09/sesso-clssicos-blade-runner.html

Deby Loyde

Momento de confissão: Se não fosse por minha mãe não sei se veria tantas vezes esse filme, mas foi por causa dela que vi esse filme até enjoar. Acho que foi em 97 ou 98 que gravei esse filme na Tela Quente numa fita de VHS, daí foi só minha mãe assistir que queria ficar vendo toda hora, desde comigo ou quando eu saia ela queria que eu deixasse. No fim acho que ela acabou vendo mais do que eu, mas eu acabei vendo tanto também que acabei gravando cada frase do filme, sabendo o que eles iriam dizer logo em seguida. Mas o filme em si é realmente uma otima comédia misturada com o género Rodie Movie, Jim Carrey no auge da carreira está em sua melhor forma gerando inúmeros momentos antologicos como na parte do sonho em que se a pessoa não rir neste momento tem um problema bem sério. A surpresa fica para o ator sério Jefi Deniels que aqui interpreta Deby, o melhor amigo de Loyde (Carrey) que chega a ser tão idiota quanto o outro e também tem os seus grandes momentos na trama como o Hilário passeio na neve.
Com isso esse filme foi visto tantas vezes em VHS que a fita se desgastou de vez, pelo menos recuperei essa grande comédia em DVD.


TITANIC

Ok, ok, acho que todo mundo chegou em um estagio que ninguém mais aguenta ouvir mais falar de Titanic, mas não há como negar que o filme chegou a um ponto em fazer pessoas, que nunca tinha ido no cinema, assistir o filme inumeras vezes. Titanic vi realmente inúmeras vezes, no cinema vi cinco vezes e em VHS perdi a conta e realmente devo muito ao filme de James Cameron, primeiro porque foi apartir deste que realmente fiquei viciado a sétima arte e segundo foi por causa desse filme que me fez sair sozinho de casa para a capital, SERIO. Eu moro em Guaiba e naquele tempo em 97 não me imaginava ir sozinho para Porto Alegre mas quando o filme chegou em cartaz algo me fez fazer pedir para o meu pai me deixar de carro por la mas daí eu fosse embora sozinho para casa e mesmo ele relutante deixou que eu fizesse isso.
Com isso comecei a vir em seguida para a capital sozinho e consegui um emprego por aqui caminhando sozinho. Para se ver, um filme serviu para eu amadurecer. Quem disse que filmes não mudam a vida das pessoas?

domingo, 1 de março de 2009

Cine Curiosidades: PRESTO

Uma das coisas mais divertidas da Pixar é que sempre antes deles exibirem seus longas metragens no cinema eles sempre veem com um curta antes da sessão, fazendo claro uma referencia dos tempos antigos do cinema que sempre exibiam um curta metragem antes do filme principal. Quando Wall-E foi ao cinema não foi diferente. Presto conta a historia dum coelho de um magico, que desesperado quer porque quer sua presiosa senoura mas antes disso terá que encarar o nariz inpinado do seu dono, o magico do curta que usa uma cartola e um gorro de magico, fazendo uma refencia alias ao filme Fantasia.
O curta é hiper engraçado, me lembro bem de como as pessoas riam quando assistiam, com você o curta PRESTO.